conecte-se conosco


Cidades

Viva seu Município: consórcios são estratégia para inclusão da comunidade e gestão de resíduos

Publicado

A campanha Viva seu Município deste ano tem como tema a união. Se gestores e a população estiverem unidos pelos seus Municípios, estarão unidos pelo Brasil. Lançada anualmente para celebrar o Dia do Municipalismo brasileiro, em 23 de fevereiro, a iniciativa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) propõe às prefeituras e à comunidade investir no diálogo para analisar os desafios locais e buscar soluções.

O tema de 2019, portanto, está relacionado diretamente com outra causa defendida pelo movimento. “Os consórcios buscam o desenvolvimento regional pelas parcerias, consegue congregar as demandas”, define o superintendente do Consórcio do Agreste Central (Cpac), Caio Valença. Sediado em Sergipe, o grupo realiza um trabalho próximo com as comunidades de catadores para gestão dos resíduos sólidos.

“Nós temos um brilhante projeto com a cooperativa. A gente está na fase de erradicação dos lixões e organizamos os catadores, colocando-os no cento de triagem. A Política Nacional de Resíduos Sólidos [PNRS] tem como foco a inclusão produtiva desses profissionais. É uma experiência exitosa, que gera emprego e renda para uma comunidade que vivia na informalidade”, comemora.

Exemplos
Valença lembra que o Cpac inaugurou o centro para triagem dos resíduos com recurso próprio e a parceria com os catadores do maior lixão da região veio naturalmente e sem dificuldades porque “o municipalismo adotou a causa”. O cunho social e participativo presente nas ações dos consorciados sergipanos coincide com a estratégia adotada pelo Consórcio Intermunicipal da Área de Saneamento Ambiental (Consab), em São Paulo.

Ambos devem servir de exemplo para outras localidades que precisam cumprir com a legislação do setor – Lei 12.305/2010 – e podem servir de mote para a campanha Viva seu Município, destaca a CNM. Durante os próximos dias, a organização irá incentivar os gestores a adotarem modelos semelhantes de planejamento e execução. “É por um bem comum. E o trabalho é reconhecido. Temos um índice alto de satisfação da população nos Municípios consorciados”, celebra o superintendente do Consab, Dimas Antonio Starnini.

Engajamento
O grupo já realizou projetos para coleta de pneus, lixo eletrônico e lâmpadas e agora está na fase de testes do óleo de cozinha. Com o programa Sabão ecológico, eles pretendem coletar, nas 65 escolas municipais dos nove Municípios consorciados, o material que iria para o lixo. “Vamos disponibilizar tambores de 200 litros para as crianças trazerem óleo de cozinha utilizado em suas residências. Quando o tambor estiver enchendo, o funcionário da escola liga para o Consab e a gente tira, fabrica e devolve o sabão para eles levarem para casa”, detalha.

Starnini destaca que, entre os desafios para envolver a população nas políticas públicas, o mais difícil de superar é cultural. “Com as gerações mais antigas é mais difícil, já as crianças, é saber educar. Temos que reverter o processo através de uma educação ambiental”, acredita. O Consab completa uma década de funcionamento neste ano, com 300 colaboradores. O segredo do sucesso é a parceria não só dos gestores – que encaram o consórcio como uma política local e não de governo –, mas também o engajamento com os cidadãos.

A área técnica de Saneamento da CNM ressalva que os resíduos acima citados (pneus, lixo eletrônico e lâmpadas) são de responsabilidade exclusiva do setor empresarial e que, de acordo com o Art. 33 da PNRS, caso os consórcios ou os titulares do serviço público de limpeza urbana e de manejo de resíduos, por acordo setorial ou termo de compromisso firmado com o setor empresarial, encarregarem-se de atividades de responsabilidade dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes nos sistemas de logística reversa dos produtos e embalagens a que se refere este artigo, as ações do poder público serão devidamente remuneradas, na forma previamente acordada entre as partes.

Incentivo local
A CNM apoia os consórcios públicos e disponibiliza o site a fim de consolidar esse relacionamento Município-Consórcio a partir de informações que visam contribuir para a organização, legalização e difusão do conhecimento sobre essa importante estratégia de gestão.


Para conhecer o atual panorama dos consórcios públicos brasileiros, acesse a pesquisa encampada pela CNM, a qual contribui para demonstrar a expressividade dos consórcios públicos, confirmando-os como uma alternativa efetiva de gestão de competências comuns e relevante estratégia para o desenvolvimento integrado do país.

Comentários Facebook
Leia mais:  Seminário sobre incremento de receitas será realizado nesta quarta na AMM
publicidade

Barra do Bugres

Morre João Nicolau, diretor-presidente do Grupo Barralcool de Barra do Bugres

Publicado

Morreu aos 88 anos na madrugada deste sábado (17) o diretor-presidente do Grupo Barralcool, João Nicolau Petroni, em Cuiabá-MT.

Segundo informações, João Nicolau morreu enquanto dormia, a suspeita é que ele tenha sofrido um infarto e veio a óbito. Presidente da organização desde a fundação, em 1980, o paulista de Birigui, João Nicolau Petroni, foi um dos ícones do setor industrial de Mato Grosso. Líder, entusiasta e visionário, foi responsável direto pelo desenvolvimento do setor sucroalcooleiro no estado, fundando em 1980 a Barralcool Destilaria da Barra.


O velório é realizado na Associação Barralcool de Assistência Social, Projeto Doce Vida, e o sepultamento está previsto para às 08h00 deste domingo (18), no cemitério Municipal de Barra do Bugres.

Comentários Facebook
Leia mais:  Primeira-dama de Mato Grosso defende manutenção e fortalecimento da APDM
Continue lendo

Cidades

Obras na ‘Curva do Dona Júlia’ estão dentro do cronograma previsto, diz secretário

Publicado

Mais de 60 % da obra de canalização das águas da chuva, correspondente ao entroncamento da avenida Nilo Torres com a MT-480, no trecho conhecido como ‘Curva do Dona Júlia’, foi concluída em Tangará da Serra.

Conforme a Secretaria de Infraestrutura (SINFRA) os trabalhos avançam em ritmo normal, dentro do cronograma de entrega previsto para este mês.

“Essa é uma importante obra para evitar alagamentos na região, tivemos contratempos logísticos no passado devido ao clima, agora, estamos concentrados na execução, que exige janelas de intervalo. Foi o que aconteceu nos últimos dias, a obra não foi retomada, fizemos a pavimentação de um lado da via e a maior dificuldade é devido ao processo de cura, precisamos esperar no mínimo 72 horas, para fazer a capa asfáltica. Com a pavimentação concluída, iniciaremos o meio-fio, canteiro e acreditamos que em 20 dias, entregamos a obra”, indica o secretário José Bernadino.


Um ano depois, a obra segue em execução, as melhorias e readequações ampliarão o fluxo de água pelo sistema de drenagem, facilitando o escoamento de águas pluviais, para evitar alagamentos. Com as intervenções, o trânsito no local ficará parcialmente bloqueado.

 

Comentários Facebook
Leia mais:  Seminário sobre incremento de receitas será realizado nesta quarta na AMM
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana