conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

BemRural

Supervisores da Aprosoja fazem revisitas em propriedades Soja Plus

Publicado

Sustentabilidade

Supervisores da Aprosoja fazem revisitas em propriedades Soja Plus

Até o momento, equipe da associação esteve em mais de 40 fazendas de Mato Grosso


Divulgação

21/09/2018

Os supervisores de projetos da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) estão em campo realizando desde o mês de agosto revisitas em propriedades rurais participantes do Soja Plus. 
 
O programa foi desenvolvido pela Aprosoja em 2011 e foca na adequação de propriedades rurais do Estado, com base em leis ambientais, trabalhistas e sociais. “Falamos também que o Soja Plus é um programa de melhoria contínua nestas propriedades. Sendo assim, a meta de realizar novas visitas aos locais que já estivemos significa acompanhar as mudanças e adequações que nossos associados têm feito”, explica a gerente de Sustentabilidade da Aprosoja, Marlene Lima. 
 
Os supervisores de projetos são colaboradores da Aprosoja que atuam no campo. No total, são 14 profissionais, sendo seis na Região Norte, quatro na Região Leste, dois na Região Oeste e também dois na Região Sul. Até o momento, os colaboradores realizaram mais de 40 revisitas e elas continuarão até o fim deste ano.
 
O Soja Plus – Produtores rurais interessados em aderir ao Soja Plus devem realizar, inicialmente, o curso sobre a Norma Regulamentadora 31 (NR31), que foca em qualidade de vida no trabalho. 
 
Após o curso, o supervisor de projetos vai até as fazendas dos participantes e verifica as adequações necessárias às propriedades, além de fornecer materiais como cartilhas de construções rurais e placas orientativas para serem colocadas em estruturas da fazenda como refeitórios, oficina e alojamentos. 
 
As revisitas – Para uma revisita ocorrer, a equipe na sede da Aprosoja faz acompanhamento de todas as propriedades participantes do Soja Plus e os principais critérios são a data da última visita e alguma adequação realizada. A média entre a primeira visita e esta segunda é de dois anos. Após a avaliação, a equipe entra em contato com o produtor rural e a revisita é marcada. 
 
Números – Atualmente, são 1.111 propriedades rurais em Mato Grosso participantes do Soja Plus. A atual diretoria da Aprosoja tem como meta dobrar o número de propriedades até 2020. No início deste ano, eram pouco mais de 900 fazendas. Interessados em participar do programa podem entrar em contato por meio do número 65 3026-8100. 
 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: [email protected]

Comentários Facebook

BemRural

Após “luta” de 1h30, jaú de 150 kg é pescado e solto novamente no rio em Tangará

Publicado

Foto: G1

Uma “luta” travada entre pescador e peixe levou cerca de uma hora e meia. Mas não era qualquer peixe. O animal em questão trata-se de um jaú que pesa cerca de 150 quilos. Essa história, que não é conversa de pescador, aconteceu em Tangará da Serra no rio Sepotuba e foi destaque no noticiário de Mato Grosso.

O empresário Lucas Torrente e seus amigos é que pescaram o jaú de 150 kg. Entre fisgar o bicho e levá-lo ate um barranco, se passaram uma hora e meia. Depois de toda essa peleia, o peixão foi solto e voltou para as águas do Sepotuba.

De acordo com o biólogo da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Valdo Troy, em entrevista concedida ao portal G1, um peixe deste peso é uma exceção e tem um papel essencial, que é controlar a população de peixes.

“Seria humanamente impossível brigar sozinho com um peixe daquele tamanho. Foi essencial a experiência junto com meus parceiros, porque o jaú é um peixe muito forte”, disse Lucas, que fisgou o bicho, ao portal. “Ele passava tranquilamente uns 150 kg. Se a gente submetesse ele a uma balança, poderia machucá-lo. Então, nós o soltamos e a dúvida ficou”, completou.

Continue lendo

BemRural

FRANGO/CEPEA: Demanda externa cresce; preços sobem no Brasil

Publicado

por


Cepea, 08/04/2022 – A maior demanda internacional pela carne de frango motivou altas nos preços domésticos da proteína, segundo informações do Cepea. Com menor disponibilidade interna de muitos produtos, como peito e filé, vendedores seguem elevando as cotações, buscando garantir a margem frente ao custo de produção ainda alto. Além das exportações, o período de início de mês, com o recebimento do salário por parte da população, também favoreceu as altas nos preços. De acordo com dados da Secex, 385 mil toneladas de carne de frango foram exportadas em março, quantidade 13,3% acima da observada em fevereiro e ainda 4,8% maior que a exportada em março/21. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana