conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Mato Grosso

SEPOTUBA: Pelo menos 95% dos tablados flutuantes estão em desacordo com a lei

Publicado

A Polícia Militar Ambiental percorreu recentemente um trecho de 50 quilômetros no rio Sepotuba, na região do Assentamento Antônio Conselheiro, em Tangará da Serra, e o diagnóstico foi preocupante.

O levantamento foi apresentado na audiência pública realizada na tarde de terça-feira (13.1) pelo Ministério Público. Dos 194 tablados pertencentes a pesqueiros situados no trecho, pelo menos 95% estão em desacordo com a legislação ambiental, com metragem inadequada e, muito provavelmente, sem o devido registro junto à Marinha do Brasil. Apenas uma dezena contam com a metragem permitida em lei, que é de 15 metros quadrados (5m x 3m).

Tablados com tambores parcialmente submersos podem se desprender, representando poluição e riscos às embarcações

Tablados com tambores parcialmente submersos podem se desprender, representando poluição e riscos às embarcações

Segundo o Tenente de Paula, que integrou a missão que realizou o levantamento no rio, os pesqueiros representam situações preocupantes em vários aspectos, incluindo desmate da mata ciliar para edificações irregulares, assoreamentos, tablados em situação precária (vários deles parcialmente submersos), cevas, banheiros e até casas flutuantes. “Estes tablados com tambores já submersos, podem se desprender com a correnteza, causando poluição no rio e representando riscos de colisão com as embarcações”, alertou o oficial PM.

Os dados do levantamento foram entregues ao Ministério Público Federal, que em conjunto com o Ministério Público Estadual avaliará a situação para imposição de medidas corretivas e de coibição.

Durante a audiência, os proprietários dos pesqueiros receberam a informação de que os tablados devem obedecer ao que preconiza o Decreto estadual 1.210/2012. Além da metragem máxima de 15 m², corrimãos de proteção e passarela de comunicação com a barranca do rio, os dispositivos precisam ter projeto técnico assinado por engenheiro civil, licenciamento na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e registro junto à Marinha, na Agência Fluvial de Cáceres. O custo principal do procedimento refere-se ao projeto, que pode superar a cifra de R$ 5 mil.

A maior parte dos tablados flutuantes integram pesqueiros estruturados na faixa de 100 metros da reserva legal dos lotes do Assentamento Antônio Conselheiro. A propriedade das estruturas é, em sua minoria, de trabalhadores rurais assentados, enquanto boa parte foi construída por terceiros, que compraram ou arrendaram as áreas. Em qualquer caso, segundo o MP, os flutuantes terão de ser regularizados, sob pena de retirada dos mesmos, além de multas e outras sanções.

Comentários Facebook

Cidades

Com ferro em brasa: Jovem marca nas costas nº 22 do partido de Bolsonaro

Publicado

Um jovem morador de Mirassol D’Oeste (204 km de Tangará da Serra) marcou com ferro em brasa o número 22 nas costas para “homenagear” o PL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

A atitude do jovem dividiu opiniões nas redes sociais e gerou várias críticas e piadas. Internautas de posicionamento político contra a gestão do atual presidente não economizaram em usar a palavra “gado” e outros sinônimos para reagir na foto do jovem.

Uma delas soltou “o gado já tá marcado”; outro usou “esse não some no meio da boiada”. Na lista de compartilhamentos da imagem há pessoas que moram no mesmo assentamento do jovem, o Roseli Nunes. A maioria delas vão contra a atitude do morador.

Segundo a imprensa local, o adolescente se marcou após um desafio entre amigos. Ele estaria em um leilão, ajudando na marcação dos gados, quando foi desafiado.

Mídia News

Continue lendo

Cidades

Mato Grosso tem a 4ª gasolina mais barata do país

Publicado

Mato Grosso tem o 4° preço mais barato do litro da gasolina no país, com R$ 6,99. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta terça-feira, 21.

O estado ficou em 16° lugar no ranking comparativo de maiores valores registrados do preço do combustível.

O valor em Mato Grosso está abaixo do preço médio do litro da gasolina no país, que ficou em R$ 7,232 na última semana. Os dados são referentes aos dias 12 a 18 de junho.

O preço médio mais alto foi verificado na Bahia (R$ 8,037). O maior valor cobrado foi encontrado foi no Rio de Janeiro (R$ 8,990). Já o menor foi registrado em um posto de São Paulo (R$ 6,170).

Em Mato Grosso, o preço mínimo registrado foi R$ 6,30 o litro. Como foi feita entre os dias 12 e 18 de junho, a pesquisa da ANP ainda não reflete totalmente o último reajuste anunciado pela Petrobras nas suas refinarias.

G1/MT

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana