conecte-se conosco



Mato Grosso

Sema apreende 256 quilos pescado ilegal em linha de ônibus

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apreendeu cerca de 256 quilos de pescado ilegal, já que Mato Grosso está em período de piracema, em um ônibus que seguia de Barão de Melgaço para a capital, Cuiabá. Durante a apreensão realizada na última sexta-feira (23), os fiscais também encontraram 25 quilos de carne de jacaré, animal tem a caça proibida. De acordo com o coordenador de Fiscalização de Fauna (CFF), Julio Reiners, uma pessoa foi conduzida para a Delegacia Especializada de Meio Ambiente (DEMA).

Os peixes, inteiros e em filé, estavam escondidos em malas de roupas e sacos de lixo sem acondicionamento adequado para conservação da carne, tornando-a imprópria para o consumo humano.  Diante disso, o pescado foi doado para alimentação dos animais carniceiros que estão sob a guarda da Sema no Batalhão da Polícia Militar Ambiental (BPMPA), em Várzea Grande.

PIRACEMA

Iniciada em 1º de outubro em Mato Grosso, a Piracema é período em que os peixes estão em processo de reprodução. A pesca nesse período é crime e acarreta em prisão e multa que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil com acréscimo de R$ 20 reais por quilo de peixe encontrado. As permissões de declaração de estoque se encerrou no dia 3 de outubro.

A pesca amadora e o pesque e solte também estão proibidas neste período.

Leia mais:  Enem possibilita recomeço de vida a reeducandos de Mato Grosso

Na piracema só é permitida a pesca de subsistência, que é praticada por comunidades ribeirinhas que depende do peixe para sua alimentação. A cota diária por pescador (subsistência) será de 3 kg ou um exemplar de qualquer peso, respeitando os tamanhos mínimos estabelecidos pela legislação para cada espécie. Porém os ribeirinhos devem consumir os peixes imediatamente e não podem transportar ou comercializar o pescado.

Nos rios de divisa com outros estados, que são federais, a Piracema começa em novembro e termina em fevereiro. Nesses rios é permitido a pesca no mês de outubro, mas não pode realizar o transporte nem a comercialização deste pescado dentro de Mato Grosso.

A Sema-MT atende a população para dúvidas e denúncias pela ouvidoria 0800-65-3838, pelo site do órgão ou pelo aplicativo MT Cidadão.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Indea atende caso de raiva em bovinos em Alta Floresta

Publicado

por

A unidade do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT) de Alta Floresta, recebeu na última sexta-feira (07.12), uma notificação de possível doença nervosa em um bezerro recém-nascido, com pouco mais de 30 dias de vida. No mesmo dia, a equipe realizou a visita na propriedade, coletou material para exame e encaminhou para análise no Laboratório de Apoio à Saúde Animal (Lasa/Indea-MT).

Na segunda-feira (10.12), com a confirmação laboratorial de raiva, os animais da propriedade, 1.048 bovinos e quatro equinos, foram vacinados contra a doença. Equipes do Indea estão visitando cerca de 200 propriedades localizadas num raio de 12 quilômetros do local onde foi registrado o foco. Os bovinos e equídeos dessas propriedades também devem ser vacinados contra a raiva.

As equipes também iniciaram o trabalho de captura de morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva dos herbívoros, para reforçar o controle da doença na região.

Em 2016 foram registrados 35 focos de raiva em Mato Grosso. No ano de 2017 46 focos. E em 2018, contabilizando com este último, somam 21 focos.

Raiva dos herbívoros

A raiva dos herbívoros é uma doença causada por um vírus da família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus, sempre fatal. Acomete todos os mamíferos domésticos e silvestres. É uma zoonose, portanto, pode acometer o homem. O principal transmissor da raiva é o morcego hematófago (vampiro). O morcego doente elimina o vírus pela saliva quando se alimenta do sangue dos animais.

Leia mais:  Enem possibilita recomeço de vida a reeducandos de Mato Grosso

É Importante que o produtor observe diariamente, pela manhã, se os animais apresentam mordedura. Caso tenham sinais de modedura, informar ao Indea e solicitar o controle dos morcegos. O atendimento é gratuito. A captura do Desmodus rotundus é extremamente importante para o controle da raiva, pois evita a transmissão do vírus rábico em outras colônias de morcegos e o aparecimento da doença em novas regiões.

Para que tenhamos o controle efetivo da raiva é necessário realizarmos o controle da população de morcegos e a vacinação dos animais.

É importante que os produtores fiquem atentos aos sintomas da raiva no animal, que pode apresentar apatia, isolamento do restante do rebanho, agressividade, andar cambaleante, opacidade de córnea, dificuldade para engolir líquidos, dificuldade de defecar (fezes ressecadas), e paralisia dos membros. Ao se deparar com esse quadro deve-se procurar uma unidade local do Indea.

Orientações

Ao vacinar o rebanho contra a raiva, é importante que o produtor comunique ao Indea. E em caso de suspeita de um animal acometido pela doença é necessário tomar algumas medidas, como informar imediatamente o Indea do seu município ou notificar pelo telefone 0800 65 3015, nunca manipular o animal, isolar o animal do restante do rebanho. No caso de mordedura no homem ou contato com animais suspeitos, lavar o ferimento com água e sabão, e procurar o Serviço de Saúde imediatamente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

PM recupera carga da empresa Souza Cruz e apreende pistola com 18 munições intactas

Publicado

por

Policiais militares evitaram o roubo de uma caminhonete furgão Fiat Ducato da empresa Souza Cruz S/A. A tentativa ocorreu nas proximidades do Bope, quando dois indivíduos armados com uma pistola calibre 380 em uma moto XRE 300 abordaram a vítima que tinha acabado de fazer uma entrega e seguia para outro destino. Uma testemunha percebeu a ação dos criminosos e acionou a polícia. Além da arma, foram apreendidas 18 munições intactas e um carregador de pistola .380.

Os policiais da Cia Vitória chegaram a tempo de visualizar o motorista ainda com um dos suspeitos dentro da caminhoneta tentando guardar a arma no porta luvas. O motorista informou que tinha acabado de fazer uma entrega e se deslocava para outro endereço quando o passageiro da moto lhe apontou a arma e mandou parar. Em seguida o suspeito Jean Rodrigues, 22 anos entrou ordenando que seguisse uma Van branca que estava na frente, mas devido ter aberto a porta do veículo da empresa em local não autorizado, o sistema de rastreamento fez o bloqueio e a Van parou a alguns metros e a viatura chegou.

A caminhoneta possuía um cofre que estava aberto e com o valor de R$ 2.810,00 dentro. O dinheiro e os produtos recuperados sendo 1.194 maços de cigarros de diversas marcas, 456 isqueiros, três pacotes de gomas de mascar, um pacote de papel Trevo, dois pacotes de fumo e a caminhonete furgão Fiat Ducato branca com chave e documentos e um celular Samsung foram entregues para E.R.P. representante da Souza Cruz S/A, na presença do advogado R.S.M.

Leia mais:  Primeira escola tradicional de Cuiabá completa 139 anos

O suspeito informou que a arma lhe pertence e que teria pago R$ 5 mil por ela.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana