conecte-se conosco


Mato Grosso

Quinta-feira (06): Mato Grosso registra 60.409 casos e 2.051 óbitos por Covid-19

Publicado


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (06.08), 60.409 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 2.051 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado e 38 mortes nas últimas 24 horas. 

Foram registradas 1.934 novas confirmações de coronavírus no Estado. Dos 60.409 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 19.782 estão em monitoramento e 38.576 estão recuperados. 

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 311 internações em UTIs públicas e 284 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 82,26% para UTIs adulto e em 32,13% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (13.172), Várzea Grande (4.781), Rondonópolis (3.624), Lucas do Rio Verde (3.085), Sorriso (2.725), Tangará da Serra (2.514), Sinop (2.242), Primavera do Leste (1.984), Nova Mutum (1.588) e Barra do Garças (1.077). 

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada no Boletim anexado ao final desta matéria. 

O documento ainda aponta que um total de 56.072 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 3.876 amostras em análise laboratorial. 

Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES disponível neste link, a partir das 17h.

Cenário nacional

Na última quarta-feira (05), o Governo Federal confirmou 2.859.073 casos da Covid-19 no Brasil e 97.256 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 95.819 óbitos e 2.801.921 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou a atualização desta quinta-feira (06).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Coordenadoria de Assistência Social da PM completa 13 anos com 30 mil atendimentos

Publicado

por


.

A Coordenadoria de Assistência Social da Polícia Militar (CAS) comemora nesta quinta-feira, 06 de agosto, 13 anos de fundação. A CAS oferece apoio por meio de serviços de saúde, orientação jurídica e assistência social a policiais militares e seus familiares. No primeiro semestre de 2020, o órgão vinculado a Diretoria de Saúde da PM registou mais de 150 pessoas atendidas por mês.

Criado em 2007, a CAS já realizou 10 mil atendimentos diretos e 20 mil indiretos para policiais militares e seus dependentes na região metropolitana e nos 13 Comandos Regionais. Atendimentos que vão desde serviços em saúde como encaminhamentos a consultas médicas, acompanhamentos psicológicos, assistência funeral, orientação e apoio jurídico quanto obtenção de pensão, indenizações, regularização de situações funcionais de profissionais dentro da instituição dentre outros serviços.

Pioneira na coordenação da CAS, a major Luzinete Vilarinho, relembra como foi desafiador ficar a frente de uma pasta de Assistência Social da corporação. “Iniciei os trabalhos com um soldado como assistente social, mesmo com pouco servidores, fizemos um trabalho de formiguinha, oferencendo nosso apoio por meio do serviço de assistência social. Fiquei sete anos cordenando, me orgulha muito, hoje me deparo com a expansão desse importante órgão da Diretoria de Saúde e foi uma honra ter pertencido ao início deste trabalho”, ressalta a major da reserva remunerada.

Em meio a um ano atípico, por conta da pandemia do coronavírus,  a Coordenadoria de Assistência Social da PM continua prestando assistência aos policiais e seus familiares. São cerca de 50 mil famílias e 11 mil policiais militares entre ativos e inativos que contam com a CAS.

O coordenador da pasta, tenente-coronel Diego Fabiano Souza Tocantins conta que a equipe é formada por seis policiais, entre assistentes sociais e psicólogos que continuam apoiando os militares e suas famílias nos momentos mais difíceis.

“Por meio da CAS estamos presentes em cenários de dificuldades, de situações vulneráveis e delicados para os militares e seus familiares. E diante de uma pandemia não é diferente, seguimos apoiando esses profissionais. Esse trabalho garante plena condições de saúde e qualidade de vida ao militar e sua família. Ao longo dos anos vamos auxiliando na resolução de problemas, seja ele de saúde física, mental, de apoio ou orientação” desta coronel Diego

A sede da CAS fica na sede da Diretoria de Saúde da PM no Centro Político Administrativo, no bairro Paiaguás, em Cuiabá.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

População conhece proposta para concessão do Parque Águas Quentes

Publicado

por


.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apresentou à população Mato-grossense a proposta técnica para concessão do Parque Estadual das Águas Quentes. A segunda audiência pública ocorreu nesta quarta-feira (05) e está disponível na íntegra no Youtube da Secretaria. As considerações feitas serão analisadas para aprimoramento do projeto. A previsão é que o edital seja lançado ainda em 2020.

O objetivo é conceder à iniciativa privada o direito de explorar a Unidade de Conservação do Parque Estadual Águas Quentes, incluindo o complexo hoteleiro instalado na área, pelos próximos 30 anos. A proposta para o Parque é um reposicionamento de negócio do complexo hoteleiro, ao mesmo tempo em que desenvolve um turismo responsável, proporcionando meios e estratégias para fortalecer a conservação e preservação da área. O projeto busca enriquecer a experiência de visitação e conformar o Parque Águas Quentes como um atrativo singular na região.

Para a concessão doa Unidade, a secretária adjunta de Gestão Ambiental, Luciane Bertinatto, destaca que o objetivo é a melhor utilização pública do espaço, tendo a iniciativa privada como parceira do projeto. “O Parque é uma riqueza natural que as pessoas devem usufruir com qualidade, sempre pensando na conservação local ambiental”. Composto por uma área de 1500 hectares, o Parque foi a primeira unidade de conservação de Mato Grosso. A área abriga grande biodiversidade e protege as nascentes e fontes hidrotermais da Serra de São Vicente, em Santo Antônio de Leverger.

O projeto prevê que o empreendedor poderá explorar, além da hospedagem e o contato com as águas termais, atividades de lazer como arvorismo, trekking, passeios de bicicleta, dentre outras atividades cuja essência é a integração com a natureza e a promoção da educação ambiental.

A proposta apresentada estima investimentos de R$ 17 milhões para realizar as melhorias na estrutura do Parque, com receitas operacionais anuais média de aproximadamente R$ 13,4 milhões. A modelagem econômica foi realizada levando-se em consideração a média da visitação atual do parque e taxa de ocupação observada no complexo hoteleiro nos últimos anos. A previsão de retorno do investimento no projeto (payback) é no oitavo ano de vigência do contrato.

O modelo de concessão de unidades de conservação já é amplamente utilizado no Brasil, que conta com 97 iniciativas já identificadas em todo o território nacional, sendo que 15 dessas já se materializaram em contratos de concessão assinados, conforme dados fornecidos pela Radar PPP. É o caso dos Parques Nacionais do Itatiaia (Rio de Janeiro), da Chapada dos Veadeiros (Goiás) e Marinho de Fernando de Noronha (Pernambuco), ambos sob gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Além de iniciativas estaduais e municipais, como Parque Capivari (estado de São Paulo) e o Parque do Ibirapuera (município de São Paulo).

“Toda equipe vem trabalhando no projeto de melhorar os usos das nossas Unidades de Conservação desde 2017, quando estabelecemos a parceria com o Instituto Semeia para nos auxiliar nesse processo. Desde então, buscamos recursos para viabilizar os estudos necessários para elaboração dos planos de negócio e editais que estamos apresentando para a sociedade”, destaca o superintendente de Mudanças Climáticas e Biodiversidade da Sema, Elton Silveira.

Toda a documentação relativa ao projeto está disponível para consulta da população no site da Sema e as considerações e dúvidas podem ser enviadas para o e-mail [email protected] até o dia 30 de agosto. Já os investidores podem agendar reuniões individuais com a equipe até o dia 14/08 pelo formulário neste link. A equipe está disponível para as reuniões de sessenta minutos entre os dias 17 e 21 de agosto.

Compensação ambiental

A execução do projeto é realizada por um consórcio de consultorias formado por Natureza Urbana, empresa especializada em projetos de arquitetura e urbanismo de parques e espaços públicos, Radar PPP, consultoria especializada em parcerias Público-Privadas e Concessões com foco em modelagem econômica e integração de estudos, e Vernalha, Di Lascio, Mesquita, escritório de advocacia com atuação no segmento de concessões.

As empresas foram selecionadas e contratadas pela Sinop Energia que, devido ao significativo impacto ambiental causado pela instalação de Usina Hidrelétrica no rio Teles Pires, no município de Sinop, assumiu compromissos de compensação ambiental. As empresas selecionadas possuem experiência na atuação de projetos de natureza semelhante, como Parque Nacional do Itatiaia e Parque Ibirapuera.

Para avaliar o projeto, a Sema conta com o apoio do Instituto Semeia, entidade sem fins lucrativos que visa parcerias para que os brasileiros tenham acesso a parques melhores. A Secretaria Adjunta de Turismo também participa das discussões com objetivo de aliar a conservação das unidades com o desenvolvimento econômico e a exploração turísitica.

Íntegra da audiência: https://youtu.be/P1nbEOSXxmM  

Envio de sugestões até 31/08 para: [email protected]

Editais e documentos da proposta: http://www.sema.mt.gov.br/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=1212&Itemid=292

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana