conecte-se conosco



Mato Grosso

Sesp-MT lamenta morte de membros do Sintep-MT

Publicado

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) lamenta o falecimento da presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep-MT) e ex-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM), Jocilene Barboza dos Santos e do secretário de Articulação Sindical e ex-presidente do sindicato, Júlio César Martins Viana, que voltavam de uma agenda em Juara, quando foram vítimas de um acidente automobilístico na BR-163. Ela integrou a Câmara Temática de Defesa da Mulher da Sesp em 2017 e ao longo de 2018, sempre empenhada em garantir políticas públicas de proteção e enfrentamento à violência contra mulheres.

A Sesp-MT considera uma grande perda para Mato Grosso, tanto pela defesa incansável dos direitos da mulher quanto pela atuação em prol de uma educação pública de qualidade. Estende, ainda, os sentimentos de solidariedade e respeito aos familiares nesse momento difícil.

Também é motivo de pesar o falecimento de Julio Cesar Martins Viana, secretário de Articulação Sindical do Sintep-MT, no mesmo acidente que vitimou Jocilene Barboza. A Sesp-MT reitera os pêsames aos familiares e amigos, com votos de que sejam confortados.

O velório ocorrerá na Capela Jardins, em Cuiabá, nesta segunda-feira (03.12). O horário ainda será definido.

Comentários Facebook
Leia mais:  Seduc inaugura quadras poliesportivas em Jaciara e Juscimeira
publicidade

Mato Grosso

Em quatro anos, Centros de Referência realizaram 6.400 atendimentos

Publicado

por

Nesta semana, o mundo celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e em  Mato Grosso, o Estado criou políticas públicas para auxiliar a população no que preconiza o documento em relação aos direitos básicos a todos os cidadãos, independentemente de cor, raça, nacionalidade, orientação política, sexual ou religiosa. A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) tem vinculados em sua estrutura quatro conselhos voltados à temática e dois Centros de Referência em Direitos Humanos (CRDH), sendo um em Cuiabá e outro na região de fronteira, em Cáceres, que atenderam nos últimos quatro anos 6.424 pessoas. 

De 2015 a 2018, o CRDH de Cuiabá atendeu 662 pessoas, sendo a maioria da procura relacionada a crimes de homofobia. Já o Centro de Referência de Cáceres atendeu nesse período 442 pessoas por meio de demanda espontânea e os serviços itinerantes beneficiaram 5.320 pessoas com formação em Direitos Humanos. Os atendimentos são resultados de denúncias presenciais ou por meio do Disque 100, visitas e outras atividades, como palestras, seminários e capacitações.

O coordenador do Centro de Referência em Cuiabá, Everton Cristian Oliveira, explica que o papel da unidade é possibilitar o acesso da população de baixa renda a serviços essenciais como, por exemplo, assistência jurídica e documentação civil básica. Os Centros também estimulam o debate sobre cidadania influenciando positivamente na conquista dos direitos individuais e coletivos. “Os Centros atuam em prol  da humanização, emancipação do ser humano e da transformação social para realidades mais justas e igualitárias”, acrescenta.

Leia mais:  Seduc inaugura quadras poliesportivas em Jaciara e Juscimeira

A coordenadora do CRDH de Cáceres, Polianna Correa, destaca que a unidade atua em três frentes: atendimento de denúncia relacionada à violação de direito; formação em direitos humanos e articulação com a rede de proteção e de diretos.

Atendimentos

Em ambos locais, assim que a pessoa recebe o atendimento a demanda pode se desdobrar em um ou mais procedimentos como orientação jurídica, atendimento psicológico, social e psicossocial. Depois as denúncias recebidas são encaminhadas aos órgãos competentes, articulando com a rede sócio-assistencial e demais políticas setoriais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Investimentos e planejamento fizeram a diferença na Segurança Pública

Publicado

por

O governador Pedro Taques recebeu nesta segunda-feira (10.12) a equipe da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) para conferir o balanço das ações desenvolvidas pela pasta entre 2015 e 2018. Entre os principais avanços apontados, estão os investimentos em inteligência e a integração do sistema de segurança.

Mato Grosso criou em 2016 o Plano Estadual de Inteligência (PEI), com vigência até 2019, um dos primeiros a serem elaborados no país. O Plano é dividido em 10 eixos, que são trabalhados em conjunto por células organizadas de inteligência, em que participam representantes da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Perícia e Identificação Técnica (Politec).

Além disso, de janeiro de 2015 a setembro de 2018 o Governo do Estado investiu mais de R$ 3,9 milhões em inteligência. Como resultado, nesse período houve uma redução nos índices de criminalidade em todo o estado. Os latrocínios reduziram 21% e os roubos 23,4% em Mato Grosso.

“Em 2014 tínhamos uma média de 1.300 homicídios ao ano no estado. Nós vamos entregar o governo com menos de mil mortes ao ano, cerca de 28 mortos por 100 mil habitantes, abaixo da média nacional que é de 30,3 para 100 mil. Podemos afirmar que nossas ações foram vitais para preservar vidas, pois esta gestão olhou para o bem estar do cidadão”, destacou o secretário de Segurança Pública, Gustavo Garcia.

Integração e combate ao crime organizado

O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) atendeu 1.970.335 ocorrências de janeiro de 2015 a setembro de 2018 por meio da Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC) e Corpo de Bombeiros Militar. A maior parte dos atendimentos, cerca de 69%, foram realizados pela PM.

Leia mais:  Banco de dados periciais é utilizado para criação de ferramenta de análise forense

Em 2017 foram realizadas 44 operações integradas entre as forças, que resultaram na apreensão de 1,3 tonelada de drogas, 2.670 veículos e 478 armas de fogo. Além disso, 611 veículos roubados foram recuperados.

Só de janeiro a julho de 2018, 54 operações foram feitas, com apreensões de 1.699 veículos e 228 armas de fogo e a prisão de 1.923 pessoas. Entre janeiro e outubro de 2018, foram apreendidos 11.589,394 quilos de drogas.

“Esta integração das forças foi uma das marcas do governo Pedro Taques. Hoje fazemos operações que enfrentam o crime organizado com inteligência, voltadas a desarticular, de fato, esses grupos. Trabalhando juntos a gente conseguiu fortalecer todo o sistema de segurança pública e, por consequência, fortalecer o sistema de justiça criminal”, apontou.

Pessoal mais qualificado

Segundo o chefe da pasta, outro fator importante foi o aumento do efetivo. Entre 2015 e 2018 as forças de segurança tiveram um incremento de 3.663 servidores, lotados na Policia Militar, Polícia Judiciária Civil, Departamento de Trânsito (Detran), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Corpo de Bombeiros Militar.

“A vinda desses novos servidores deu um oxigênio muito importante para que a gente alcançasse bons resultados. Mas a capacitação também foi uma constante nessa gestão. Foram diversas ações que permitiram a atualização, aperfeiçoamento e especialização dos servidores públicos, além de fomentar a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias para a Segurança Pública”. 

Leia mais:  Programa de Demissão Voluntária do governo começa a receber adesões

No primeiro ano da gestão Pedro Taques foi criado o Núcleo da Escola Superior de Inteligência de Mato Grosso (Esimat). Da data de sua criação até outubro de 2018, a Esimat capacitou 2.504 profissionais em 53 cursos, palestras, pós-graduações e seminários.

Segurança nas ruas

Entre janeiro de 2015 e setembro de 2018 foram realizadas 188 operações Lei Seca, principalmente durante feriados prolongados e fins de semana. Nesse período, 671 motoristas foram presos, a maioria por dirigir sob influência de álcool. Outras infrações, como dirigir sem cinto de segurança, geraram 6.209 autos de infração de trânsito (AIT) em blitzes realizadas em 16 municípios.

As ações são um trabalho conjunto da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), Batalhão de Policiamento de Trânsito Urbano e Rodoviário (BPMTRAN), Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e, em alguns municípios, das secretarias municipais de trânsito e/ou mobilidade urbana. Além disso, foram adquiridas 14 câmeras full HD GoPro para garantir a transparência durante as abordagens e gerar provas no caso de flagrantes.

“Consideramos nossa missão cumprida, com uma trajetória séria e transparente e com um planejamento técnico muito bem elaborado. No quesito segurança pública, conseguimos entregar, de fato, um estado muito melhor do que recebemos”, concluiu Gustavo Garcia.

Acompanhe outras ações de Segurança Pública no estado por meio do site da Sesp-MT: http://www.seguranca.mt.gov.br/.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana