conecte-se conosco


Educação

Unemat divulga locais de prova do Vestibular 2019/2; clique aqui e confira

Publicado

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) divulgou na tarde desta sexta-feira (24) os locais de prova do Vestibular 2019/2, que ocorrerá no mês que vem em Tangará da Serra e outras 17 cidades de MT.

Para conferir o local da prova clique aqui!

A primeira etapa do vestibular, com quatro provas objetivas com questões sobre Ciências da Natureza e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências Humanas e suas tecnologias, e Linguagens, Códigos e suas tecnologias será no dia 9 de junho, das 8 às 13 horas. Já a segunda etapa terá prova de redação. São 3.020 vagas em 72 cursos, distribuídos em 16 municípios do Estado.

Além de Tangará da Serra, as provas serão aplicada nas cidades de Água Boa, Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Brasnorte, Cáceres, Campos de Júlio, Colíder, Comodoro, Cuiabá, Diamantino, Juara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Rondonópolis e Sinop, dentre as quais o candidato deve optar no ato da inscrição.

De acordo com o edital, a Unemat vai destinar 30% das vagas para estudantes de escolas públicas, 25% para candidatos pretos e 5% para candidatos indígenas. As outras 40% das vagas são para ampla concorrência.


O resultado final será divulgado a partir do dia 26 de julho. O período letivo terá início no dia 5 de agosto, e o curso de Medicina está previsto para dia 7 de outubro.

Leia mais:  Professores de três cursos da Unemat, não aderem Greve Geral em Tangará da Serra

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Alunos visitam Sicredi e recebem orientações sobre educação financeira

Publicado

Educação financeira e cooperação foram o pano de fundo de uma visita de cerca de 30 alunos de uma escola da rede municipal de Tangará da Serra a uma agência do Sicredi, na manhã desta terça-feira (25).

Cedo da manhã, acompanhados de professores, os alunos do Centro Municipal de Educação Fundamental Fausto Masson, do bairro Morada do Sol, embarcavam no ônibus que os esperava em frente à escola. Em poucos minutos, a turma do 4º ano fundamental era recepcionada por profissionais do Sicredi, liderados pelo coordenador de Comunicação e Programas Sociais, Giorgie Guido da Luz.

Alunos assistiram a uma pequena palestra que incluiu instruções sobre educação financeira

O encontro entre os estudantes e a instituição de crédito teve como base o projeto “União Faz a Vida”, mantido há 24 anos pelo Sicredi e que hoje atende a quase 2 mil escolas e 300 mil alunos. O objetivo do programa é auxiliar as crianças numa visão de mundo e de compreensão sobre o modo de organização econômica e social que se deseja reafirmar.

A Economia de Maria

Os alunos já chegaram na agência do Sicredi com uma boa base para compreender o que seria transmitido pelo banco durante a visita. Orientando os alunos na atividade, o professor Elizeu Lima disse que “o Sicredi é o cofrinho”.

O educador se referia à historinha ‘A Economia de Maria’, da escritora Telma Guimarães, onde as gêmeas Helena e Maria ganham lindos cofrinhos da madrinha. Mas uma delas – Helena –  não guarda dinheiro e compra tudo o que vê, enquanto Maria, desde pequena, já sabe poupar, imaginando que economizar só vai fazer bem. “É uma história que demonstra que saber gastar sem exageros é a melhor forma de lidar com o dinheiro. E o banco, aqui, pode ser imaginado como o cofrinho onde se guarda o dinheiro”, explicou Elizeu.

Leia mais:  Agricultura familiar: Município promove chamada pública para atender alimentação escolar

Dentro deste contexto literário, os alunos assistiram a uma pequena palestra de Giorgie da Luz que incluiu instruções sobre educação financeira, com direito a três filmezinhos da Turma da Mônica. Nos filmes, os personagens passaram mensagens sobre orçamento familiar, como a família ganha seu dinheiro para subsistência, a importância da poupança, controle de despesas, diferenças e vantagens entre pagamentos à vista e à prazo, e outras orientações, tudo em linguagem didática.


Após a palestra, os alunos ganharam, cada um, três gibis da Turma da Mônica, todas com temas voltados à educação financeira.

Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Tribunal de Justiça nega ação do Sintep e confirma obrigação de cortar ponto dos servidores

Publicado

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou pedido contido em ação movida pelo Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) e manteve a obrigação do Estado em cortar o ponto dos servidores que se ausentarem do seu expediente em razão de greve.

Parte dos servidores da educação estadual está em greve desde o dia 27 de maio.

A decisão foi dada na última quarta-feira (19) pela desembargadora Maria Erotides Kneip. Parte dos servidores da educação estadual está em greve desde o dia 27 de maio. Com a determinação, a magistrada confirma o entendimento já consolidado no TJ-MT e no próprio Supremo Tribunal Federal (STF). Na ação, o Sintep-MT alegou que a greve ocorre dentro da legalidade e que é o Estado quem tem tomado condutas ilegais ao não atender a certas reivindicações e determinar o corte de ponto dos grevistas.Todavia, a desembargadora Maria Erotides discordou dos argumentos do sindicato. Ela reforçou que não há qualquer prova de que o Estado cometeu ato ilícito.

“O não atendimento a todos os pedidos apresentados não podem ser entendidos como negativa de acordo, especialmente se considerarmos que, dentre das reivindicações da categoria – sustentadas primordialmente na política salarial -, encontram-se algumas que esbarram na discricionariedade da Administração Pública”, citou.

Maria Erotides ressaltou que o STF determina que é dever do Poder Público descontar os dias de paralisação, “tendo em vista a suspensão do vínculo funcional”. “Assim, sem adentrar ao mérito da presente Ação, entendo que os argumentos apresentados não se mostram suficientes para sedimentar a concessão da tutela pretendida, razão pela qual indefiro o pedido de antecipação de tutela requerido”, decidiu ela, ao negar o requerimento do Sintep-MT.


A greve anunciada pelos professores da rede estadual pede melhorias na carreira e estrutura da Educação; o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores; o cumprimento da Lei que prevê o dobro do poder de compra para a categoria da Educação até 2023; e ainda o fim do escalonamento salarial.

Leia mais:  Professores e alunos protestam em ato pela Educação no Centro de Tangará da Serra

 

 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana