conecte-se conosco


Economia

Voos domésticos na China voltam ao nível pré-pandemia

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Raphael Magalhães

Voos domésticos na China voltam ao nível pré-pandemia

A pandemia corroeu a demanda por viagens aéreas ao longo de 2020. Inúmeras companhias aéreas foram obrigadas a reduzir o número de voos operados diariamente, devido à súbita queda no número de passageiros viajando.

Apesar disso, e com o passar dos meses, a retomada do mercado aéreo vem acontecendo em um bom ritmo em alguns países. O mercado doméstico continua sendo a principal força motriz, uma vez que as restrições de viagens internacionais ainda comprometem o deslocamento de passageiros entre os países.

Nesse sentido, o mercado doméstico chinês atingiu durante o mês de Setembro 100% do tráfego de 2019, antes da pandemia. A comparação levou em conta o mesmo período comparativo entre os dois anos, registrando inclusive crescimento no fluxo.

Os números, apesar de não se referirem ao mercado brasileiro, são um bom indicativo do que esperar para os próximos meses em território nacional. Com esses resultados, a China junta-se à Rússia, que também já recuperou os números de tráfego doméstico.

As três principais companhias aéreas chinesas – Air China, China Eastern e China Southern – transportaram mais passageiros domésticos do que em Setembro de 2019. Nesse mês, a Air China transportou 7,78 milhões de passageiros domésticos, um aumento de 1,3% em comparação a 2019 e 7% quando comparado a Agosto.

Por sua vez, a China Southern transportou 11,1 milhões de passageiros dentro da China, um aumento de 2,5% em relação a 2019 e 8% a mais que em agosto. A China Eastern transportou 8,9 milhões de passageiros em setembro, um acréscimo de 1,2% em 2020 e 5,1% quando comparado ao mês anterior.

O post Voos domésticos na China voltam ao nível pré-pandemia apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook

Economia

Turkish Airlines realiza primeiro voo com Boeing 787 para Guarulhos

Publicado

por


source

Contato Radar

undefined
Guilherme Dotto

Turkish Airlines realiza primeiro voo com Boeing 787 para Guarulhos

Nesta sexta-feira (16), a Turkish Airlines realizou seu primeiro voo para Guarulhos (GRU) com o Boeing 787. Reinaugurando seus voos no Brasil, o TC-LLI, Dreamliner entregue este ano, foi a aeronave escalada para realizar os voos TK193 e TK194.

Devido à pandemia, a companhia aérea turca interrompeu seus voos para o Brasil no dia 21 de março, quando seus voos ainda eram operados pelo Boeing 777-300.

O pouso do voo procedente de Istanbul ocorreu as 20h54 horário local, após sua longa jornada de aproximadamente 13h15.

Atualmente, a Turkish já possui 14 aeronaves de modelo Boeing 787-9, configurados para transportar 270 passageiros, 30 assentos a menos que em seus Boeing 777-300, para 300 passageiros.

Com a retomada das operações em Guarulhos, os voos ocorrerão em dias intercalados e com horário de pouso para 20h20 hora local.

Para mais notícias de aviação acesse o Contato Radar ( CLICANDO AQUI )

O post Turkish Airlines realiza primeiro voo com Boeing 787 para Guarulhos apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Guedes chama nova CPMF de “imposto de merd*”, mas volta a defender tributo

Publicado

por


source

Brasil Econômico

paulo guedes na câmara
José Cruz/Agência Brasil

Paulo Guedes chama nova CPMF de “imposto de merd*”, mas volta a defender tributo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (16), em live em inglês durante evento promovido pela XP Investimentos, que ainda não desistiu de criar um imposto sobre transações, a nova CPMF , para desonerar a folha de pagamentos das empresas.

“Estamos subsidiando capital e taxando o trabalho. É inaceitável. Então, enquanto as pessoas não vierem com uma solução melhor, eu prefiro a segunda melhor, que é esse imposto de merda”, disse Guedes em defesa da CPMF.

No entanto, o ministro voltou a negar semelhança do novo imposto sobre transações com a antiga CPMF , que era cobrada sobre transações e existiu até 2007 para cobrir gastos do governo federal com saúde, mas acabou sofrendo grande resistência e foi extinto. A alíquota máxima da CPMF na década passada foi de 0,38% por operação. O novo tributo defendido por Guedes teria carga menor, de 0,2%. “Não é CPMF de jeito nenhum. É digital”, defendeu.

Guedes citou o novo imposto sobre transações após ser questionado sobre o aumento das demissões no Brasil. “Obrigado por dar apoio ao imposto sobre transações”, respondeu, sugerindo que a nova CPMF seria a solução para isso. “Por que você acha que nós estamos pensando nessa coisa de merda [nova CPMF]? Você acha que liberais gostam de criar novos impostos ? Não mesmo. Há apenas uma razão pela qual se poderia pensar nisso. É porque existe um pior operando hoje”, disse o ministro, defendendo a importância de desonerar a folha e aliviar os custos para empregadores.

Para Guedes, é necessário gerar emprego formal e dar uma saída para os “invisíveis”, que segundo ele foram identificados com os programas emergenciais do governo na pandemia, como o auxílio emergencial .

Um dia antes de voltar a defender o novo imposto sobre transações, o “imposto de merda”, Guedes disse à CNN Brasil  na quinta que poderia desistir de criá-lo , mas rapidamente mudou de ideia e voltou a tocar no assunto no evento da XP Investimentos. “Eu sou homem de desistir fácil das coisas? De jeito nenhum”, assegurou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana