conecte-se conosco


Nacional

Polícia prende quatro suspeitos do assassinato de indígena Guajajara no Maranhão

Publicado

source
carro da polícia arrow-options
Reprodução/TV Globo

Os homens foram presos neste sábado (14) suspeitos de assassinas Erisvan Guajajara


Leia também: Quatro indígenas são assassinados no Maranhão em menos de 2 meses

A Polícia Militar prendeu neste sábado (14) quatro suspeitos do assassinato do indígena Erisvan Guajajara, de 15 anos, morto a golpes de faca durante uma festa na madrugada de sexta-feira (13), no município de Amarante do Maranhão, localizado a 687 km de São Luís.

A Fundação Nacional do Índio havia divulgado que a vítima era Dorivan Soares Guajajara, de 28 anos, que na verdade é o irmão de Erisvan. A informação foi corrigida hoje. Além do jovem, o não indígena José Roberto do Nascimento Silva, de 23 anos, também foi morto.

Leia também: Após ataque a indígenas, Moro diz que pode enviar Força Nacional ao Maranhão

Segundo a Polícia Militar, a suspeita é que as vítimas tenham sido mortas por envolvimento com roubos e tráfico de drogas na região.

“Eles têm histórico de roubos e furtos de celulares e envolvimento com o tráfico de drogas. Estamos com a Polícia Civil buscando com os nossos serviços de inteligência mais informações para resolver essa questão e dar reposta a essa comunidade de Amarante”, disse o coronel Jorge Araújo, comandante do 34º Batalhão de Polícia Militar de Amarante do Maranhão.

De acordo com um dos irmãos do jovem indígena, Erisvan havia saído há 25 dias da Terra Indígena Araribóia, localizada a 20 quilômetros do centro de Amarante.

Leia mais:  Ex-chefe da Polícia Civil do Rio vira réu por crimes de fraudes em licitação

Os corpos de Erisvan Guajajara e José Roberto Nascimento foram liberados pelo Instituto Médico Legal de Imperatriz (IML) na noite dessa sexta (13) após passarem por exames.

A Funai divulgou uma nota sobre a morte do indígena e descartou a possibilidade do assassinato ter sido motivado por crime de ódio, disputa por madeira ou por terras. O órgão disse estar à disposição para contribuir nas investigações. Fotos que circularam em grupos de WhatsApp mostram dois corpos em uma área de gramado com ferimentos compatíveis com golpes de facão.


A região onde a nova morte foi registrada é marcada pela tensão entre índios e madeireiros. O assassinato de indígenas nos últimos dois meses começaram em novembro, quando Paulo Paulino Guajajara foi morto a tiros enquanto caçava. Ele era integrante de um grupo de indígenas conhecido como “guardiões da floresta”, que tentava impedir a invasão de terras indígenas por madeireiros.

Leia também: Índios sofriam ameaças após assaltos, diz membro da Funai no Maranhão

No último sábado, outros dois índios da etnia guajajara foram mortos em um atentado no município de Jenipapo dos Vieiras (MA). Outros quatro índios ficaram feridos. Foi depois dessas mortes que o ministro da Justiça, Sergio Moro, autorizou o envio da Força Nacional à região.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Serviço Geológico lança mapa online sobre áreas de risco no país

Publicado

por

source

Agência Brasil

Deslizamento de terra arrow-options
Reprodução/TV Globo

Deslizamentos de terra são comuns quando há chuvas intensas

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) lançou uma plataforma interativa que reúne informações sobre áreas com alto risco e muito alto risco de deslizamentos de terra, inundações, enxurradas e quedas de rocha, em mais de 1.600 municípios brasileiros. O serviço é um mapa online e contém uma base de dados que pode ser usada por gestores nacionais, estaduais e municipais, como as defesas civis de cada região, além da comunidade acadêmica, empresas privadas e a sociedade.

Leia também: Número de mortos por causa das chuvas em MG sobe para 37; 17 mil estão sem casa

Segundo a chefe da Divisão de Geologia Aplicada da CPRM, Sandra Fernandes, que coordena o trabalho de mapeamento de áreas de risco no país, o serviço é um visualizador que funciona como se fosse um mapa online .

“O mapa contém todas as informações que foram levantadas pelo Serviço Geológico do Brasil de 2012 até agora, referentes às condições de risco geológico, suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e inundação e mapeamento de perigo de movimentos gravitacionais de massa”, disse Sandra.

O mapa online mostra as áreas que apresentam condições de risco alto e muito alto nas regiões urbanas e delimita em campo, com base no número de moradias e de pessoas ali residente, quais são os processos que podem ocorrer em cada área. O mapa tem atualização constante e indica a quem o consulta se na área em pesquisada é considerada “de risco alto ou muito alto e se é propensa ou não para ocorrências que podem gerar risco”, explicou Sandra.

Leia mais:  Explosão em prédio deixa 14 feridos em cidade do Rio Grande do Sul

Os mais de 1.600 municípios que constam do mapa localizam-se em 25 estados – estão de fora apenas Mato Grosso, onde o mapeamento ainda não foi feito, e o Rio e Janeiro, onde o trabalho é feito pelo Serviço Geológico do Estado do estado.


“É um número crescente”, afirmou a chefe da Divisão de Geologia Aplicada da CPRM. Ela informou que, anualmente, é feita uma programação com o governo federal com foco em uma setorização em novos municípios ou na revisitação àqueles em que o levantamento começou, entre os anos de 2012 e 2014. “Isso porque a condição de risco é dinâmica e vai se modificando à em que aumenta a densificação urbana, ou quando o próprio município faz alguma modificação, seja estrutural, com obras de contenção,ou até mesmo não estrutural, para saber lidar com a condição de risco do município”, explicou.

Leia também: No Espírito Santo, chuvas já causaram a morte de oito pessoas

O acesso ao programa é feito pelo site do Serviço Geológico do Brasil. Pelo sistema de busca, o usuário pode localizar o município de seu interesse e, nos menus que se encontram no final do mapa, filtrar e cruzar dados sobre os produtos cartográficos elaborados pela CPRM.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Instituto diz que água em estação de tratamento está ‘de acordo com os padrões’

Publicado

por

source
Reservatório de água de Guandu arrow-options
Divulgação/Cedae

Cedae está com dificuldades em normalizar a situação da água no Rio de Janeiro

O Instituto Estadual de Ambiente (Inea) informou, em nota divulgada neste sábado, que, apesar do cheiro, cor e sabor estranhos, a água que é coletada na estação de tratamento do Guandu, gerenciada pela Cedae , está “de acordo com padrões estabelecidos”. Segundo o Inea, o laudo foi realizado a pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

Leia também: Minas Gerais decreta situação de emergência em 47 cidades por causa das chuvas


“Os resultados mostram que a qualidade da água para tratamento convencional, visando o abastecimento público está de acordo com os padrões estabelecidos pela Resolução Conama 357/2005″, diz a nota.

Leia também: No Espírito Santo, chuvas já causaram a morte de oito pessoas

O MP-RJ informou que será criado um Grupo de Trabalho da Secretaria Estadual de Saúde (SES) com as vigilâncias municipais, num prazo de até sete dias, para dar continuidade à análise da potabilidade da água tratada pela companhia. Também serão realizadas reuniões com órgãos ambientais e de vigilância para tratar dos problemas relacionados à água distribuída na Região Metropolitana da cidade.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Leia mais:  Após atentado e ameaças, posse de Bolsonaro terá esquema de segurança máxima
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana