conecte-se conosco


Tangará da Serra

Vídeo mostra pancadaria na Feira do Produtor em Tangará

Publicado

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma briga na Feira do Produtor em Tangará da Serra. A discussão ocorreu na madrugada do último domingo, 10.

Nas imagens é possível ver o momento que duas mulheres iniciaram com as agressões verbais e logo em seguida partiram para vias de fato. Os seguranças e outras pessoas que estavam no momento ainda tentaram impedir a briga entre as duas mulheres.

Uma delas chegou a pegar uma cadeira para acertar a outra. Pouco tempo depois uma nova briga iniciou no interior da Feira, mas desta vez envolvia dois homens, que partiram para agressões. Já do lado de fora, o que parecia ter cessado recomeçou. As mulheres chegaram a rolar no chão e trocaram tapas e puxões de cabelo. Um homem inclusive entrou na briga e deu vários socos contra uma das mulheres que estava no chão.

Comentários Facebook

Saúde

Executivo suspende adicional de insalubridade e profissionais da saúde protestam em Tangará da Serra

Publicado

O prefeito de Tangará da Serra, Fábio Martins Junqueira (MDB), reduziu e até suspendeu o pagamento do adicional de atividades insalubres, aos servidores da Saúde, em meio à pandemia da Covid-19. Em manifesto a decisão, os profissionais da saúde, se vestiram de preto, para representar o luto, reflexo do que consideram um  descaso cometido pela administração municipal.

Os valores já não foram pagos nos salários de julho, e surpreendeu os profissionais da saúde que tiveram baixas significativas na folha de pagamento para os funcionários de postos de saúde, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, serviços gerais, agentes de saúde e recepcionistas.  A denúncia foi feita por funcionários que alegam violação de direitos trabalhistas, em especial no atual momento de risco de contágio pelo novo coronavírus.

“Nós não fomos sequer avisados sobre a decisão. Simplesmente saiu o salário hoje e fomos surpreendidos pela redução de insalubridade. Os médicos por exemplo, terão redução média de R$2 mil, enfermeiros de R$300 e técnicos de enfermagem de R$200, outros foram cortados mesmo. Os valores são muito diferentes de uma categoria para a outra, por depender do tempo de serviço prestado, e um servidor que entrou há pouco tempo por exemplo, o salário vai cair muito. Nós nos deparamos com essa surpresa no nosso salário e estamos muitos desmotivados e nos sentindo desvalorizados”, desabafa a funcionária.

O trabalho insalubre se refere ao empregado exposto, a qualquer agente nocivo à saúde como químicos, físicos ou biológicos, que possam ocasionar uma doença ocupacional. A insalubridade é regulada pelos artigos 189 à 192 da CLT e pela Norma Regulamentadora n.º 15 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O adicional de insalubridade pode variar entre 10% (dez por cento) em grau mínimo, 20% (vinte por cento) em grau médio e 40% (quarenta por cento) em grau máximo de exposição, de acordo com a perícia realizada. O adicional de insalubridade tem sua base calculada sobre o salário mínimo.

O Bem Notícias procurou a gestão municipal para obter informações sobre o corte aplicado, mas até o fechamento desta reportagem, o município não manifestou nenhuma posição sobre o caso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cidades

Bombeiros iniciam força-tarefa no combate a queimadas em Tangará e região

Publicado

Iniciou nessa quarta-feira (1º) o período proibitivo de queimadas na zona rural, impedindo com a decisão, os proprietários rurais de realizar qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo.

Imagens: Gilvan Melo

O Corpo de Bombeiros reforçará o trabalho preventivo e de comunicação que desenvolve em todas as suas sedes regionais sobre os cuidados para evitar incêndios. “A área do comando regional seis é responsável por 18 municípios, e vamos ter quatro bases centralizadas, que são em Colniza, Alto Paraguai, Diamantino e Aripuanã. Então a partir de hoje, estaremos com equipes de 10 em 10 dias nesses locais, com o intuito de minimizar e reduzir os índices de incêndios florestais na nossa regional. Nesses 18 municípios, nós temos três companhias, em Tangará, Campo Novo e Juína. Cada quartel desse tem a sua área de atuação e aqui em Tangará, somos responsáveis por seis cidades, e estamos preparados com equipes e equipamentos para atender toda essa demanda”, ressalta o Tenente Coronel BM Vicente Manoel de Deus Neto.

A decisão leva em consideração fatores climáticos e riscos que a poluição do ar traz à saúde humana, especialmente em um momento que o mundo enfrenta uma pandemia de uma síndrome respiratória, a Covid-19. Além disso, de acordo com monitoramento realizado pelo INPE, entre 01 de janeiro e 28 de maio, Mato Grosso registrou um aumento de 11,83% dos focos de calor em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o Brasil e os Estados da Amazônia legal registraram redução de 2,84% e 31,26% respectivamente.

Também foi verificado que 44% do estado de Mato Grosso apresenta a pluviosidade abaixo da média e 24% do território encontra-se na média dos últimos 30 anos para o mesmo período. A estiagem decrescente seca a vegetação mais fina tornando-a mais vulnerável ao fogo.

A proibição vai até 30 de setembro, na zona urbana a queimada é proibida o ano todo. Em 2020, o período proibitivo foi antecipado, devido a fatores climáticos e ao risco à saúde humana, especialmente nesse momento de enfrentamento ao coronavírus.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana