conecte-se conosco


Tecnologia

Promotoria move ação contra ‘game do Bolsomito’ por incitação ao ódio a minorias

Publicado


Game Bolsomito 2K18 incita ao ódio a minorias e sofre ação do MPDFT
Reprodução
Game Bolsomito 2K18 incita ao ódio a minorias e sofre ação do MPDFT

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios ( MP-DFT)
entrou com ação civil pública contra a empresa americana Valve Corporation
 por conta da comercialização do game Bolsomito 2K18, acusado de incitar ódio, em sua plataforma Steam. O MP já havia aberto uma investigação sobre o jogo no mês de outubro.

Leia também: “Tumblr está morto”, dizem usuários após plataforma proibir pornografia

O novo documento possui pedido de tutela de urgência para que a companhia seja obrigada a suspender a disponibilização e a venda do jogo Bolsomito
2K18, lançado durante o período eleitoral e comercializado a R$ 9,90. A promotoria pede pagamento de multa por cada dia em que o game ficar no ar e também requer o 0bloqueio do site Steam no Brasil.

No jogo, um personagem que emula o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), é colocado como protagonista e ganha pontos ao espancar e matar
mulheres, LGBTs, negros, integrantes de movimentos sociais e parlamentares. As vítimas, depois de mortas, se transformam em excremento. 

O documento do MP informa que a Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial entrou em contato com a Valve Corporation, tentando obter a suspensão do jogo de forma administrativa, sem sucesso, e agora passar a solicitar também que a Valve informe os dados cadastrais e financeiros da BS Studios, desenvolvedora do jogo.

A ação cita a Constituição Federal
e diz que a mesma “afirma serem invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”

Leia mais:  Lembra dele? Google+ será encerrado após vazar dados de 52,5 milhões de usuários

As plataformas de jogos Steam são classificados como Provedor de Aplicação de Internet, e, portanto, submetida a Lei n. 12.965/14, conhecida como Marco Civil da Internet, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil.

A ação defende que o personagem do jogo incita ao ódio contra as minorias
a partir do uso da violência e a computação de pontos pela agressão e morte de diversos grupos, além de colegas parlamentares do presidente eleito. “A violência é naturalizada e exposta e a morte dos ‘inimigos’ é celebrada no jogo”, cita a peça da promotoria.

Leia também: Marco Civil da Internet: governo abre canal de consulta para aprimorar propostas

Game Bolsomito 2K18 também viola direito de personalidade de Bolsonaro


O game Bolsomito 2K18 também ataca nordestinos e celebra mortes de
Reprodução
O game Bolsomito 2K18 também ataca nordestinos e celebra mortes de “inimigos”

O documento diz também que, segundo a Constituição, “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.”

O Código Civil e o Marco Civil da Internet também são lembrados ao tratar a imagem do presidente eleito, defendendo que ações ou omissões voluntárias, negligência ou imprudência violam direito ao causar dano a outra pessoa, e que os direitos humanos, o desenvolvimento da personalidade e o exercício da cidadania em meios digitais, bem como a pluralidade e a
diversidade são fundamentais.

Leia também: Deputado petista propõe “Lei Jair Bolsonaro” para coibir ausências em debates

Leia mais:  Algum conhecido pediu dinheiro pelo WhatsApp? Cuidado: pode ser um clone

A conclusão afirma que “não pairam dúvidas de que o jogo viola o direito da personalidade do Presidente eleito da República Federativa do Brasil e, por consequência, gera danos morais reflexos ou em ricochete em relação a todos os brasileiros”, e defende que o jogo Bolsomito
2K18 expõe negativamente o país ao fomentar a imagem de que Bolsonaro é racista, homofóbico, misógino e violento.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Preciso de um repetidor de sinal? Veja esse e mais 6 modos de melhorar seu WiFi

Publicado

por

Você já passou pela situação em que só consegue acessar a internet em determinados pontos da sua casa? Se a resposta é sim e isso for algo bastante comum na sua rotina, talvez seja hora de pensar em usar um repetidor de sinal ou outros meios para expandir sua conexão  WiFi


homem com problemas no wifi
shutterstock
problemas com wifi




Ninguém merece ter que passar por perrengues com WiFi dentro de casa e, por isso, existe um dispositivo que consegue expandir o alcance dessa rede: o repetidor de sinal
. Basicamente, esse aparelho recebe a conexão fraca que está sendo enviada pelo roteador e faz com que ela seja redistribuida para outros ambientes. 

“A comunicação de dados sem fio é realizada através de ondas eletromagnéticas, que perdem força. Isso acontece não só pela amplitude, mas também por obstáculos físicos que esse sinal encontra pelo caminho”, explica Renato Grau, fundador e CEO da Innovision, ao iG Tecnologia
.

O alcance do roteador de uma rede doméstica varia de acordo com o modelo, mas pode chegar entre 15 e 46 metros em ambientes internos e até 92 metros em ambientes externos. “Dependendo do aparelho, e considerando uso doméstico e corporativo, os repetidores podem chegar até 10 mil metros quadrados cada um”, diz.

Segundo o profissional, é possível identificar como é a cobertura de sinal da sua casa com apps, como o NetSpot. Assim, se você achar que precisa de um acesso maior, pode escolher o melhor repetidor de acordo com quão longe você quer que esse acesso chegue. 

Leia mais:  Yellow e Grin anunciam fusão; Grow compartilhará patinetes e bicicletas

No Brasil, os modelos D-Link e TP-Link são os mais conhecidos atualmente. Já para conectar, é só selecionar a opção “repeater”, configurar o seu WiFi no repetidor com os dados de acesso que geralmente vem colados na parte de baixo do aparelho, e conectar o seu computador, celular ou qualquer outro eletrônico nessa rede.

Leia também: Sem sinal Wi-Fi? Confira quatro motivos que podem ter feito sua conexão cair

Além do repetidor de sinal: 6 maneiras de melhorar a conexão WiFi da sua casa


repetidor de sinal
shutterstock
repetidor de sinal

Apesar de ser prático, Ricardo afirma que o repetidor é uma das últimas soluções para uma conexão melhor. Antes, você pode experimentar mexer em algumas configurações no seu próprio roteador: 

1.  Melhore a posição física
do roteador, buscando evitar interferências físicas ao redor dele;

2. Atualize o firmware do roteador e dos seus adaptadores de rede;

3. Faça ajustes no gerenciamento de energia do seu dispositivo;

3. Mude canais de acesso (intervalos entre as frequências) no roteador, visto que vizinhos podem estar utilizando os mesmos e provocando interferência. Há aplicativos que podem auxiliar a verificar esses intervalos, como o inSSIDER;

4. Verifique se outras pessoas não estão usando o seu roteador, algo que pode acontecer principalmente se você não tiver mudado a senha de fábrica;

5. Utilize roteadores com tecnologias de transmissão mais recentes, como 5 GHz, que tem uma sinal maior do que 2.4 GHz.

Leia mais:  Lembra dele? Google+ será encerrado após vazar dados de 52,5 milhões de usuários

Mas se nada disso der certo, você pode apostar no repetidor de sinal

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Mantenha o celular seguro! Aprenda como se proteger de golpes no Whatsapp

Publicado

por

Recentemente, o WhatsApp revelou a existência de uma vulnerabilidade em seus sistemas que permite a hackers vigiarem suas vítimas remotamente. A empresa chegou a liberar uma atualização para corrigir a falha, mas apenas atualizar o aplicativo não evita outros golpes.

Leia também: 7 dicas de como melhorar o sinal do celular e se livrar da conexão lenta


Pessoa segurando um celular com a tela do whatsapp aberta
shutterstock
Com a popularidade do aplicativo, muitos criminosos se aproveitam para aplicar golpes nos usuários

Com mais de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo utilizando a ferramenta, o que inclui milhões de usuários brasileiros, criminosos se aproveitam dessa popularidade para faturar. As técnicas de golpes no Whatsapp
são inúmeras e vão desde acesso a links de promoções falsas até envio de SMS para um número suspeito.

É possível, por exemplo, convencer uma pessoa a digitar um código no smartphone para redirecionar chamadas para um outro número e assumir o controle do WhatsApp por chamada telefônica. Outro golpe que se tornou comum é o da troca de chip. Com dados pessoais da vítima, os criminosos informam as operadoras que foram roubados e precisam de um novo cartão SIM. Controlando o telefone, pode-se assumir a conta no aplicativo. 

“Hoje, uma vulnerabilidade nessa categoria é vendida no mercado por até US$ 4 milhões. Quem compra são governos e agências de espionagem”, comenta Fábio Assolini, analista de segurança da Kaspersky Lab.

Leia mais:  Nokia, Iphone, Android: o WhatsApp vai parar de funcionar no seu celular?

“No início, elas são usadas apenas para alvos específicos, para dificultar a detecção. Mas no segundo momento, depois de ser descoberta, cibercriminosos podem fazer engenharia reversa nessa ferramenta para explorá-la em ataques em massa”.

Por isso, a recomendação é seguir o conselho da companhia e  atualizar o aplicativo
para a versão mais recente. Para isso, basta acessar a Google Play ou a App Store, fazer a busca pelo WhatsApp e clicar em atualizar.

Porém, nem todos os usuários devem estar aptos. Aparelhos mais antigos possuem sistemas operacionais obsoletos, que não são mais compatíveis com o aplicativo. No Android
, a versão mínima exigida é a 4.0.3, e no iOS
, a versão 8.0 ou posterior.

Leia também: Como garantir a segurança na internet diante de desafios e conteúdos violentos

Como se proteger de golpes no Whatsapp


Pessoa segurando um celular com a tela do Whatsapp aberta
shutterstock
Manter o aplicativo atualizado é um dos modos de evitar golpes no Whatsapp, de acordo com a própria companhia

Para evitar que você se torne mais uma vítima de fraudes aplicadas por meio da ferramenta, há algumas precauções, como a verificação em duas etapas, que faz com que o usuário tenha que colocar uma senha sempre que o aplicativo for instalado, evitando que criminosos acessem sua conta do Whatsapp remotamente.

Para ativar a verificação, vá em “Configurações” > “Conta” > “Confirmação em duas etapas”> “Ativar”. O app irá pedir a criação de uma senha com seis dígitos e uma conta de e-mail válida.

Leia mais:  Yellow e Grin anunciam fusão; Grow compartilhará patinetes e bicicletas

A ESET, empresa de segurança da informação, também divulgou uma lista com oito dicas para sua proteção:

  1. Proteja seus dispositivos com soluções de segurança e mantenha estes aplicativos sempre atualizados.
  2. Desconfie de promoções que não estejam adequadamente publicadas pela empresa que fornece o produto/serviço.
  3. Procure não acessar links suspeitos.
  4. Não cadastre dados pessoais em páginas não confiáveis.
  5. Evite baixar arquivos de fontes não confiáveis.
  6. Tenha muito cuidado ao instalar softwares ou aplicativos de fontes não oficiais.
  7. Não compartilhe arquivos ou links de origem duvidosa.
  8. Mantenha o aplicativo sempre atualizado

Para aprender a fazer a atualização do app e reforçar a segurança contra golpes no Whatsapp
, clique aqui
.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana