conecte-se conosco


Saúde

Tangará deixa a lista de municípios com risco “muito alto” de contaminação por Covid-19 em MT

Publicado

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou nesta segunda-feira (27) o boletim com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso.

Fonte: SES

Conforme o documento, dentre os 27 municípios do Estado na classificação com risco “muito alto” para o novo coronavírus, não consta mais Tangará da Serra. De acordo com a definição dos riscos é necessária a adoção de medidas restritivas para o controle da propagação do coronavírus nas cidades. Segundo o boletim, os municípios que estão na classificação de risco “alto” para a disseminação do coronavírus são: Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Várzea Grande, Cáceres, Primavera do Leste, Peixoto de Azevedo, Barra do Garças, Mirassol D’Oeste, Campo Novo do Parecis, Jaciara, Sapezal, Querência, Nova Mutum, Poconé,  Nova Xavantina, Nova Olímpia, Nova Canaã do Norte, Barra do Bugres, Colniza, Tourixoréu, Guiratinga, Santa Terezinha, Jangada, Brasnorte, Castanheira, Carlinda e Araguainha.

 

O sistema de classificação que indica o nível de risco é definido por cores: muito alto (vermelho), alto (laranja), moderado (amarelo) e baixo (verde). Dentre os níveis, Tangará da Serra, que esteve nas últimas semanas, no índice vermelho, figura entre as cidades com risco moderado.  Os indicadores de classificação de risco são atualizados duas vezes por semana e os resultados são divulgados nos Boletins informativos da SES.

Comentários Facebook

Saúde

São Paulo promete entregar 40 milhões de doses da CoronaVac até abril

Publicado

por


source
Butantan promete entrega de 40 mil doses até abril
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Butantan promete entrega de 40 mil doses até abril

O governador João Doria reforçou, na manhã desta terça-feira (26), a expectativa de que o Instituto Butantan produza 40 milhões de doses da vacina CoronaVac até abril. A afirmação foi feita após a confirmação do envio de 4,5 mil litros de insumos que deverão chegar ao Brasil no dia 3 de fevereiro.

“Na sequência, após os 4,5 mil litros iniciais, há outro volume de 5,6 mil litros que está processo avançado de liberação, totalizando 11 mil litros, para a produção de vacinas”, frisou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. Segundo ele, a chegada de 5,4 mil litros de insumos vai originar 8,6 milhões de doses até 20 dias depois que se cumprir o ciclo de controle de qualidade.

Covas aina lembrou que as doses já produzidas com os insumos recebidos anteriormente começarão a ser liberados diariamente ao Ministério da Saúde a partir de sexta-feira, 29.

Com os dois lotes, o diretor afirma que o Butantan voltará ao esquema inicial de entregas ao Ministério da Saúde, com expectativa dos 40 milhões de doses até abril, com possibilidade de fornecer ainda outras 54 milhões de doses. O Butantan, porém, reforçou a urgência com que o Ministério da Saúde deve sinalizar o interesse ou não de aumentar o lote.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Ministério estima remoção de cerca de 1,5 mil pacientes de Manaus

Publicado

por


source

Agência Brasil

Expectativa é transferir 1,5 mil pacientes de Manaus para outras capitais
Reprodução: iG Minas Gerais

Expectativa é transferir 1,5 mil pacientes de Manaus para outras capitais

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje (26) que o governo federal espera transferir do Amazonas para outros estados cerca de 1,5 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus.”Nosso objetivo é chegar a algo em torno de 1,5 mil pessoas removidas”, afirmou Pazuello ao participar, em Manaus, da cerimônia de reabertura do Hospital Nilton Lins para atendimento a pessoas em tratamento de covid-19.

“Isso é para que possamos equilibrar a demanda e a oferta por leitos em Manaus”, afirmou o ministro. Ele disse que perto de 300 pessoas já foram transportadas em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo o último balanço divulgado pelo governo do Amazonas, a lotação de hospitais públicos e privados de todo o estado em decorrência do aumento do número de casos, após as festas de fim de ano, motivou a transferência de 277 pacientes para 11 estados: Acre, Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte e para o Distrito Federal.

Ao discursar ao lado do governador do Amazonas, Wilson Lima, o ministro Pazuello disse que “o salto da contaminação” pelo novo coronavírus verificado neste início de ano é fruto de uma “situação completamente desconhecida” que fez com que o número de casos da doença quase triplicasse de forma “muito rápida”.Segundo Pazuello, parte da situação se explica pela ação de uma nova variante do novo coronavírus.

“Estamos observando que é uma cepa diferente. Mandamos todo o material coletado para a Inglaterra, para que seja estudado em Oxford, para termos uma posição exata sobre o grau de contaminação e de agressividade desta nova cepa”, destacou o ministro.

Você viu?

Medidas

Ao elencar medidas de enfrentamento à pandemia já implementadas no Amazonas, em conjunto com o governo estadual e prefeituras, Pazuello afirmou que a falta de oxigênio hospitalar já foi equacionada, permitindo inclusive o funcionamento de novos leitos hospitalares.

Além do Hospital Nilton Lins, reaberto hoje, o governo do estado e o Ministério da Saúde vão inaugurar amanhã a enfermaria de campanha que o Exército montou na área externa do Hospital Delphina Aziz, em Manaus.Segundo o ministro, a enfermaria com 50 leitos clínicos segue o modelo preconizado pelo SUS.

“Fizemos um modelo que eu considero que é exatamente o modelo que o Ministério da Saúde preconiza. Que é desdobrar uma enfermaria de campanha em proveito de um hospital, usando a estrutura já contratada pelo hospital. Rapidamente você progride ao lado [do hospital] com uma enfermaria pronta.

“Pazuello ressaltou que as 452 mil doses de vacina contra o novo coronavírus já entregues ao governo do estado devem ser empregadas para iniciar a vacinação de indígenas aldeados; idosos que vivem em instituições de longa permanência (asilos, abrigos etc) e cerca de 87% dos profissionais de saúde do estado.

“Proporcionalmente, o Amazonas é o estado que mais recebeu doses. Além disso, em comum acordo com os demais governadores, fizemos um fundo com 5% de todas as vacinas que chegarem ao Brasil para atender a áreas mais impactadas. Com isso, a cidade de Manaus recebeu 100 mil doses de vacinas extras para atender os idosos acima de 70 anos.”

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana