conecte-se conosco



Tecnologia

Promotoria move ação contra ‘game do Bolsomito’ por incitação ao ódio a minorias

Publicado


Game Bolsomito 2K18 incita ao ódio a minorias e sofre ação do MPDFT
Reprodução

Game Bolsomito 2K18 incita ao ódio a minorias e sofre ação do MPDFT

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios ( MP-DFT) entrou com ação civil pública contra a empresa americana Valve Corporation  por conta da comercialização do game Bolsomito 2K18, acusado de incitar ódio, em sua plataforma Steam. O MP já havia aberto uma investigação sobre o jogo no mês de outubro.

Leia também: “Tumblr está morto”, dizem usuários após plataforma proibir pornografia

O novo documento possui pedido de tutela de urgência para que a companhia seja obrigada a suspender a disponibilização e a venda do jogo Bolsomito 2K18, lançado durante o período eleitoral e comercializado a R$ 9,90. A promotoria pede pagamento de multa por cada dia em que o game ficar no ar e também requer o 0bloqueio do site Steam no Brasil.

No jogo, um personagem que emula o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), é colocado como protagonista e ganha pontos ao espancar e matar mulheres, LGBTs, negros, integrantes de movimentos sociais e parlamentares. As vítimas, depois de mortas, se transformam em excremento. 

O documento do MP informa que a Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial entrou em contato com a Valve Corporation, tentando obter a suspensão do jogo de forma administrativa, sem sucesso, e agora passar a solicitar também que a Valve informe os dados cadastrais e financeiros da BS Studios, desenvolvedora do jogo.

A ação cita a Constituição Federal e diz que a mesma “afirma serem invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”

Leia mais:  Apple anuncia novo iPad Pro: sem botão Home e que pode custar até R$ 15.599

As plataformas de jogos Steam são classificados como Provedor de Aplicação de Internet, e, portanto, submetida a Lei n. 12.965/14, conhecida como Marco Civil da Internet, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil.

A ação defende que o personagem do jogo incita ao ódio contra as minorias a partir do uso da violência e a computação de pontos pela agressão e morte de diversos grupos, além de colegas parlamentares do presidente eleito. “A violência é naturalizada e exposta e a morte dos ‘inimigos’ é celebrada no jogo”, cita a peça da promotoria.

Leia também: Marco Civil da Internet: governo abre canal de consulta para aprimorar propostas

Game Bolsomito 2K18 também viola direito de personalidade de Bolsonaro


O game Bolsomito 2K18 também ataca nordestinos e celebra mortes de
Reprodução

O game Bolsomito 2K18 também ataca nordestinos e celebra mortes de “inimigos”

O documento diz também que, segundo a Constituição, “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”

O Código Civil e o Marco Civil da Internet também são lembrados ao tratar a imagem do presidente eleito, defendendo que ações ou omissões voluntárias, negligência ou imprudência violam direito ao causar dano a outra pessoa, e que os direitos humanos, o desenvolvimento da personalidade e o exercício da cidadania em meios digitais, bem como a pluralidade e a
diversidade são fundamentais.

Leia também: Deputado petista propõe “Lei Jair Bolsonaro” para coibir ausências em debates

Leia mais:  Uber Juntos chega para substituir a versão Pool; veja o que muda no app

A conclusão afirma que “não pairam dúvidas de que o jogo viola o direito da personalidade do Presidente eleito da República Federativa do Brasil e, por consequência, gera danos morais reflexos ou em ricochete em relação a todos os brasileiros”, e defende que o jogo Bolsomito 2K18 expõe negativamente o país ao fomentar a imagem de que Bolsonaro é racista, homofóbico, misógino e violento.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Instagram libera recurso de troca de mensagens por áudio; veja como mandar

Publicado

por


Áudio do Instagram poderá ser enviado por meio das mensagens diretas
Reprodução

Áudio do Instagram poderá ser enviado por meio das mensagens diretas

O Instagram passou a permitir, nesta segunda-feira (10), o envio de mensagens por áudio por meio das mensagens diretas, as ‘Directs’. O recurso já está disponível para usuários de Android e iOS no Brasil e chega aos poucos para usuários em todo mundo.

Leia também: Lembra dele? Google+ será encerrado após vazar dados de 52,5 milhões de usuários

Para enviar o áudio no Instagram , basta segurar o ícone do microfone que aparece no campo de texto dentro da conversa. Ao soltá-lo, a gravação que aparece em um balão azul com uma espécie de onda sonora será enviada. 

Ao contrário das fotos, que podem se autodestruir, os áudios ficam visíveis para sempre, mas só poderão ter até um minuto de duração, diferentemente do que acontece no WhatsApp , onde é possível enviar áudios de maior duração. 

O Instagram e o WhatsApp são empresas do Facebook , e nos últimos meses o grupo tem compartilhado mecanismos entre os programas, como adicionar o Stories tanto no Messenger quanto no WhatsApp. Logo, a adição dos sistemas de voz no Instagram pode ser uma contrapartida aos outros dois aplicativos, que já permitem envio de mensagens por áudio.

Leia mais:  Apple anuncia novo iPad Pro: sem botão Home e que pode custar até R$ 15.599

Leia também: Nokia, Iphone, Android: o WhatsApp vai parar de funcionar no seu celular?

Outra novidade estudada para os próximos meses, segundo o site WABetaInfo , é a transformação do feed em algo similar aos stories do próprio Instagram; as informações passariam a ser mostradas na horizontal e seriam baseadas em gestos, com cartões substituindo a tradicional lista de publicações, adotando fotos e vídeos sendo exibidos lado a lado, em uma fileira horizontal que revela mais conteúdo ao deslizar o dedo sobre a tela para os lados.

Recentemente, foi lançado também o “Close Friends ” ou “Amigos Próximos”, que permite enviar os Stories a um grupo selecionado de amigos, que veem o círculo que indica uma nova atualização na coloração verde, mostrando que seu amigo o incluiu em sua lista de melhores amigos, que podem ver aquele conteúdo específico.

Leia também: Em resposta ao YouTube Stories, Instagram lança novidade em sua plataforma

Para enviar áudio no Instagram e usar as novas ferramentas de modo geral, é preciso atualizar o aplicativo, seja na versão para Android ou iOS.

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Nokia, Iphone, Android: o WhatsApp vai parar de funcionar no seu celular?

Publicado

por


WhatsApp deixará de funcionar em alguns aparelhos telefônicos a partir de 1º de janeiro de 2019
shutterstock

WhatsApp deixará de funcionar em alguns aparelhos telefônicos a partir de 1º de janeiro de 2019

O aplicativo de mensagens WhatsApp divulgou, nesta segunda-feira (10), a lista de celulares em que seu serviço não estará mais disponível nos próximos anos. Aparelhos com sistema operacional S40, da Nokia, 2.3.7 do Android e Iphone 4, da Apple, estão inclusos. 

Leia também: Algum conhecido pediu dinheiro pelo WhatsApp? Cuidado: pode ser um clone

A partir de 2020, apenas telefones Android com sistema operacional 4.0 ou superior; iPhone com iOS a partir do 8; Windows Phone 8.1 ou superior e JioPhone ou JioPhone 2 poderão utilizar o WhatsApp

De acordo com a empresa, que reúne, atualmente, mais de 1,5 bilhão de usuários, a prioridade é ficar com as “plataformas de telefonia móvel usadas pela grande maioria das pessoas”.

O desligamento do serviço começa já no ano que vem. O aplicativo informou que os usuários que utilizam o sistema operacional Nokia S40 só vão conseguir acessar o WhatsApp até 31 de dezembro de 2018.  Entre os celulares que ainda utilizam essa tecnologia, estão o Nokia 206 e 208, Nokia 301, Nokia 515 e grande parte da série Nokia Asha C3, X2 e X3. 

A partir de 2020, WhatsApp sai de algumas versões dos sistemas Android e IOS


Iphone 4 e Android 2.3.7 não terão mais serviço de WhatsApp
Creative Commons

Iphone 4 e Android 2.3.7 não terão mais serviço de WhatsApp

O aplicativo também adiantou algumas mudanças para 2020. Segundo o WhatsApp, a partir de 1º de fevereiro de 2020, o serviço não vai mais funcionar para usuários do Iphone 4, da Apple.

Leia mais:  Facebook, de Zuckerberg, alcança 2,6 bilhões de usuários ao redor do mundo

Leia também: Feed do Instagram na horizontal como os stories? É possível! Entenda

Até lá, ainda será possível usar, contanto que a conta já esteja criada. Atualmente, o aplicativo não permite mais a inicialização de novas contas neste modelo de aparelho ou para usuários que usem o iOS 7 ou qualquer outra versão anterior do sistema operacional da Apple.

“O WhatsApp para iPhone requer [um sistema operacional] iOS 8 ou posterior. No iOS 7.1.2, não é mais possível criar novas contas ou verificar contas existentes. Se o WhatsApp já estiver ativo no seu dispositivo, você poderá usá-lo até 1º de fevereiro de 2020. O iOS 6 ou anteriores não são mais compatíveis”, diz a publicação no site da empresa.

Leia também: Lembra dele? Google+ será encerrado após vazar dados de 52,5 milhões de usuários

A mesma coisa vai acontecer para usuários do software Android 2.3.7, conhecido como “Gingerbread”, ou suas versões anteriores – que, de acordo com o Google, ainda são utilizados por cerca de 6 bilhões de pessoas no mundo. Aqui, o WhatsApp também só funcionará  até 31 de janeiro de 2020.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana