conecte-se conosco


Polícia

Polícias Civil e Militar buscam outros quatro integrantes de quadrilha que assaltou joalheria

Publicado

Depois da prisão de um dos assaltantes de uma joalheria no centro de Tangará da Serra, na última quarta-feira (06), a Polícia segue as investigações para a prisão de outros quatro criminosos que participaram do roubo.

A Polícia Judiciária Civil investiga o caso e, em ação conjunta com a Polícia Militar, já identificou todos os integrantes da quadrilha.

Um dos integrantes da quadrilha já está preso

A Polícia Militar também investiga o caso através do seu serviço de inteligência. Em entrevista concedida à imprensa pelo Coronel PM Vanílson, do 19º Batalhão de Polícia Militar, praticamente toda a mercadoria que havia sido roubada no estabelecimento foi recuperada com o criminoso detido ontem, quinta-feira. O táxi utilizado na ação também foi recuperado e entregue ao taxista.

Sequestro

Os bandidos renderam um taxista para usar o seu veículo no assalto à joalheria. Segundo a Polícia Militar, três elementos mantiveram o taxista em cárcere privado até a consumação do roubo por outros dois comparsas.

Em entrevista concedida a uma emissora de rádio local, o titular do Comando Regional 7, Coronel PM Mourett, informou que o taxista está bem e não sofreu ferimentos na ação criminosa.

Comentários Facebook

Polícia

Fapemat vai desenvolver ferramentas tecnológicas para Segurança Pública

Publicado

por

Julia Oviedo | Sesp-MT

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante e o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), Adriano Silva, formalizaram nesta terça-feira (18.02) uma parceria para o desenvolvimento de produtos tecnológicos utilizados pelas forças de segurança do Estado. Ao todo, seis editais estão abertos e o investimento total será de R$ 1,3 milhão.

O investimento vai gerar uma economia de quase R$ 19 milhões aos cofres públicos. Caso desenvolvesse uma destas ferramentas por meio da iniciativa privada, o Estado desembolsaria aproximadamente R$ 20 milhões.

Uma das ferramentas é a criação de um sistema de gerenciamento dos equipamentos de serviço do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) em tempo real. Outro, é para um aplicativo de celular para a Polícia Judiciária Civil (PJC) que possibilita que o policial civil tire fotos em 3D de objetos encontrados no momento da ocorrência, especificando cor, tamanho, peso, volume, forma, etc.

Um terceiro edital prevê a criação de uma ferramenta que analisará a base de dados estatística da Polícia Militar e conseguirá prever possíveis ocorrências futuras. O projeto piloto será desenvolvido apenas na região central de Cuiabá e, dependendo do sucesso da iniciativa, pode se expandir para outras regiões da cidade e, consequentemente, do estado.

Outros projetos também preveem a criação de uma plataforma interligando todos os sistemas da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) e das forças de segurança do Estado. Além disso, a criação de um sistema de requisições e laudos da Politec, com a finalidade de informatizar os processos e deixá-los 100% online.

“É como se você fabricasse o sapato para o seu próprio pé: a academia será a fábrica e eu direi se o sapato está adequado ou não”, exemplificou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante. O titular da pasta acredita que é o momento de o Estado investir menos na iniciativa privada e mais em instituições. Além disso, a parceria também irá valorizar o conhecimento científico de pesquisadores mato-grossenses.

“É uma experiência que estamos apostando muito, porque afinal de contas, você traz a academia para ajudar o Estado, primeiro diminuindo custos e segundo, desenvolvendo produtos com a chancela do Estado. Por isso, a Fapemat vem ajudar a gente nisso: sendo uma interlocutora entre as diversas universidades do estado com a área de segurança. Eu tenho certeza no sucesso desta iniciativa, que além da área de segurança também se desdobrará para outras secretarias”, pontuou Bustamante.

Em Mato Grosso, há quase 2 mil professores doutores, segundo a Fapemat. Além disso, o Estado possui uma grande demanda por produtos e serviços que podem ser desenvolvidos por estes profissionais. É o que defende o presidente da Fapemat, Adriano Silva.

“Nós estamos encurtando essa relação pesquisadores e Estado. E quero parabenizar o secretário Alexandre Bustamante e a equipe da Sesp que acreditou nesta parceria, que está sendo desenvolvida desde o ano passado e que resultará no benefício da sociedade”, disse Adriano Silva.

Modelo cearense

Durante a reunião, Bustamante relembrou do modelo de tecnologia para a atividade policial praticado no Ceará, que ele teve acesso durante reunião do Colégio Nacional de Segurança Pública (Consesp), realizada em Fortaleza em maio do ano passado. O modelo de parceria entre Segurança Pública cearense e Universidade Federal do Ceará foi o que inspirou o secretário da Sesp a buscar na Fapemat uma alternativa aos produtos comercializados na iniciativa privada.

“Este é o momento de o Estado olhar mais para as instituições como celeiro de produtos e serviços. Ele não pode simplesmente ficar refém da iniciativa privada”, finalizou Bustamante.

Editais

Os seis editais já estão abertos e também podem ser acessados pelo site da Fapemat. Confira:

Edital FAPEMAT Nº. 001 /2020 Segurança Pública – Corpo de Bombeiro MilitarEdital FAPEMAT Nº. 002/2020 Segurança Pública – Policia Judiciaria CivilEdital FAPEMAT Nº. 003/2020 Segurança Pública – STIEdital FAPEMAT Nº. 004/2020 Segurança Pública – STIEdital FAPEMAT Nº. 005/2020 Segurança Pública – POLITECEdital FAPEMAT Nº. 005/2020 Segurança Pública – POLITEC

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil indicia 33 pessoas por envolvimento com tráfico de drogas em Várzea Grande

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Trinta e três suspeitos de atuar no comércio de drogas na região de Várzea Grande foram indiciados pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE). O inquérito instaurado subsidiou a operação “Cleanup” deflagrada em dezembro de 2019. Os envolvidos são acusados de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas

Em dezembro passado, 19 pessoas foram presas durante a operação. As diligências foram continuadas, possibilitando a identificação dos demais suspeitos.

Com a conclusão das investigações e indiciamento dos investigados, o inquérito policial foi encaminhado ao Ministério Público Estadual, para providências cabíveis e início do processo criminal perante a Justiça.

Conforme o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato, foram aproximadamente cinco meses de investigações, com a coleta de elementos robustos da participação de todos os indiciados nos crimes.

“O inquérito encerrado e concluído pelo delegado Wilson Cibulskys, reforça o excelente trabalho que vem sendo realizado por toda a equipe da DRE, levando para o início da ação penal e posteriormente condenação dos acusados”, destacou Vitor Hugo Bruzulato.

Operação “Cleanup

Cinquenta e seis ordens judiciais, entre mandados de prisões e de buscas e apreensões domiciliares foram cumpridos no dia 19 de dezembro por equipes da pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE). 

As ordens judiciais, sendo 23 mandados de prisão e 33 de busca e apreensão, foram expedidas pela 3ª Vara Criminal de Várzea Grande, com objetivo de combater a ação de traficantes que atuam, principalmente, no município.

Entre os alvos, estava um policial civil aposentado que atualmente é vereador de Várzea Grande.

Nome da operação

Cleanup traduzindo para o português significa Limpar/Limpeza, em alusão à limpeza da intensa criminalidade e violência em Várzea Grande.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana