conecte-se conosco


Cidades

Porto Estrela ganha agência e projetos sociais do Sicredi

Publicado

Sicredi chega à cidade de Porto Estrela (a 191 km de Cuiabá) para mudar a realidade da pequena comunidade, de cerca de três mil habitantes. A cooperativa Sicredi Sudoeste MT/PA inaugura nesta segunda-feira (03.08) a primeira agência do município, em uma cerimônia simbólica. A cidade passa a ser incluída financeiramente, fazendo com que os moradores não precisem mais se deslocar até a cidade de Barra do Bugres, distante 41 km, para realizar suas operações financeiras.

Esta é a 38ª agência da cooperativa, que agora atua em 19 cidades de Mato Grosso e em outras 11 do Pará. Com uma agência em Porto Estrela, o comércio e os serviços locais serão beneficiados, pois a população poderá fazer suas operações financeiras na própria cidade, inclusive as compras, que antes eram feitas no município vizinho. Dessa forma, vai contribuir com o desenvolvimento econômico local.

A chegada do Sicredi à cidade não traz apenas benefícios econômicos. A área social também é contemplada e vários projetos da instituição começaram a ser desenvolvidos junto à comunidade. Um dos fatores que contribui para isso é o formato da nova agência, que não opera numerário em espécie – o que estimula a realização de negócios de outras formas, com uso de cartões e transações digitais.

Esse conceito beneficia diretamente a comunidade, como consequência dos investimentos realizados para a operacionalização da agência nesse formato. Entre eles está a disponibilização de wi-fi gratuito para a comunidade na Praça Central, para que os associados realizem suas operações financeiras pelo aplicativo do Sicredi, bem como use a internet para outras finalidades, como a educação. Nesse sentido, uma escola de informática está em fase de implantação, em parceria com a prefeitura.

Outra frente social atendida inclui a educação. Também está em fase de implantação o Programa A União Faz a Vida, principal projeto de responsabilidade social do Sicredi, que beneficia alunos e educadores através de uma metodologia de ensino voltada para o desenvolvimento da cidadania e da cooperação, com a participação da comunidade. Os alunos passam a ser protagonistas do processo de aprendizagem, tornando o conhecimento mais prazeroso e envolvente.

A comunidade será beneficiada ainda por um programa que disponibiliza bicicletas para uso comum, o Use e Devolva. Além disso, serão oferecidas formações de Educação Financeira para quem tiver interesse. O presidente da cooperativa, Antonio Geraldo Wrobel, afirma que chegar ao município levando tantos benefícios é uma satisfação para a cooperativa e materializa sua missão, que é oferecer produtos e serviços financeiros e promover o desenvolvimento local. “É uma comunidade pequena, cujos moradores tinham que ir para a cidade vizinha para fazer suas operações financeiras e compras. Agora, economizarão tempo e dinheiro tendo uma agência na cidade, de uma instituição que também se preocupa com o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas”.

O diretor-executivo da cooperativa, João Coelho, acrescenta que ter uma agência também melhora a atratividade do município para os investidores, inclusive parceiros do Sicredi, que possuem convênios para implantação de energia solar, móveis e utensílios, empresas de agropecuária, fortalecendo a economia da região.

É justamente essa a consequência esperada pelo prefeito de Porto Estrela, Eugênio Pelachim. “Termos uma agência do Sicredi em nossa cidade vai facilitar a vida das pessoas, das empresas e dos agricultores familiares. Teremos acesso aos recursos para financiar a agricultura familiar. Os empresários terão crédito para suas empresas e os servidores públicos serão beneficiados, com a prefeitura podendo fazer o pagamento da folha através cooperativa. Todo mundo ganha”, comenta ao se dizer otimista com a perspectiva de crescimento da cidade.

Diferenciais e impactos

A agência de Porto Estrela está localizada na avenida José Antônio de Faria, no Centro, e já entra em funcionamento oferecendo benefícios aos associados. Disponibiliza cartão sem anuidade para pessoas físicas e máquina de cartão sem o custo do aluguel para as empresas. As linhas de crédito consignado estão com taxas mais acessíveis.

Entre os benefícios econômicos esperados está o incremento das vendas do comércio local com meios alternativos de pagamentos, como as máquinas de cartões; aumento na arrecadação de impostos como consequência do aumento nas vendas e da abertura de uma instituição financeira como contribuinte de imposto sobre prestação de serviços; e a geração de empregos de forma direta e indireta.

Sobre a Cooperativa

 A Cooperativa Sicredi Sudoeste MT/PA tem 31 anos de fundação. É uma das 110 cooperativas que compõem o Sistema Sicredi. Sua área de atuação abrange 97 municípios nos estados de Mato Grosso e no Pará. A sede administrativa fica em Tangará da Serra. São 38 agências, distribuídas em 31 cidades, que reúnem mais de 84 mil associados nesses dois estados.

As agências estão localizadas em Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campos de Júlio, Curvelândia, Denise, Glória d’Oeste, Mirassol d’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Poconé, Porto Esperidião, Porto Estrela, Santo Afonso, Sapezal, Tangará da Serra e Várzea Grande em Mato Grosso. No Pará está presente nos municípios de Abel Figueiredo, Canaã dos Carajás, Marabá, Parauapebas, Redenção, Rio Maria, Tucumã , Xinguara, Dom Eliseu, Rondon do Pará, Paragominas e Tomé-Açu.

 

 

 

 

Fonte:Assessoria de Comunicação e Marketing

 

Comentários Facebook

Cidades

Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias de Tapurah

Publicado

por


.

Uma campanha envolvendo todas as áreas da Secretaria Municipal de Assistência Social de Tapurah pretende incentivar as vítimas de violência doméstica a denunciarem agressões nas farmácias. Pela campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, basta mostrar um X vermelho na palma da mão para que o atendente ou o farmacêutico entenda tratar-se de uma denúncia e em seguida acione a polícia e encaminhe o acolhimento da vítima.   

A ação é voltada para as mulheres que têm dificuldade para prestar queixa de abusos, seja por vergonha ou por medo. “É uma ação para salvar vidas. Os casos de violência contra as mulheres aumentaram no período da quarentena, mas há subnotificação, visto que as mulheres não conseguem sair para ir à delegacia. Até mesmo fazer uma chamada para o 180 passa a ser arriscado pela proximidade constante com o agressor”, explica a Secretária Municipal de Assistência Social, Jô Luza. 

Todas as farmácias de Tapurah, são parceiras na iniciativa. Segundo o material da campanha, atendentes e farmacêuticos seguirão protocolos preestabelecidos para lidar com a situação e não necessariamente serão chamados a testemunhar nos casos. 

A campanha é incentivada também pela Prefeita Maria Martelli “O isolamento social tem sido mais um desafio no combate à violência contra a mulher. Por isso, novas ferramentas foram criadas. A vítima, muitas vezes, não consegue denunciar as agressões. Por isso, é preciso agir com urgência”, disse a prefeita Maria. 

Entre março e abril deste ano, já em meio à pandemia do novo coronavírus, os casos de feminicídio cresceram 22,2% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com um levantamento feito em 12 estados e divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). No mesmo levantamento, o FBSP apontou queda na abertura de boletins de ocorrência ligados à violência doméstica. Para a entidade, os dados do levantamento demonstram que, ao mesmo tempo em que estão mais vulneráveis durante a crise sanitária, as mulheres têm tido mais dificuldade para formalizar queixa contra os agressores. 

DISQUE 180 

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgão competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. 

O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros. 

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher. O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros 16 países. 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Cidades

Agosto Lilás em Alto Garças será marcado por mobilização virtual devido à pandemia

Publicado

por


.

AGOSTO LILÁS – A campanha nasceu com o objetivo de alertar a população sobre a importância da prevenção e do enfrentamento à violência contra a mulher, incentivando as denúncias de agressão, que podem ser físicas, psicológicas, sexuais, morais e até patrimoniais.

A Secretaria De Assistência Social de Alto Garças informa que em razão da pandemia do Covid-19 e da necessidade do distanciamento social, as ações de conscientização serão concentradas em divulgações virtuais sobre o assunto, por meio de postagens de conscientização lembrando o assunto e também por meio de entrevistas na rádio local.

Em qualquer circunstância a violência deve ser denunciada e isso pode ser feito na delegacia ou pelo número 180, sendo que essa central de atendimento à mulher vítima de violência oferece assistência gratuita, confidencial e algumas funcionam 24 horas. Mesmo que a vítima não realize a ocorrência, os parentes ou vizinhos podem fazê-la.

Procurar ajuda é o passo principal para conseguir sair da situação de violência. É importante que todos fiquem atentos aos canais de denúncia disponíveis e, se possível compartilhar estas informações com o maior número de pessoas para que qualquer caso de violência contra a mulher não fique impune.

Ainda como form de maior conscientização além das Redes Sociais acontecerá também Entrevista na Rádio local no Jornal de integração, na sexta-feira 07 de Agosto as 11:30 com a Psicóloga do CRAS, Marcella Sperandio.

O número de feminicídios ocorridos nos seis primeiros meses de 2020 em Mato Grosso aumentou 68% em relação ao mesmo período do ano passado. Neste ano, 32 mulheres foram vítimas de feminicídio, enquanto que em 2019 houve 19 vítimas. Os dados são da Superintendência do Observatório de Violência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

A Secretária de Assistência Social Gisele Denise Lima Singolano relatou “É muito importante que todos fiquem atentos aos canais de denúncia disponíveis em nossa cidade, uma vez que talvez a vitima não consiga realizar a Denúncia os amigos, parente e até mesmo os vizinhos podem colaborar e ajudar a acabar com essa prática de abuso. Somos uma sociedade ativa e devemos sermos uns pelos outros” Declarou Gisele.

Canais de denúncia:

Central de Atendimento à Mulher – 180

Central de Emergência da Polícia Militar – 190

Plantão da Polícia civil de Alto Garças/MT – (66) 9.9921.4397

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana