conecte-se conosco

  • powered by Advanced iFrame free. Get the Pro version on CodeCanyon.


Cidades

UNITAN inaugura nova sede para coleta de sangue em Tangará da Serra

Publicado

Foi inaugurada nesta sexta-feria (07) a sede própria da Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue (UNITAN), em Tangará da Serra.

Em novo endereço, os doadores devem se deslocar até a Rua Benedito Pereira de Oliveira (05) nº 1.447, ao lado do GAO, no Bairro Jardim Europa para a realização de coletas de sangue. A unidade é responsável pelo fornecimento de sangue e hemocomponentes para o município de Tangará da Serra, rede SUS e Privada, além de outros cinco municípios da região: Brasnorte, Campo Novo do Parecis, Denise, Nova Olímpia e Sapezal.

Segundo o prefeito Fábio Martins Junqueira, houve um trabalho incansável para garantir recursos capazes de sanar os problemas de infraestrutura da UNITAN. “A obra custou R$840 mil, uma pequena parte foi emenda parlamentar do Ex- Deputado Federal Saguas Morais e o restante, contrapartida do município. Queríamos sair do aluguel pois, boa parte das dificuldades esbarravam na necessidade de correções no prédio e como era alugado, nos impossibilitava de gerar investimentos. Agradeço ao apoio de nossa equipe gestora, especialmente as secretarias de Fazenda, SEPLAN e SAD que foram fundamentais para garantir recursos e processos de licitação, projetos e contratação da obra e à Secretaria de Saúde como órgão de execução das politicas públicas em saúde”.

No ano passado a UNITAN recebeu na triagem clínica, 3.309 doadores e 2.594 coletas foram mantidas, além de 1.063 exames pré-transfusionais. Antes, haviam dois leitos para coleta, agora com a inauguração da nova sede, são quatro, dobrando a capacidade técnica da unidade, destaca a coordenadora da UNITAN, Juliana Marinho Gramarin. “Precisamos do apoio da população, para deixarmos os estoques de sangue renovados, temos uma vasta área de abrangência e a cada dia, aumentam os atendimentos de emergência e cirurgias que necessitam de transfusões de sangue”, reforça.

Leia mais:  Nona unidade mato-grossense do Atacadão deve ser inaugurada em março em Tangará da Serra

Doar sangue é um ato simples, tranquilo e seguro que não provoca risco ou prejuízo à saúde. Além disso, a doação é voluntária é anônima, altruísta e não remunerada. Todo o processo de doação é rápido, seguro e indolor, leva cerca de 40 minutos. O ideal é que cada pessoa doe sangue pelo menos duas vezes ao ano; homens a cada 90 dias e mulheres devem respeitar um intervalo de 120 dias, entre as doações.

Como doar


Para ser um doador é preciso ter entre 16 e 68 anos, pesar mais de 50 quilos e estar com boa saúde. Menores de 18 anos só podem doar com autorização dos pais ou responsável legal. Estar bem alimentado e portar documento oficial de identidade com foto e CPF são requisitos imprescindíveis para quem deseja doar.

Comentários Facebook
publicidade

BemRural

Após longa estiagem, volta a chover em Tangará da Serra

Publicado

Moradores de Tangará da Serra começaram a respirar mais aliviados, nesta sexta-feira (20), com o retorno das chuvas à cidade.

Há 15 dias, algumas nuvens chegaram a dar esperança aos tangaraenses, mas se converteram apenas em chuviscos. A previsão do Instituto Clima Tempo, indicava que choveria ontem (19), mas não aconteceu. No entanto, após tanta expectativa, no início da noite uma chuva mansa, começou a cair sobre a cidade.


Para sábado (20) a previsão indica nova probabilidade, com 80% de chances de chover em torno de 10 milímetros. A mínima é de 22º e máxima de 37º, com sol e aumento de nuvens pela manhã e pancadas de chuva são esperadas à tarde e à noite.

 

Comentários Facebook
Leia mais:  Ronaldo Quintão admite que Câmara poderá investir em novo prédio
Continue lendo

Barra do Bugres

Justiça afasta auxiliares de enfermagem do Lar dos Idosos em Barra do Bugres

Publicado

O Ministério Público de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível da comarca de Barra do Bugres, obteve decisão liminar na Justiça determinando o imediato afastamento de duas auxiliares de enfermagem efetivas da Prefeitura que prestavam serviços no Lar São Vicente de Paulo.

A ação civil pública foi proposta por ato de improbidade administrativa contra Maria Luiza Teixeira Rodrigues e Ivete Maria Mendes, acusadas de praticar maus tratos, violência psicológica, negligência e omissões em prejuízo dos idosos abrigados na unidade. A Promotora de Justiça Itâmara Guimarães Rosário Pinheiro requereu ainda que a inicial fosse julgada procedente para condenar as requeridas pela prática de atos de improbidade administrativa, aplicando-lhes as sanções de ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelas agentes.

Conforme a ação, inicialmente foi instaurada notícia de fato para investigar a conduta das servidoras, que teriam deixado de respeitar os princípios éticos e morais da Administração Pública pelo não atendimento das responsabilidades inerentes às funções públicas que exerciam. As servidoras, nomeadas em março de 2007 para o cargo de auxiliar de enfermagem da Prefeitura de Barra do Bugres, foram cedidas para atuar como técnicas de enfermagem no Lar, ainda na condição de funcionárias públicas, em razão da parceria mantida com o Município.

No decorrer das investigações, a responsável técnica do Lar, Geize de Lima Oliveira, relatou ocorrências de negligências quanto à higienização dos idosos, violência física e psicológica, afirmações depreciativas, omissão à assistência solicitada para atividades diárias por parte das requeridas contra alguns idosos acolhidos, bem como a desídia das funções que deviam ser exercidas.

Leia mais:  Tangará da Serra deverá receber R$ 2,4 mi do FEX até final do mês

Sobre a conduta de Ivete Maria Mendes apurou-se que ela se recusava a cumprir ordens como de aferir sinais vitais três vezes ao dia, era negligente quanto aos cuidados de higienização dos idosos e chegou a se negar a pegar a medicação de um dos idosos bem como fraudas para a troca após o banho. Com relação a Maria Luiza Teixeira Rodrigues restou apurado que ela fazia afirmações depreciativas, omitia socorro, bem como gritou, ofendeu e agrediu fisicamente um idoso.

Além disso, as servidoras deveriam cumprir jornada de trabalho de 12 horas de trabalho por 36 horas de descanso. Contudo, elas decidiram trabalhar 24 horas para descansar dois dias seguidos. “Essa jornada diferenciada sobrecarregava as requeridas e quando eram solicitados seus serviços por suas colegas, usavam como justificativa o cansaço para se esquivar de suas atribuições, agindo de forma ineficiente”, considerou a Promotora de Justiça.

Afastamento – Para Itâmara Guimarães Rosário Pinheiro, “restam claras as provas de cometimento de ilícitos de improbidade administrativa, o que por si só já justificaria o afastamento liminar das requeridas dos cargos que ora ocupam, a fim de que o ocorrido não se torne praxe”. A Promotora considerou que diante dos firmes elementos de prova, simplesmente é incompatível a permanência das servidoras em seus cargos, uma vez que se utilizaram do aparato da Administração Pública para cometer crime de maus tratos.


 

Leia mais:  7º Comando Regional realiza nivelamento operacional para policiais militares do motopatrulhamento

 

 

Fonte: MP

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana