conecte-se conosco



Esportes

PSG terá que vender Neymar ou Mbappé em 2019 para evitar punição, diz jornal

Publicado


Neymar e Mbappé chegaram juntos ao PSG, no meio de 2017
PSG/SITE OFICIAL/DIVULGAÇÃO

Neymar e Mbappé chegaram juntos ao PSG, no meio de 2017

O ataque do PSG formado pelo brasileiro Neymar e pelo jovem francês Mbappé pode estar com os dias contados, segundo informações deste sábado do jornal “L’Equipe”.

De acordo com a publicação, o PSG precisa cumprir o fair play financeiro da Uefa para escapar de punição e, para isso, já está planejando vender uma de suas duas estrelas ao final da atual temporada, no meio de 2019.

O clube francês está com medo de não conseguir seguir as regras impostas pela entidade e já considera se desfazer de um dos dois astros.


Capa do
Reprodução

Capa do “L’Equipe” com as informações do PSG

Mesmo sabendo que conseguiria mais dinheiro por Mbappé , o nome que vem sendo bastante especulado fora do Paris Saint-Germain é o de Neymar . O camisa 10 vem sendo associado a Real Madrid, Barcelona e, agora, Manchester United.

A decisão da Uefa a respeito das contas financeiras do PSG deve ser anunciadas em algumas semanas.

Pouco depois da divulgação da notícia, o PSG emitiu um comunicado desmentindo tudo. E com o título “L’Equipe, um meio de desinformação”. Confira abaixo:

“Além de negar com a maior firmeza estas afirmações totalmente errôneas, ridículas e com a única probabilidade de recriar um clima de grandes tensões entre este clube e este jornal, o PSG se pergunta, uma vez mais, a respeito da honestidade intelectual do L’Equipe e os motivos ocultos de sua linha editorial sobre o PSG”, disse o clube.

Leia mais:  Melhor do mundo pela Fifa, Modric fatura também a Bola de Ouro; Neymar é o 12º

“Há muitos exemplos de um tratamento desequilibrado cujo objetivo é somente difundir uma atmosfera prejudicial… Diante da desinformação orquestrada pelo L’Equipe” e sua incansável tentativa de enfraquecer sua imagem, o PSG, clube mais popular e bem-sucedido da França, reafirma seu desejo de avançar e dialogar apenas com interlocutores de boa fé”, finalizou.

Neymar e Mbappé chegaram ao PSG no meio de 2017. Ao lado do uruguaio Cavani, eles formam um dos melhores trios de ataques do mundo. Mas esse setor ofensivo de respeito está prestes a ser desfeito.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Assassino confesso do jogador Daniel recebeu conselhos de policial afastado

Publicado

por

Áudios vazados do WhatsApp e divulgados pela RICTV Curitiba indicam que Edison Brittes Junior, conhecido como Juninho Riqueza, pediu conselhos para o policial civil Edenir Canton, o Gaúcho, que está afastado de seu cargo, antes de confessar ter matado o jogador Daniel Corrêa, em 27 de outubro.

Leia também: Jovem que ficou com Daniel cozinhou strogonoff para assassino após crime


O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro
Erico Leonan/São Paulo FC

O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro

Em um dos áudios, Canton aconselha a não contratação de Cláudio Dalledone, atual advogado de Juninho, e indica outra pessoa. Antes, o assassino confesso de Daniel afirmou que recebeu a indicação de Gaúcho para contratar um defensor.

“Juninho, sou eu, o Gaúcho. Não vai atrás do Dalledone. Vem aqui. Não vai atrás do Dalledone, senão você vai tomar no c*. Passa aqui que temos que montar uma estratégia técnica, senão o Dalledone só fica na conversa, te prende e você está f***”, disse o policial.

Posteriormente a isso, Edison Brittes enviou mensagens de voz para o advogado Rafael Pellizzetti, dizendo que Canton o havia indicado. Pellizzetti é quem defende o policial em caso de homicídio que aconteceu em 2015 e o afastou do cargo. O caso corre em segredo de Justiça, em Araucária, no Paraná.

Leia também: Em vídeo, mãe de Daniel pede justiça e “punição no maior rigor da lei”

Leia mais:  Giroud: “É impossível assumir sua homossexualidade no futebol”

“Boa tarde, Pellizetti. Tudo bem? Juninho, indicado do Gaúcho, Edenir Canton . Posso ligar pra você?”, afirmou Juninho. “Doutor, eu preferia encontrar o senhor pessoalmente na hora que o senhor se livrar aí, pode ser?”, acrescentou na sequência.

Vale ressaltar que investigações já haviam mostrado que Brittes e Canton se conheciam anteriormente. O carro Veloster preto que Juninho utilizou no dia da morte de Daniel, por exemplo, já pertenceu ao policial. Canton não é investigado no caso Daniel, mas as gravações mostram a proximidade entre os dois.

O processo ao qual Edenir Canton responde é datado de 28 de abril de 2015, quando Ricardo Geffer foi morto após uma abordagem policial onde o delegado Rubens Recalcatti, que se tornou deputado estadual e já posou em fotos ao lado da família de Brittes, atuava.

Recalcatti e Canton são acusados do assassinato de Geffer ao lado de outros seis policiais. A vítima era suspeita de ter matado João Dirceu Nazzari, ex-prefeito do Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba, em 12 de abril de 2015. O caso atualmente está no Tribunal de Justiça do Paraná e pode passar para o STJ, pois um dos acusados é deputado.

Leia também: Justiça aceita denúncia contra acusados pela morte do jogador Daniel

O advogado Claudio Dalledone, que defende a família Brittes no caso Daniel , o qual Edison confessou ter cometido o homicídio, também defende Recalcatti no caso Geffer. Além de Juninho, outras cinco pessoas estão presas acusadas de participação na morte do jogador.

Leia mais:  Palmeiras goleia o América-MG, mas vitória do Flamengo adia o título

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Milan é punido pela Uefa por descumprir o fair play financeiro

Publicado

por

A Uefa anunciou nesta sexta-feira as punições ao Milan por não ter cumprido as regras do fair play financeiro da entidade. Entre as sanções, o clube rossonero não irá receber os 12 milhões de euros (cerca de R$ 53 milhões, na cotação atual) em receitas por ter participado da Liga Europa.

Leia também: Cristiano Ronaldo assumirá crimes fiscais cometidos em sua passagem pelo Real


Gattuso é o atual técnico do Milan e pode ser prejudicado com as punições aplicadas pela Uefa
Divulgação/ACMilan

Gattuso é o atual técnico do Milan e pode ser prejudicado com as punições aplicadas pela Uefa

Além disso, pelas próximas duas temporadas, o Milan não poderá inscrever mais de 21 jogadores para participarem de competições da Uefa, isto é, Liga Europa e Liga dos Campeões.

A entidade que rege o futebol europeu também determinou que o clube de Milão tem até o dia 30 de junho de 2021 para corrigir sua situação financeira. Caso contrário, a agremiação não poderá disputar nenhum campeonato organizado pela a Uefa nas temporadas 2022/2023 e 2023/2024.

Leia também: Neymar brilhando e goiano campeão mundial: o 2018 do poker brasileiro

Na janela de transferências da temporada passada, a agremiação rossonera gastou mais de 200 milhões de euros (R$ 880 milhões) em novas contratações. A gastança despertou a desconfiança da Uefa , alegando que as operações do clube foram “suspeitas”. Na ocasião, o clube italiano precisou pedir um empréstimo ao fundo de investimentos norte-americano Elliot.

Leia mais:  Fãs da Fiorentina insultam ídolo da Juventus e vítimas da tragédia de Heysel

Uma das contratações do Milan nesta temporada foi Higuaín

Leia também: Escândalos sexuais estão entre as polêmicas do esporte em 2018. Veja outras

Além do revés nos tribunais, o Milan também sofreu uma dura derrota nesta quinta-feira (13) em campo. O escrete rossonero perdeu por 3 a 1 para o Olympiacos, da Grécia, e foi eliminado ainda na fase de grupos da Liga Europa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana