conecte-se conosco


Meio Ambiente

Vigilância Ambiental disponibiliza caçambas para descarte de lixo no Bairro Alto da Boa Vista

Publicado

Um mutirão de limpeza e recolhimento de lixo será realizado a partir da tarde desta sexta-feira (14) no Bairro Alto da Boa Vista em Tangará da Serra.

A ação, coordenada pela Vigilância Ambiental, tem o objetivo de recolher objetos que possam permitir a criação de focos do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue. De acordo com a coordenadora da Vigilância Ambiental, Isabela Talita,  cinco caçambas estarão disponíveis nas ruas Pássaro Preto, Tucano, Juriti, Pavão e Bem te Vi. “Dessa forma os moradores poderão depositar gratuitamente aquele lixo que acumula água e que não foi colocado na coleta seletiva”, informou.

O mutirão segue até segunda-feira (17).  As ações de combate a dengue são realizadas durante todo o ano, no entanto, com o período chuvoso,  a força tarefa deverá ocorrer em outras localidades, priorizando os bairros com altos índices do vetor.

Comentários Facebook

Barra do Bugres

Batalhão Ambiental apreende 155 quilos de pescado avaliado em R$18 mil em Barra do Bugres

Publicado

Equipes do Batalhão de Proteção Ambiental apreenderam nesta quinta-feira (13), 234 quilos de pescado das espécies jaú e cachara em Poxoréu e Barra do Bugres.

Quatro homens foram conduzidos à delegacia por crime ambiental. Em Poxoréu, conforme o boletim de ocorrência, agentes da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) denunciaram que pescadores estariam praticando pesca predatória, na região conhecida como ‘Água Emendadas’, no distrito de Jarudore.

Foram montadas duas barreiras na região. Em uma delas, um veículo Fiat Strada branco, com cinco homens recebeu ordem de parada, mas não obedeceu. Foi iniciado o acompanhamento pela MT-130, quando dois homens que estavam na carroceria do veículo, pularam e fugiram por uma região de mata fechada. Ainda em alta velocidade, já próximo da cidade de Poxoréu o motorista parou no acostamento.

Dentro do veículo estavam 31 quilos de pintado e 48 quilos de jaú, e várias peças fora da medida mínima exigida por lei, além de uma rede de arrasto de 25 metros, caracterizando crime ambiental.

Já em Barra do Bugres, os policiais estavam em ronda quando solicitaram ordem de parada ao motorista que conduzia um Gol. Dentro do carro estavam 34 peixes da espécie cachara, totalizando 155 quilos. Consta no boletim de ocorrência, que o valor do pescado seria cerca de R$ 18 mil. Nas duas ocorrências, o pescado foi doado a uma instituição, conforme recibo entregue nas delegacias das cidades. A rede de arrasto foi descaracterizada.

Comentários Facebook
Continue lendo

BemRural

Pesca do dourado segue proibida em MT; notícia sobre a liberação é “fake news” alerta a SEMA

Publicado

A pesca do dourado e da piraíba seguem proibidas durante todo o ano em Mato Grosso.  O alerta feito pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) visa informar os pescadores e turistas que estão recebendo falsas mensagens de que as pesca das espécies no Estado estaria liberada.

Conforme a Lei 9.794/2012, que segue em vigor, fica vedada a captura, comercialização e transporte das espécies Dourado (Salminus brasiliensis) e Piraíba (Brachyplatystoma filamentosum), no Estado de Mato Grosso. O que significa que mesmo após o fim do período de defeso da Piracema, em 31 de janeiro, a pesca das duas espécies não é permitida em todo território estadual.

A proibição à pesca, tanto amadora como profissional, abrange os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia-Tocantins. Neste período é permitida apena a pesca de subsistência, desembarcada, que é aquela praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais para garantir a alimentação familiar, sem fins comerciais. Para os ribeirinhos é permitida a cota diária de três quilos e um exemplar de qualquer peso por pescador, respeitando os tamanhos mínimos de captura, estabelecidos pela legislação para cada espécie. O período de defeso da piracema no Estado de Mato Grosso iniciou no dia 1º de outubro e segue até dia 31 de janeiro de 2020.

O transporte e comercialização proveniente da pesca de subsistência também fica proibido. Nos rios de divisa, em que uma margem fica em Mato Grosso e outra margem em outro estado, a proibição à pesca segue o período estabelecido pela União, que se inicia em novembro e termina em fevereiro de 2020. A pesca nos trechos de divisa está liberada, porém o peixe pescado na região não pode ser transportados nem comercializados dentro do território mato-grossense.

Em Mato Grosso, 17 rios se encaixam nessa característica de rio de divisa. Entre os mais conhecidos estão o rio Piquiri, na bacia do Paraguai, que uma margem está em Mato Grosso e outra em Mato Grosso do Sul, o rio Araguaia, na bacia Araguaia-Tocantins, que faz divisa com Goiás e, na bacia Amazônica, o trecho do rio Teles Pires que faz divisa com o Pará. Denúncias O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838 ou via WhatsApp no (65) 99281- 4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana