conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Carros e Motos

Royal Enfield estuda fabricar moto com base no protótipo Concept KX

Publicado


Royal Enfield Concept KX: protótipo poderá ser feito em série, mas ainda é apenas um modelo conceitual
Divulgação

Royal Enfield Concept KX: protótipo poderá ser feito em série, mas ainda é apenas um modelo conceitual

A Royal Enfield pode fabricar uma versão definitiva do protótipo Concept KX que foi mostrado no Salão de Milão (Itália), entre os dias 6 e 11 de novembro, informa o jornal indiano Economic Times. Ainda de acordo com a publicação, pelo menos por enquanto, a fabricante não tem planos para motos grandes, mas que se o modelo conceitual vier a ser feito, será maior do que se viu no evento italiano.

LEIA MAIS: Uma Royal Enfield muito especial. Confira a avaliação

 Conforme a Royal Enfield
, antes de entrar no mercado de modelos de 650 cc de cilindrada é preciso estar bem consolidado em versões clássicas. Além disso, a marca não precisa de uma ampla gama de produtos para ter sucesso, apenas alguns que são muito bem aceitos pelo público. Portanto, cada marca segue uma estratégia e a da marca inglesa é essa. 

O Concept KX
é uma reedição do clássico modelo KX, de 1936. Entre as principais detalhes que chamam atenção está o alongado tanque de combustível, farol e luzes todas de LED no lugar de lâmpadas convencionais, instrumentação digital, sistema de navegação por satélite, conexão para celular, banco revestido de couro, garfo dianteiro estilizado e amortecedor único na traseira.


De acordo com a Royal Enfield, versão de produção deverá ser maior que o protótipo mostrado no Salão de Milão
Divulgação

De acordo com a Royal Enfield, versão de produção deverá ser maior que o protótipo mostrado no Salão de Milão

Além disso, o protítipo da Royal Enfield vem com estrutura desenvolvida pela Harris Performance e um novo motor de dois cilindros em V que foi concebido no Reino Unido com apoio da Polaris Industries. Chega a desenvolver 90 cv de potência e funciona com câmbio de seis marchas.

Um pouco da história da Royal Enfield


Protótipo da Royal Enfield foi baseado no modelo original KX, de 1936, que aparece na imagem acima
Divulgação

Protótipo da Royal Enfield foi baseado no modelo original KX, de 1936, que aparece na imagem acima

 A Royal Enfield foi fundada em 1901, na cidade de Redditch, na Inglaterra,  produzindo bicicletas, máquinas de cortar grama e motores estacionários. A primeira motocicleta surgiu no mesmo ano, era uma bicicleta com motor localizado na frente do garfo e com uma longa correia o ligando à roda traseira.

LEIA MAIS: A Royal Enfield Redditch faz homenagem à primeira fábrica da marca

A moto
Bullet foi lançada em 1932 e é produzida até hoje, durante 85 anos ininterruptos. Desde 1949 a Royal Enfield eram vendidas também na Índia, que na época era uma colônia britânica, e uma grande compra de 800 Bullet pela policia indiana, em 1955, fez com que a empresa inglesa criasse uma subsidiária na Índia, passando a produzir todos os modelos. Essa estratégia se mostrou muito importante depois dos anos 70, quando a marca fechou sua matriz na Inglaterra. 

 Mesmo passando por várias grandes crises, a Royal Enfield na Índia nunca parou sua produção, inclusive exportando seus modelos para a própria Inglaterra e praticamente “renascendo” nos anos 2000. Atualmente, sua produção passou de 50.000 motocicletas em 2000 para 660.000 motocicletas em 2016, com previsão de 900.000 motocicleta para o próximo ano. A operação aqui no Brasil é da própria Royal Enfield
, que montou uma subsidiária em São Paulo.

LEIA MAIS: Royal Enfield Continental GT: café instantâneo

Comentários Facebook

Carros e Motos

F-150 Lightning será a primeira picape elétrica Pace Car da Nascar

Publicado

por


source
F-150 Lightning adesivada para comandar o grid da Nascar, que acontece durante o próximo final de semana
Divulgação/Ford

F-150 Lightning adesivada para comandar o grid da Nascar, que acontece durante o próximo final de semana

A Ford anunciou nesta quarta-feira que o Pace car da etapa da Nascar em Martinsville será um carro  elétrico. A F-150 Lightning será o terceiro modelo elétrico da montadora de Detroit a comandar uma prova da categoria.

Fazendo oposição ao motor V8 de 5.8L que equipa os modelos da Nascar e geram entre 550 e 670 cv, dependendo da configuração, a F-150 Lightning possui dois motores elétricos que combinam para 563 cv e 107 kgfm de torque, e o Vice Presidente de veículos elétricos da marca, Darren Palmer, espera que os torcedores da Ford fiquem impressionados com a picape:

“Mal podemos esperar aos nossos fãs do que a F-150 Lightning é capaz. Fazendo 0 a 100 km/h em 5 segundos, acredito que vamos chamar alguma atenção na pista.”

A versão elétrica da F-150 vem sendo um grande sucesso para a montadora, tendo sido realizados quase duzentos mil pedidos de reserva desde que o modelo foi revelado, em maio de 2021. A montadora até revelou que irá aumentar a produção da F-150 Lightning de 40 mil unidades por ano para 150 mil até o meio de 2023.

Leia Também

Leia Também

“A resposta dos consumidores à picape Lightning foi tão positiva que decidimos trazer o modelo para um evento da Nascar. Sabemos que quem estará presente adora caminhonetes e estamos confiantes que vão gostar ainda mais quando assistirem a F-150 Lightning liderando o pelotão”, disse Jeannee Kirkaldy  Gerente de Marketing de competições da Ford Performance .

A F-150 Lightning será o terceiro modelo elétrico da Ford a servir como Pace Car em uma prova da Nascar. O primeiro foi o Focus EV, de 141cv que comandou a etapa de Richmond, em abril de 2012, mais recentemente o Mustang Mach-E comandou a prova de Talladega no ano passado.

A etapa de Martinsville da Nascar Cup Serie s acontecerá no sábado (9) às 20h30 e será transmitida para o Brasil no canal Bandsports na TV fechada.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Conheça os padrões de conectores para carregar um carro elétrico

Publicado

por


source


Não há um consenso mundial sobre um padrão a ser adotado para carregar os veículos elétricos até o momento
Divulgação

Não há um consenso mundial sobre um padrão a ser adotado para carregar os veículos elétricos até o momento

Ao dirigir um carro elétrico, o motorista sempre ficará atento à autonomia do veículo e à localização dos eletropostos pelo trajeto já que achá-los pode não ser tarefa tão simples, ainda mais com pouca autonomia no carro. Mas além dessas preocupações, ao chegar aos pontos de carregamento surge mais uma: O conector do posto é compatível com meu carro?

Antes de apresentar os tipos de plugues disponíveis, é necessário entender primeiro o tipo de corrente elétrica que cada estação de recarga fornece. Correntes elétricas são o movimento de elétrons através de um material condutor, que se movem a fim de equilibrar a diferença de potencial elétrico entre as extremidades.

Existem dois tipos de correntes elétricas: Correntes alternadas e correntes contínuas . Basicamente, o que define o tipo de corrente é a movimentação das partículas, na corrente contínua os elétrons se movem apenas em um sentido, enquanto na corrente alternada, o movimento é variável.

Nos carregadores DC a corrente já é convertida antes das “bombas” dos eletropostos
Divulgação

Nos carregadores DC a corrente já é convertida antes das “bombas” dos eletropostos

Existem os carregadores AC e DC (Corrente Alternada e Corrente Contínua, em inglês). O tipo mais comum é o AC, de corrente alternada. Esse tipo de corrente é mais fácil de ser transportado pela rede elétrica, por isso é o utilizado nas residências e na maioria dos eletropostos.

Ao conectar um carregador AC no seu carro elétrico o tempo de recarga será longo, pois a corrente alternada é convertida em corrente contínua dentro do próprio carro, que é o tipo utilizado pelas baterias.

Nos carregadores DC a corrente já é convertida antes das “bombas” dos eletropostos , e ao ser conectado no veículo a energia vai diretamente para as baterias, reduzindo assim o tempo gasto para recarregar o veículo.

Leia Também

Não há um consenso mundial sobre um padrão a ser adotado para carregar os veículos elétricos, cada continente tem um formato. Sobre cada um deles, a reportagem de iG Carros conversou com Tiago Garcia, youtuber e dono do canal “Meu Carro Elétrico”.

1 – J1772 e CCS1

O Padrão J1772 é regulamentado pela SAE (Sociedade de Engenheiros Automotivos) e busca simplificar os conectores de carregamento  de elétricos. Esse padrão é utilizado na América do Norte e Japão. A partir deste modelo nasceu o padrão CCS1 de carregamento em corrente contínua (DC), ambos são muito similares, mas o padrão para recarga rápida possui dois conectores extras, específicos para a corrente contínua.

2 – CHAdeMO

Apesar do padrão de recarga em corrente alternada japonês ser o mesmo do norte-americano, o sistema de carga rápida é diferente. O modelo é fabricado desde 2009 e foi pioneiro na eletrificação dos modelos japoneses, é utilizado somente no mercado asiático e alguns veículos como os modelos da Tesla que são importados vem com o adaptador.

3 – Mennekes e CCS2

O padrão europeu é o mais comum de ser encontrado no Brasil , já que muitos veículos elétricos disponíveis aqui são importados do Velho Continente. O padrão tem esse nome devido à empresa que o fabrica. Assim como no modelo norte-americano , a entrada de carregamento rápido é apenas uma adaptação da entrada comum, o que facilita na hora de realizar a recarga rápida.

4 – GB/T

O maior mercado de carros elétricos do mundo tem seu próprio padrão de carregamento. Além da China o padrão GB/T é utilizado também na Índia. É o modelo encontrado nos carros elétricos vendidos pela JAC no Brasil, mas a marca disponibiliza o adaptador que converte o europeu dos eletropostos para o chinês encontrado no veículo. Mas vale atenção: apesar de ter o mesmo nome para as versões de corrente contínua e alternada, os encaixes não são os mesmos.

5 – Tesla

O último padrão disponível é o desenvolvido pela fabricante estadunidense Tesla. O modelo da empresa de Elon Musk não diferencia corrente alternada de corrente contínua, o que fará a diferença da velocidade é o ponto de recarga. Os modelos da Tesla disponíveis no Brasil podem enfrentar dificuldades ao utilizar os postos de carga, por serem importados independentemente, o padrão encontrado no carro será o do país de origem do carro.

No Brasil o padrão mais comum é o mesmo utilizado na Europa, tanto para recargas de corrente alternada quanto de corrente contínua. Um padrão global de carregadores elétricos poderia facilitar a vida das montadoras que importam seus veículos elétricos ao redor do mundo e também dos compradores, que não precisariam ter mais dúvidas.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana