conecte-se conosco


Mato Grosso

Seplag apresenta programa de atenção à saúde mental a gestores

Publicado

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), por meio da Coordenadoria de Saúde e Segurança da área Sistêmica, realizou nesta sexta-feira (17), a apresentação do Programa de Atenção à Saúde Mental aos secretários adjuntos, superintendentes, coordenadores e gerentes do órgão.

Durante o evento foram apresentados os objetivos do programa que visa identificar os principais fatores no ambiente de trabalho que estejam provocando mal-estar e sofrimento psíquico aos servidores visando o desenvolvimento de ações interventivas para a sua redução ou eliminação.

Entre os objetivos do programa também estão proporcionar espaços de acolhimento, escuta, orientação, acompanhamento e encaminhamentos de servidores que necessitem de algum tratamento especializado, conhecer a organização, o ambiente, os processos e as relações de trabalho e como eles podem estar causando algum tipo de desconforto e sofrimento ao servidor, bem como realizar intervenções que minimizem fatores de risco à saúde mental.

Ainda fazem parte do programa o desenvolvimento de ações de educação em saúde para a promoção da saúde mental e o monitoramento das ações desenvolvidas e seus efeitos na saúde mental dos servidores.

A Secretária Adjunta de Administração Sistêmica da Seplag, Eliane Albuquerque, pediu aos gestores que fiquem atentos às suas equipes, a problemas de saúde mental que seus liderados possam estar passando e que muitas vezes não são falados por quem está sentindo.

“Precisamos cuidar não somente dos processos do nosso dia a dia, mas também dos nossos liderados e colegas de trabalho. Muitas vezes o servidor está passando por algum problema e precisamos estar atentos para ajudá-lo”.

Leia mais:  Mãe Bonifácia, Zé Bolo Flô e Massairo Okamura voltam a fechar às 18h

A coordenadora de Saúde e Segurança no Trabalho da Secretaria Adjunta de Administração Sistêmica da Seplag, Grazielly Érika Rondina, explica que após o diagnóstico na pasta, o programa agora está indo para a segunda fase, que é a de planejar ações fundamentadas no diagnóstico situacional que contribuam com melhores condições de trabalho.

Programa

O programa faz parte da Política de Saúde e Segurança no Trabalho, instituída no âmbito estadual pela Lei Complementar 502/2013, e é encabeçado pela Coordenadoria de Segurança e Saúde no Trabalho da Seplag. Esta coordenaria capacita e orienta as áreas sistêmicas do Estado para que a política seja implementada nos órgãos e entidades do Executivo.

Além da Seplag já foram capacitadas equipes nas secretarias de Saúde, Fazenda, Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Departamento Estadual de Trânsito, Controladoria Geral do Estado, Polícia Judiciária Civil e Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária.

Para que o programa seja desenvolvido no âmbito dos órgãos e entidades do Executivo, ele precisa de uma equipe multiprofissional composta, no mínimo, por psicólogo, assistente social e enfermeiro.

De acordo com o Coordenador Geral do Programa, Flávio Jabra Peixoto, é muito importante que as equipes multidisciplinares dos órgãos tenham apoio do nível estratégico para que a política possa ser implementada de forma eficiente.

“Esse trabalho de forma preventiva reduz o absenteísmo. Primeiro fazemos a análise da situação, depois a promoção e prevenção, e por último, o monitoramento. Só assim poderemos ter uma política de prevenção à saúde mental efetiva”.

Leia mais:  Números de emergência da Sesp recebem 7.174 denúncias anônimas em 2018

 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

BemRural

PM recupera duas caminhonetes roubadas, prende dois e apreende defensivos agrícolas

Publicado

Em  Sorriso, policiais da Força Tática e do 12º Batalhão de Polícia Militar prenderam dois suspeitos, recuperaram duas caminhonetes roubadas e apreenderam grande quantidade de agrotóxicos e defensivos em uma propriedade rural no Distrito de São Luiz Gonzaga, localizada na MT-404, a 75 quilômetros da sede do município.

Foto:PMMT

Na fazenda ocorreu a prisão de J.D.R (25 anos) e a apreensão de dezenas de caixas de agrotóxico que teriam sido contrabandeadas do Paraguai, além das duas caminhonetes, uma modelo Fiat Toro e uma Chevrolet S10, uma com queixa de roubo e outra com o chassi adulterado. Lá também havia duas armas de fogo, um revólver calibre 22 e uma espingarda 28.

Essa fazenda teria sido arrendada por E.S.G.(47), suspeito de ser o dono dos produtos apreendidos. Na casa dele, na cidade de Sorriso, os policiais prenderam a suspeita k.C.G.(20 anos), que seria sua filha, e apreenderam diversas caixas de defensivos agrícolas. No caso da fazenda, os produtos apreendidos estavam em um galpão ao lado da moradia, local construído supostamente com a finalidade específica de armazenar defensivos e agrotóxicos.

A ação aconteceu na sexta-feira (17), a PM utilizou Drone para monitoramento da área onde ocorreriam as abordagens, exigiu trabalho de mais de 10 horas e empregou 9 policiais militares sob tenente-coronel Jorge Luiz de Almeida, comandante do 12º Batalhão.

E.S.G. (47), suposto arrendatário da fazenda e dono dos produtos apreendidos, ainda não foi preso.

Leia mais:  Avião retirado do tráfico começa a ser usado pelo Ciopaer

 

 

 

Fonte: Secom

Comentários Facebook
Continue lendo

Jurídico

Desembargador que vendia sentenças em MT deixará a prisão após 7 meses

Publicado

A Justiça concedeu a progressão para o regime semiaberto para o desembargador aposentado compulsoriamente, Evandro Stábile, que desde o ano passado, está preso em Cuiabá. Stábile foi condenado a seis anos de reclusão em regime inicialmente fechado, por aceitar e cobrar propina em troca de decisão judicial, quando atuava no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Mato Grosso.

A decisão de progredir a pena é do juiz Geraldo Fidelis, da Segunda Vara Criminal, que deve estabelecer medidas cautelares, como colocação de tornozeleira eletrônica, para que o desembargador deixe a cadeia. Evandro deve passar por audiência nesta segunda-feira (20), conforme informações divulgadas pelo portal Midia News.

O crime de corrupção passiva foi descoberto no curso das investigações da operação Asafe, na qual a Polícia Federal apurou um esquema de venda de sentenças. Na época da condenação, em 2015, a relatora da ação penal, ministra Nancy Andrighi, apontou que o desembargador aceitou e cobrou propina para manter a prefeita de Alto Paraguai no cargo. Ela perdeu as eleições, mas o vencedor teve o mandato cassado por suposto abuso de poder econômico.

O desembargador aposentado está preso desde o mês de setembro de 2018, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Foi a segunda vez que Stábile acabou atrás das grades. A primeira foi em abril de 2016, quando o desembargador se entregou acompanhado de advogados, em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela ministra Nancy.

Leia mais:  SES divulga local de prova para processo seletivo do Hospital Regional de Colíder

Evandro Stábile foi afastado de suas funções da magistratura em dezembro de 2010 e depois, em junho de 2016 foi punido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso com a aposentadoria compulsória. O que inclui o recebimento de salário proporcional ao tempo de serviço de 51 anos, 1 mês e 21 dias. Na época da aposentadoria, o salário que o magistrado continuaria a receber correspondia a R$ 38 mil.

 

 

 

 

Fonte:Só Notícias

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana