conecte-se conosco


Tecnologia

Yellow e Grin anunciam fusão; Grow compartilhará patinetes e bicicletas

Publicado


Conhecidas pelos aluguéis de bicicletas e patinetes, a Grin e a Yellow vão se unir em um novo empreendimento
Reprodução Grin

Conhecidas pelos aluguéis de bicicletas e patinetes, a Grin e a Yellow vão se unir em um novo empreendimento

As empresas de mobilidade Grin e Yellow, conhecidas por fornecer aluguél de patinetes elétricos e de bicicletas, respectivamente, vão se unir para criar um novo serviço. De acordo com as empresas, que anunciaram a fusão nesta quarta-feira (30), a nova companhia será chamada de Grow.

Leia também: Patinetes elétricos: já tentou? Veja quais são os tipos e saiba como alugar um

Em nota, os aplicativos disseram que a novidade vai reunir tanto os patinetes elétricos da Grin quanto as biciletas sem estação fixa da Yellow . Juntas, elas terão uma frota que soma 135 mil patinetes e bicicletas e que vai atuar em sete países da América Latina.

Segundo as empresas, o novo empreendimento terá 1.100 funcionários, número que deve bastar para que o serviço atenda às cerca de 2,7 milhões de viagens que fazem, juntas, semestralmente.

“A demanda por esses serviços cotidianos na América Latina é enorme e, combinando forças e recursos, poderemos nos mover mais rapidamente para atender mais usuários”, afirmou o confundador da Grin e presidente da Grow , Sergio Romo.

Leia também: Falha no FaceTime permite espionagem ao expor câmera e microfone; Apple reage

A nota também afirma que, até a junção efetiva de seus serviços, as duas empresas vão continuar atuando separadamente e de maneira inalterada. Até lá, o financiamento de US$ 150 milhões deve dar conta de fazer os principais ajustes no novo aplicativo de mobibilidade .

Leia mais:  Versão censurada do Google deve ser lançada na China, revela site The Intercept

Conheça os serviços da Grin e da Yellow


Bikes amarelas da Yellow estarão no novo aplicativo Grow, fusão da empresa com a Grin
Divulgação/Yellow

Bikes amarelas da Yellow estarão no novo aplicativo Grow, fusão da empresa com a Grin



O serviço de patinetes elétricos da mexicana Grin chegou ao Brasil e a toda América Latina após uma parceria com o aplicativo de entregas Rappi. O projeto começou recentemente em São Paulo mas, segundo a Rappi, o plano é chegar a 12 mil patinetes em todo o País. De acordo com o aplicativo de entregas, a parceria entre as duas empresas não vai acabar após a fusão.

Já as biciletas amarelas da
Yellow
podem ser alugadas e deixadas em qualquer lugar da cidade. Este modelo de aluguel, conhecido como “dockless”, já é popular na China e em algumas cidades da Europa. O sistema faz com que as bicicletas fiquem travadas nas ruas, sendo liberadas apenas após um processo realizado por meio de um aplicativo para smartphones.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

WhatsApp vai permitir que usuário escolha se quer ser adicionado em grupos

Publicado

por


Com atualização, usuários poderão decidir se querem participar de um grupo do WhatsApp
shutterstock

Com atualização, usuários poderão decidir se querem participar de um grupo do WhatsApp


Todo mundo já foi colocado em um grupo do WhatsApp que não queria e precisou arrumar uma desculpa para sair depois. Para acabar com esse tipo de mal estar, o aplicativo de mensagens deve lançar, em breve, um mecanismo para que os usuários decidam se querem ser adicionados a grupos de conversa ou não. A novidade foi descoberta pelo site  WABetaInfo .

Leia também: Novos emojis são anunciados para 2019 e um vira piada na internet; entenda

De acordo com informações do portal, depois da atualização, para que um usuário seja adicionado em um grupo do WhatsApp , ele vai precisar ter autorizado anteriormente a ação e ainda receberá, também, um convite que pode ser aceito ou recusado.

Até o momento, a novidade ainda está indisponível e em fase de estudos e testes. Quando for liberado, o recurso alcançará, primeiro, os smartphones da Apple, que utilizam o sistema IOS. Depois, a atualização  também chegará aos aparelhos Android.

Para dar (ou não) permissão para ser adicionado em um grupo ,  será preciso que o usuário gerencie suas opções de bate-papo dentro dos ajustes do telefone. No caso dos usuários de IOS, no qual a medida será testada primeiro, os internautas devem entrar em “Ajustes – Conta – Privacidade” e, por fim, clicar na opção “Grupos”.

Leia mais:  Versão censurada do Google deve ser lançada na China, revela site The Intercept

Leia também: Mandou e se arrependeu? Aprenda a apagar mensagens do Facebook Messenger

Uma vez nesse menu, o usuário conseguirá definir quem poderá adicioná-lo nos grupos. Entre as opções, estão “todos”, “meus contatos”, e “ninguém”. Ao escolher a primeira opção, qualquer pessoa, mesmo que você não tenha o número dela salvo em seu celular, poderá te colocar dentro de grupos. Ao optar por “meus contatos”, apenas pessoas das quais você salvou o número poderão te incluir em uma dessas conversas.

Já ao selecionar opção “ninguém”, nenhuma pessoa poderá te colocar em um bate-papo coletivo, a menos que você permita. Isso porque, de acordo com o WhatsApp, o usuário que não permitir se adicionado em grupos receberá, sempre, um pedido de um administrador quando for convidado para entrar em um.

Leia também: “Camisinha” inteligente manda dados do seu desempenho sexual para o celular

Assim, sempre que alguém quiser te colocar em um grupo do Whatsapp , uma conversa privada se abrirá. Ali, você será questionado se quer participar do grupo, podendo optar por “Aceitar” ou “Rejeitar”. O pedido será válido por 72 horas.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

“Camisinha” inteligente manda dados do seu desempenho sexual para o celular

Publicado

por


i.Con é um preservativo inteligente que promete analisar desempenho masculino durante a relação sexual
Divulgação/British Condoms

i.Con é um preservativo inteligente que promete analisar desempenho masculino durante a relação sexual


Um novo aplicativo para ajudar na vida sexual está prestes a ser lançado. O i.Con, nome que vem de condom  (camisinha, em inglês) é um preservativo inteligente, que promete analisar a performance de seus usuários durante a relação sexual.

Leia também: Novos emojis são anunciados para 2019 e um vira piada na internet; entenda

Com formato de preservativo , a novidade parece um anel, feito de borracha, que deve ser colocado na base do órgão sexual masculino antes da relação. Dessa forma, o i.Con consegue medir características do homem que o está usando durante o sexo. 

Assim que a relação sexual  tem início, a camisinha inteligente começa a coletar dados como quantidade de calorias queimadas, velocidade média, duração e temperatura do corpo do homem. 

Todas essas informações são passadas do i.Con para o celular por meio de conexão Bluetooth, e são armazenadas por um aplicativo no qual os usuários poderão consultar e analisar seus desempenhos e características. 

De acordo com a fabricante do produto, British Condoms, o preservativo inteligente tem bateria que dura até oito horas e pode ser carregada por cabo microUSB. Além disso, o i.Con também é a  prova d’água e pode ser reutilizado diversas vezes, além de contar com um ano de garantia.

Leia também: Jovem pesa PlayStation como se fosse fruta e é preso após pagar R$ 37 no console

Leia mais:  Versão censurada do Google deve ser lançada na China, revela site The Intercept

Chamado pela empresa de “primeira camisinha smart do mundo”, a data de lançamento na Grã-Bretanha está prevista para o terceiro trimestre deste ano e deve custar 60 libras (cerca de R$ 287).

A British Condoms informou, ainda, que já está estudando atualizações no aplicativo, como o registro de diferentes posições sexuais. 

Apesar do nome, preservativo não pode substituir camisinha verdadeira


Preservativo inteligente tem bateria que dura até oito horas e pode ser reutilizado, mas não previne doenças e gravidez
Divulgação/British Condoms

Preservativo inteligente tem bateria que dura até oito horas e pode ser reutilizado, mas não previne doenças e gravidez



Leia também: Yellow e Grin anunciam fusão; Grow compartilhará patinetes e bicicletas

Apesar de ser colocado na base do membro sexual masculino, poder ser reutilizado várias vezes e ser chamado de preservativo , o i.Con não substitui o uso de camisinha, uma vez que não evita doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e nem gravidez. Segundo a empresa responsável pelo produto, o intuito da camisinha é apenas analisar a própria performance e comparar o desempenho sexual com o de amigos e outras pessoas no mundo.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana