conecte-se conosco


Mulher

Unha em gel transparente: tudo o que você precisa saber sobre essa nail art

Publicado


source

Fazer alongamento com unhas em gel já uma tendência mais do que consolidada nos salões e um dos modelos que tem feito sucesso há um tempo é a unha em gel transparente. 

unha em gel transparente
Reprodução/Pinterest

Unha em gel transparente virou tendência há um tempo e, desde então, não há limites para incrementar essa nail art

A nail art viralizou quando Bruna Marquezine compartilhou a unha em gel transparente recém-feita em suas redes sociais no ano passado. De lá pra cá, a criatividade rolou solta e,  com uma simples busca no Pinterest, é fácil encontrar as mais diversas adaptações de unhas transparentes: há as mais alongadas, as quadradas, as pintadas com esmalte ou as que recebem apliques e detalhes.

Como explica Grazielle Matos, nail stylist e educadora, o transparente acabou virando uma ótima base para a nail art. “A pessoa pode usar um esmalte por cima ou fazer alguma nail art mantendo o fundo transparente, como a Anitta tem feito bastante”. 

Como fazer a unha em gel transparente?

Seja para manter a unha transparente ou para adotar alguma nail art, o começo do processo é o mesmo. O primeiro passo é usar um gel específico e transparente — se fosse uma unha em gel normal, segundo Grazielle, a extensão usada teria um tom rosado. 

A base para a estruturação de unha, ainda de acordo com a profissional, também pode ser feita na TIP, na fibra e até mesmo no molde. 

Unha feita e alongada é hora de decidir qual nail art será aplicada. Se a ideia é usar um esmalte a lá Anitta, por exemplo. Grazielle ressalta que é preciso alguns cuidados. “É importante lembrar que, dependendo da qualidade, ele pode manchar o transparente da unha e ela pode não se manter tão bonita quanto no começo. Aí é preciso a manutenção para recuperar o aspecto transparente inicial”, fala a nail stylist. 

Como é a feita a manutenção da unha em gel transparente?

A manutenção, como explica Grazielle, vai adequar o gel que falta conforme a unha vai crescendo, mantendo ela sempre com o aspecto de nova. “Cada pessoa tem um crescimento natural da unha, algumas mais lento e outras mais rápido, mas em média a manutenção precisa ser feita a cada 21 dias”, completa. 

Além disso, a especialista lista alguns cuidados básicos que devem ser seguidos para as unhas em gel durem mais e fiquem mais tempo bonitas: 

  1. Não lixe as unhas em casa: sabe quando a profissional termina o trabalho e deixa ela fininha e com a curvatura correta, bem natural? Pois bem, se lixar em casa suas unhas em gel, você vai acabar com esse efeito natural e suas unhas vão ficar grossas e artificiais. Além disso, a unha perderá resistência (Sim, unhas grossas não são sinônimo de unhas fortes).
  2. Cuidado com a forma com que usa as unhas: as unhas em gel são resistentes,  mas não inquebráveis, por isso, cuidado. Muitas pessoas usam a unha para abrir latinhas, apertar botões e afins.  Além de você estragar a unha de gel, esse tipo de coisa traz prejuízos para a matriz da sua unha natural, ocasionando a quebra da de gel e da natural. 
  3. Faça o uso de luvas: outro benefício das unhas em gel é não ver suas unhas recém esmaltadas, totalmente detonadas depois de lavar louça por exemplo. Mas, elas também não estão totalmente imunes. É preciso ter muito cuidado com alguns produtos corrosivos, como cloro por exemplo, por isso use sempre luvas ao manusear esses produtos.
  4. Não colocar as unhas na boca: muitas mulheres que têm problemas de roer as unhas encontraram nas unhas de gel uma forma de ter as unhas grandes e bonitas que sempre quiseram. Entretanto, muitas seguem com o hábito de ficar com as unhas na boca e o ácido presente na saliva contribui para corroer o gel, por isso não coloque as unhas na boca.

Quanto tempo dura a unha em gel transparente?

unha em gel transparente
Reprodução/Pinterest

Com esmalte é possível criar diversos efeitos na unha em gel transparente

Segundo Grazielle, se bem feita, essa unha vai durar enquanto for feita a manutenção, assim elas se manterão bonitas e sem prejudicar as unhas naturais que estão por baixo.

Para isso, cuidado ao escolher o local para fazer a sua unha em gel transparente. Segundo a nail stylist é válido “buscar referências sobre o trabalho da profissional escolhida conversando com pessoas que fizeram e não apenas pelas fotos em redes sociais”, por exemplo.

Ela tem outra dica: “Só dê prosseguimento se a profissional aplicar em você o que chamamos de ficha anamnese, que é um levantamento sobre a sua unha a fim de saber se existe algum empecilho para o procedimento e também para ela ter informações para um resultado com mais qualidade.”

É possível fazer unha transparente em casa?

anitta
Reprodução/Instagram/@anitta

Anitta testou uma unha postiça e teve problemas com a cola que decidiu usar

Há no mercado algumas unhas postiças que também promovem esse efeito transparente. Mas, para evitar qualquer problema, atenção redobrada à cola que será usada. Em meados de maio desse ano, Anitta usou as redes sociais para pedir ajuda para tirar uma unha postiça que tinha colocado apenas para testar porque ela tinha usado super cola para fixar o item. Isso pode trazer sérios problemas para as unhas. 

“É importante lembrar que se você quiser usar uma postiça, jamais use colas que não sejam específicas para esse fim. É muito perigoso para a saúde da sua unha natural”, alerta a Grazielle. 

Cansei da unha em gel transparente, e agora?

Se quiser seguir com as unhas longas, a especialista afirma que basta substituir o gel transparente pelo comum. Já se a ideia é abandonar a unha em gel transparente e voltar ao natural, você pode procurar um salão — o mais indicado — ou  seguir alguns passos para tirar a unha em gel em casa usando banho maria ou papel alumínio. 


Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook

Mulher

Aprenda a decorar a varanda e otimizar espaços pequenos

Publicado

por


source

Alto Astral

Varanda pequena

Nem sempre morar em apartamento é um empecilho para deixar o seu lar com a sua cara. Por exemplo, apesar de ser um espaço pequeno, é possível decorar a varanda com poucos itens e sem gastar muito. Ela é o lugar ideal para relaxar ou, ainda, receber os amigos em casa. Aprenda como transformá-la em um cômodo aconchegante em poucos passos.

Por ser pequena, é importante que a varanda esteja sempre organizada. Por isso, nada de entulhar coisas que você não usa mais ali, pois só ocupará mais espaço. Além disso, por ser um lugar que recebe luz diária, ela também é perfeita para cultivar plantas . Aprenda essas e outras dicas agora mesmo!

Como decorar a varanda pequena sem grandes reformas

Sofá em L

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Uma das melhores opções para otimizar o espaço da sua sacada é investir em sofás no formato de um “L”. Eles ocupam pouco espaço e ainda possuem vários assentos, tornando o espaço perfeito para receber familiares ou amigos. Para deixá-los mais confortáveis, aposte em almofadas e travesseiros.

Mesinhas

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Para quem gosta de fazer suas refeições na varanda, nada melhor do que investir em uma mesa. Existem diversas opções, desde as dobráveis até as que imitam um balcão, tudo depende da sua preferência. As de madeira dão um charme rústico e romântico para a sacada, mas também existem opções de vidro, ferro ou plástico.

Cesto de balanço

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Está precisando tirar um tempo para relaxar? Que tal experimentar um cesto de balanço? Esse item se tornou o queridinho das influenciadoras pelo mundo e, além de ser muito confortável, também traz um ar vintage para a sua decoração.

Bancos de madeira com espaços para guardar objetos

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Sabe aqueles objetos que estão sempre jogados em um canto da casa? Pois saiba que dá para guardá-los na varanda sem comprometer a sua decoração. Basta apostar nos bancos com espaços de armazenamento embaixo do assento. Além disso, também dá para colocar livros ou velas e trazer um charme a mais para a sacada.

Rede de descanso

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Outra opção para relaxar são as famosas redes. Elas são perfeitas para deitar e ler um livro ou, até mesmo, tirar um cochilo. Muitas vezes, o único espaço para elas são nas varandas e, além de serem super confortáveis, também podem harmonizar com a decoração. Basta escolher um modelo e uma cor que combinem com o resto do ambiente.

Jardim vertical

como decorar a varanda
Foto: Reprodução/Pinterest

Para os amantes de plantas, a melhor opção para decorar a varanda é investir em um jardim vertical. Ele dá uma cara totalmente nova para qualquer ambiente, além de ser moderno e elegante, perfeito para quem tem pouco espaço e quer trazer mais verde para a casa.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Doença do Silicone: “Os sintomas me impediram de ter uma vida ativa e feliz”

Publicado

por


source

Não é raro conhecer mulheres que sonham em colocar próteses de silicone para aumentar os seios. A mamoplastia de aumento é a cirurgia estética mais buscada no Brasil — país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo –, sendo responsável por 22,5% do total, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. 


explante
Instagram/@babimatteelli

Após oito anos e diversos sintomas da síndrome de ASIA, Barbara retirou os implantes de silicone



De acordo com pesquisa da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), houve um crescimento de 6,1% de 2017 para 2018 do número de cirurgias de aumento de seios, e 27,6% em comparação com 2014. Em 2018, 275.283 mulheres colocaram prótese mamária. Porém, além dos riscos que qualquer cirurgia oferece, os implantes de silicone podem desencadear um distúrbio pouco conhecido pelas pacientes.

A Síndrome de ASIA, que está se popularizando pelo nome de Doença do Silicone, é uma síndrome inflamatória e autoimune que pode ser manifestada por mais de quarenta sintomas diferentes. Segundo a médica reumatologista Claudia Goldenstein Schainberg, entre eles estão: a mialgia, miosite ou fraqueza muscular; artralgia e/ou artrite; fadiga crônica, sono não repousante ou distúrbios do sono; manifestações neurológicas; alteração cognitiva, perda de memória; febre, boca seca e síndrome do cólon irritável.

Barbara Matteelli, de 28 anos, foi uma das mulheres acometida pela síndrome, o que a levou a fazer um explante (retirar as próteses). “Quando decidi colocar próteses de silicone a minha vida mudou, mas não do jeito que eu esperava que mudasse. Minha autoestima não melhorou, eu não virei modelo de biquíni, nem arrumei um príncipe encantado”, diz.

Ela conta ter sentido aumento de sono e cansaço, dores musculares e nas juntas, olhos secos e irritados, queda de cabelo, dores de cabeça, depressão, ansiedade, déficit de atenção. Como os sintomas não pareciam estar relacionado a nenhuma doença, ela foi a médicos e fez exames que não indicaram nenhum tipo de anormalidade.

“Os meus vinte e poucos anos não foram como eu esperava, esses sintomas me impediram de ter uma vida ativa e feliz, não conseguia viajar, nem estudar, nem me manter muito tempo em um emprego, de uma adolescente que adorava sair e curtir virei uma adulta anti social e pacata. Já tinha desistido de encontrar qual era meu problema e aceitei que viveria assim o resto da minha vida”, conta.

Barbara foi apresentada à doença do silicone por uma publicação no Facebook, em um grupo de mulheres com próteses de silicone. A publicação era um relato descrevendo os sintomas da síndrome de ASIA e ela imediatamente se identificou. A partir daí, aproximadamente um ano atrás, começou a jornada de Barbara para se libertar desses sintomas.

“Primeiro, procurei um mastologista para que me desse uma guia para fazer uma ressonância magnética da mama para checar como as próteses estavam. O médico disse que por protocolo do plano de saúde ele só poderia emitir guia de ressonância para casos em que havia suspeita de câncer. Depois resolvi consultar um reumatologista. Quando contei sobre meus sintomas e que eles provavelmente estavam ligados a Síndrome ASIA ele riu de mim, disse que eu sofria de fibromialgia e me passou um antidepressivo — que eu já tomava desde que coloquei as próteses”, relata a moça.

Sem um médico que comprovasse o diagnóstico da síndrome de ASIA, o explante não poderia ser feito pelo plano de saúde. Em uma clínica particular, com um médico confiável, o procedimento sairia em torno de 15 mil reais. Como Barbara estava sem emprego, precisou da ajuda de sua mãe para conseguir fazer a cirurgia.

Sobre possíveis tratamentos para quem não quer fazer o explante, Claudia explica. “Inicialmente, pode-se inicialmente tentar controlar os sintomas com paliativos, mas na ausência de resolução e progressão dos sintomas, a remoção do agente iniciador (as próteses) deve ser considerada porque induz melhora do quadro clinico”.

“Hoje, um pouco mais de um mês de cirurgia eu sinto um alívio no peito quando respiro fundo, parece que o ar entra com força nos pulmões, alguns dos sintomas aos poucos tem melhorado, sei que é um processo longo, o corpo precisa de tempo para se desintoxicar, mas eu nunca estivesse tão feliz com a minha aparência e hoje pela primeira vez depois de oito anos eu sinto esperança de que vou poder ter uma vida saudável, ativa e feliz”.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana