conecte-se conosco


Nacional

Sobe para 165 o número de mortos em Brumadinho; 160 ainda estão desaparecidos

Publicado


Os trabalhos em Brumadinho começaram às 8h; 11 aeronaves foram utilizadas, além de 35 máquinas e 19 cães farejadores
Ricardo Stuckert/Fotos Públicas
Os trabalhos em Brumadinho começaram às 8h; 11 aeronaves foram utilizadas, além de 35 máquinas e 19 cães farejadores

Com a ajuda de 19 cães farejadores, as buscas por vítimas do rompimento da barragem 1 da Mina do Corrégo do Feijão, em Brumadinho (MG), entraram no 17º dia neste domingo (10). Até o momento, 165 mortes foram confirmadas e 165 pessoas continuam desaparecidas.


Leia também: Em 2018, governo de MG aprovou obras que colocavam Brumadinho em risco

Os trabalhos em Brumadinho
começaram às 8h. Onze aeronaves foram utilizadas, além de 35 máquinas. O efetivo, segundo o Corpo de Bombeiros mineiro, soma 352 militares, sendo 150 de Minas Gerais e 129 de outros estados, 64 da Força Nacional e nove voluntários.

Por ora, os trabalhos se concentram na usina ITM, na área administrativa, que engloba refeitório, casa e estacionamento. Buscas também estão sendo feitas na área da ferrovia, em áreas de acúmulo de rejeito e no Rio Paraopeba
. Ao todo, ainda de acordo com os bombeiros, são 35 equipes em campo.

A área de buscas foi dividida em quase 200 “micropontos”. Segundo o tenente-coronel Eduardo Ângelo, do Corpo de Bombeiros, o objetivo é possibilitar o maior alcance possível dos trabalhos. “Nossa expectativa é que, dentro em breve, a gente consiga varrer toda área à medida que a gente for encerrando as quadrículas [micropontos]”, explicou

Leia mais:  Deslizamento em morro de Niterói, no Rio, deixa ao menos três pessoas mortas

A tragédia


Após a tragédia de Brumadinho, dois engenheiros e três funcionários da Vale foram presos; os cinco, porém, já estão soltos
Isac Nóbrega/Presidência da República
Após a tragédia de Brumadinho, dois engenheiros e três funcionários da Vale foram presos; os cinco, porém, já estão soltos

No início da tarde de 25 de janeiro, a barragem 1 da Mina do Corrégo do Feijão, que pertence à Vale e está localizada em Brumadinho, cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte, se rompeu. O município foi invadido pela lama e pelos rejeitos de minério, deixando centenas de mortos e feridos.

Muitas das vítimas são funcionários ou terceirizados da própria Vale
, que tinha um complexo administrativo no local. O refeitório da empresa ficava muito perto da barragem rompida e foi totalmente soterrado.

Integrantes do Governo Federal já admitiram que não será possível resgatar os corpos de todas as vítimas da tragédia. “Este é um episódio de muita gravidade. Algumas pessoas, triste e lamentavelmente, não serão recuperadas”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, após reunião do comitê de crise montado para acompanhar a situação.

Leia também: Inhotim reabre neste sábado e promete ajudar na recuperação de Brumadinho

Após a tragédia de  Brumadinho
, dois engenheiros que atestaram a segurança da barragem, além de três funcionários da Vale, foram presos. Os cinco já foram soltos. O governo afirmou que “tomará medidas” para impedir tragédias parecidas e falou em aumentar a fiscalização. Ainda em recuperação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) viajou à cidade mineira antes de ser internado.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Bolsonaro comenta terror no Sri Lanka: “Extremismo deixa rastros de morte e dor”

Publicado

por


Bolsonaro
Alan Santos/PR
Bolsonaro comentou a onda de ataques terroristas no Sri Lanka

O presidente Jair Bolsonaro comentou a onda de ataques terroristas que já  mataram mais de 200 pessoas
no Sri Lanka neste domingo (21). O brasileiro se solidarizou com as vítimas do terrorismo e condenou o “extremismo”.


Leia também: Líderes mundiais falam sobre atentado que deixou mais de 100 mortos no Sri Lanka

“Mesmo neste dia sagrado, o extremismo deixa rastros de morte e dor. Em nome dos brasileiros, condeno os ataques que deixaram centenas de vítimas no Sri Lanka, inclusive em igrejas, onde se celebrava a Ressurreição de Cristo. Que Deus possa confortar os que agora sofrem”, escreveu Bolsonaro
.

Outros líderes mundiais como Donald Trump, Theresa May, Emmanuel Macron, Angela Merkel e Justin Trudeau também fizeram comunicados oficiais para lamentar os ataques terroristas
.

Até agora, já foram contabilizados 207 mortos e mais de 400 feridos em oito explosões em diversas áreas do Sri Lanka
. Três igrejas cristãs e três hoteis de luxo estão entre os alvos. Nenhum grupo reividicou o ataque até o momento. Sete pessoas já foram presas em conexão com os ataques.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Leia mais:  Decisão de Marco Aurélio pode beneficiar mais de 169 mil presos em todo o País
Continue lendo

Nacional

Líderes mundiais falam sobre atentado que deixou mais de 100 mortos no Sri Lanka

Publicado

por

Pelo menos 185 pessoas morreram e cerca de 400 ficaram feridas neste domingo (21) após uma série de explosões registradas em três igrejas e hotéis de luxo no Sri Lanka, onde vários cristãos comemoravam o Domingo de Páscoa.  Fontes hospitalares afirmam 469 feridos. O governo decretou um toque de recolher de 12 horas no país a partir das 18h no horário local (9h30, em Brasília) devido ao atentado.


Leia  também: Atentado em escola deixa ao menos 18 mortos na Crimeia; autor era um aluno


Líderes mundiais. Papa, Trump e Erdogan
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente do Sri Lanka,  Maithripala Sirisena
, pediu calma ao país após o atentado
. “Por favor, fiquem calmos e não sejam enganados por rumores”, declarou ele em mensagem à nação. 

Leia também: Número de mortos em atentado com carro-bomba na Colômbia sobe para 21

Após o posicionamento do presidente, uma série de líderes mundiais e personalidades de destaque mandaram mensagens de apoio ao país. Entre eles estão o Papa e Donald Trump.

  • Papa

Papa
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O Papa Francisco expressou a sua “tristeza” perante o ataque no país governado por Maithripala Sirisena neste domingo de Páscoa, mostrando-se próximo de “todas as vítimas de tal violência cruel”.

“Soube com tristeza e dor as notícias sobre os graves ataques, que precisamente hoje, Páscoa, levou luto e dor às igrejas e outros lugares onde as pessoas estavam reunidas no Sri Lanka”, disse ele diante de uma multidão que acompanhava as celebrações na Praça de São Pedro, no Vaticano.

  • Donald Trump
Leia mais:  Novo vídeo mostra que Adélio cercou Bolsonaro antes de ataque

Trump
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
, também prestou “condolências” sobre o ocorrido: “138 pessoas foram mortas, com mais de 600 gravemente feridas, em um ataque terrorista em igrejas e hotéis. Os Estados Unidos oferecem sinceras condolências ao grande povo do Sri Lanka. Estamos prontos para ajudar!”

  • Frank-Walter Steinmeier

Frank-Walter Steinmeier
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente-federal da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, mandou mensagens de apoio ao Presidente de Sirisena. “Atordoado e horrorizado… assim acompanho as terríveis notícias dos covardes ataques terroristas no Sri Lanka, que mataram tantas pessoas inocentes e feriram muitas outras”, disse ele em sua conta do Twitter.

  • Recep Tayyip Erdoğan

Presidente da Turquia
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O Presidente da Turquia falou sobre o assunto em sua conta oficial do Twitter. Em seu comunicado, ele se soladarizou com o ocorrido. “Desejo a paz para todos os cristãos, os nossos cidadãos cristãos em particular, e sinceramente cumprimentá-los pela ocasião da Páscoa”.

  • Theresa May

Theresa Mayu
Divulgação
Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido

A primeira-ministra do Reino Unido e Líder do partido conservador desde 2016, Theresa May, falou sobre os ataques no Sri Lanka, como todos, por meio de sua conta oficial do Twitter.

Leia mais:  Desembargador determina soltura do ex-presidente Michel Temer

“Os atos de violência contra as igrejas e os hotéis no Sri Lanka são verdadeiramente terríveis, e as minhas mais profundas condolências saem a todos os afetados neste momento trágico. Temos de nos unir para garantir que ninguém tenha de praticar a sua fé com medo”, disse.

Leia também: Atentado terrorista deixa ao menos três feridos frente ao Parlamento de Londres

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), ainda não se posicionou sobre o atentado
no Sri Lanka.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana