conecte-se conosco


Cidade

Polícia Civil fecha ano com 1.110 inquéritos concluídos de roubo e furto de veículos

Publicado

Trabalho investigativo da Polícia Civil resultou neste ano na restituição de 1.082 veículos produtos de furto e roubo e apreensão de outros 929, além da conclusão de 1.110 inquéritos remetidos à justiça em ações conduzidas pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva). Os números são referentes a ocorrências criminais registradas nas duas maiores cidades do estado, Cuiabá e Várzea Grande.

Os trabalhos investigativos da delegacia especializada, que coordenou 11 operações voltadas ao esclarecimento de crimes de roubos e furtos de veículos, resultaram também na instauração de 639 inquéritos policiais, prisões em flagrante de 92 pessoas e outras 50 presas por mandados; apreensão de 198 armas e 31 quilos de drogas.

Entre as ações desencadeadas pela Derrfva neste ano destacam-se a Operação Cartorium, que realizou diversas fases para efetivar as diligências de inquéritos policiais em trâmite ou finalizados, com foco em crimes de roubos de veículos na região metropolitana. Em uma das fases, ocorrida em outubro, equipes da delegacia cumpriram mandados de prisão contra suspeitos identificados pela prática de roubo majorado. Entre os presos estava um casal investigado pela prática por roubo tendo como alvos motoristas de aplicativos, na região de Várzea Grande. O homem já estava preso na Penitenciária Central do Estado e coordenava as ações com a esposa de dentro da unidade prisional.

Apáte

Deflagrada em agosto, a operação Apáte cumpriu mandados de busca e apreensão contra uma associação criminosa especializada em fraudes contra seguradoras de veículos. A ação resultou na apreensão de quatro veículos, sendo três caminhonetes e uma motocicleta, além de uma pessoa presa em flagrante pelo crime de receptação.

A delegacia investigou crimes de estelionato, receptação, uso de documento falso, adulteração de sinal identificador de veículo e comunicação falsa de crime. As investigações iniciaram com intuito de coibir crimes efetuados pela organização criminosa, especializada em fraudar seguradoras. Segundo as investigações, o grupo simulava crimes de roubos e furtos, percebendo remuneração ilícita do valor do contrato de seguro, adulterando posteriormente os veículos (dublê).

Fábrica de documentos falsos

Em fevereiro, investigação da Derrfva resultou nas prisões de integrantes de uma organização criminosa que atuava no comércio, adulteração de veículos e documentos públicos. O grupo criminoso agia a mando de presos da Penitenciária Central do Estado e com eles foram encontradas dezenas de cédulas de documentos de veículos, a maioria em branco; placas de veículos, notebooks, cartões de bancos, fotos avulsas 3×4, cédulas de identidades e de carteira de CNH, além de 30 quilos de maconha e ferramentas usadas para falsificação de documentos públicos que eram usados para “esquentar” veículos e na aplicação de golpes diversos.

Leia mais:  Sistema de abastecimento da Gleba Triângulo receberá melhorias a partir de julho

A quadrilha atuava em roubos de veículos, em especial, caminhonetes, que eram adulteradas e atravessadas para a Bolívia, retornando ao Brasil na forma de entorpecentes, que por sua vez, seguiam para distribuição na Grande Cuiabá.

Rentallis

A operação deflagrada em agosto deste ano teve objetivo de combater uma associação criminosa especializada na subtração de veículos de empresas locadoras e no encaminhamento dos automóveis à Bolívia, bem como reprimir a lavagem de dinheiro e valores auferidos com as atividades ilícitas.

Segundo as investigações da Derrfva, os envolvidos firmavam contratos de locações de veículos junto a empresas do ramo, e após subtraírem os automóveis, conduziam os veículos para entrega a criminosos na Bolívia. Em Mato Grosso, a maioria dos veículos furtados pelos criminosos era camionetes, dos modelos Hilux e Amarok, por exemplo.

Em uma das ações da quadrilha, os envolvidos tentaram furtar um automóvel Mercedez Benz, avaliado em R$ 150 mil reais, que seria levado para a Bolívia, mas foi recuperado a tempo na cidade de Cáceres. As investigações apontam que a associação criminosa atuava nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

Compra Segura

Em julho de 2019, a Derrfva coordenou a segunda fase da operação Compra Segura, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), para fiscalização ao comércio de veículos roubados, furtados ou Finan (veículo financiado revendido a preço inferior, em que as parcelas deixam de ser pagas ao banco).

A fiscalização foi realizada no bairro CPA 2, na Praça Cultural, onde aos domingos é realizada a “Feira do CPA”, com concentração de comércio de veículos. Conforme o delegado titular da Derrfva, Gustavo Garcia, mais de 100 veículos checados e quatro foram identificados com sinais adulterados, que foram encaminhados ao pátio da Delegacia junto com os responsáveis ou proprietários.

Leia mais:  Prefeitura de Rosário Oeste repassou mais R$ 78.474,89 para o Hospital Amparo

O delegado disse ainda que o trabalho foi importante pela possibilidade de divulgar ao público sobre a necessidade da regularização de veículos com pendências administrativas, e, principalmente, os cuidados a serem tomados na aquisição de qualquer tipo de veículo.

A Derrfva publicou neste ano uma cartilha com orientações e dicas de segurança na compra e venda de veículos. Elaborada pelo delegado da Derrfva, Arnon Osny Mendes Lucas, o objetivo da cartilha e auxiliar e prevenir que pessoas de boa fé sejam vítimas de golpes, fraudes e crimes ligados à venda ou compra de veículos.

Levantamento de órgãos de inteligência estadual e federal, apontam que veículos (motocicletas e automóveis) produtos de crimes são comumente comercializados em pontos de vendas de veículos usados, na região metropolitana, com as placas e documentos  falsificados e a numeração de identificação do veículo adulterada.

Pátio Limpo

Em setembro, a delegacia realizou a segunda fase da operação Pátio Limpo, para prensagem de materiais apreendidos e deteriorados e limpeza do pátio da unidade policial. Foram prensados 250 veículos (motos, carros e caminhões), que estavam há décadas entulhados e aglomerados, aguardando destinações judiciais. Após a prensa, o material foi enviado para reciclagem.

Para autorizar um veículo a passar pela prensa, a unidade policial concluiu mais de 750 inquéritos. Os bens ficam em posse da delegacia quando o veículo é apreendido por alguma queixa de crime: roubo, furto, clonagem, dentre outros.


“O processo destes bens inservíveis começou no início do ano. Fizemos diversas ações cartorárias que resultaram na conclusão de mais 750 inquéritos. A partir deste trabalho, criamos um procedimento padrão de atendimento a vítima, o que facilitou a entrega do veículo a quem de direito. Com estas medidas nós entendemos que vamos garantir um local limpo, tanto para o servidor, como também para a sociedade. Nosso trabalho tem permitido diminuir o passivo de décadas”, ressalta o titular da Derrfva, Gustavo Garcia.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Cidade

Mais de 35 mil cidadãos e cidadãs atendidos em 2019 na AL

Publicado

por

Foto: MAÍRA NIENOW

“Nosso setor é uma das principais e mais diretas ferramentas de comunicação da Casa com a cidadania, por isso mesmo nossa equipe prima pela eficiência e qualidade, excelência do atendimento a todos aqueles que procuram nossos serviços”, define a ouvidora-geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Uecileny Rodrigues Fernandes Vieira.

O número de cidadãos e cidadãs atendidos impressiona. Neste ano, foram 18.930 atendimentos pela Defensoria Pública, 15.867 pelo Espaço Cidadania com emissão de documentos de identidade e 519 reclamações ao órgão de defesa do consumidor (Procon), além de 221 manifestações de solicitação de informações ou sugestões recebidas. Em relação a 2018, houve um aumento de aproximadamente 20% no total de atendimentos.

Todo o trabalho é realizado em parceria com o Instituto de Identificação, Secretaria-Adjunta de Proteção e Defesa aos Direitos do Consumidor e Defensoria Pública, por meio de termos de cooperação técnica. A Casa cede espaço, estrutura física e pessoal e os órgãos parceiros, além de chancelar os serviços prestados, definem os protocolos e o formato de atendimento ao público.

Além do cuidado com que os serviços são prestados, outros fatores contribuem para o sempre crescente aumento na procura pelo atendimento na Assembleia Legislativa – desde a localização da Casa até a atenção despertada pelos trabalhos dos parlamentares, a exemplo da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor e da CPI da Energisa.

Leia mais:  Municípios já economizaram mais de R$ 6 milhões com o Jornal Oficial da AMM em 2019

Foto: MAÍRA NIENOW

2020 – Natural de Poxoréu, bióloga e também bacharel em direito, Uecileny Vieira assumiu a Ouvidoria-Geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso em outubro do ano passado. Antes, havia iniciado seu trabalho no setor público entre os anos de 2005 e 2008 – à época titular da Secretaria de Meio Ambiente de sua cidade natal, sob a gestão do ex-prefeito Antonio Rodrigues da Silva, lá popularmente conhecido por “Tonho do Menino Velho”. Desde 2009, assessorou o deputado Sebastião Rezende (PSC) no Legislativo de Mato Grosso.

Para 2020, ela planeja ampliar a capacidade de atendimento do setor, assim como melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e cidadãs mato-grossenses.


“Isso demanda maior número de servidores, assim como capacitação e qualificação destes, além da completa digitalização de nossa logística, melhora de nossas condições estruturais e até mesmo um novo layout visual do setor; tudo isso já está bem planejado e encaminhado com a Mesa Diretora, que tem nos dado todo o suporte necessário para nosso trabalho”, assinala a ouvidora-geral.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cidade

Aplicativo Nota MT se consolida como app governamental melhor avaliado pelo cidadão

Publicado

por

O aplicativo do programa Nota MT, criado pelo Governo do Estado para estimular a inclusão do CPF na nota fiscal eletrônica, consolidou-se como o aplicativo governamental melhor avaliado pelo cidadão Em apenas cinco meses em que está disponível, o aplicativo já foi baixado 158.047 vezes em celulares com sistema Android e IOS.

Junto com o portal do programa Nota MT, o aplicativo foi desenvolvido por analistas da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), em parceria com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). Desde seu lançamento, o aplicativo do Nota MT foi baixado 134.616 nos celulares com sistema Android e 23.431 nos sistemas IOS.

De acordo com Ricardo Crudo, analista da MTI e superintendente de TI da Sefaz, apesar de o aplicativo ser novo, ele já está muito bem avaliado pelos usuários no comparativo com aplicativos de programas fiscais semelhantes, de outros Estados.

“O Nota MT possui notas de 4,7 em uma escala de 1 a 5 na Play Store e na Apple Store com, respectivamente, quase 4 mil e mil avaliações positivas. Outros programas similares e bem mais famosos de outros Estados, como o Nota Fiscal Paulista e o Nota Paraná, possuem notas de 3,3 e 3,7, por exemplo”, disse.

No aplicativo, o cidadão tem acesso com facilidade e agilidade às informações sobre as notas fiscais emitidas em nome dele, mês a mês e anualmente, tem acesso à legislação sobre o Nota MT, bem como a funcionalidade chamada “Meu CPF”, que disponibiliza o número do CPF da pessoa cadastrada no programa em formato de código de barras na tela do celular.

Leia mais:  Prefeito de Tangará da Serra vistoria obras do Centro de Múltiplo Uso e Creche

O cidadão também consegue realizar o acompanhamento das datas programadas dos sorteios, dos resultados e das premiações. Somente neste ano, oito sorteios do programa foram realizados e já foram distribuídos R$ 3 milhões para 4.883 consumidores.  Ao todo, mais de 240 mil usuários estão cadastrados no Nota MT.

Além do aplicativo, de acordo com Crudo, todo o sistema desenvolvido pelo Nota MT é considerado de alta complexidade, pelos serviços que tiveram que ser implementados e entregues de forma muito ágil pela equipe envolvida.

“O processo de consulta de notas para a geração de bilhetes, a segurança e transparência do sorteio, da automação para a verificação de pendências de débito e da realização do pagamento, a validação cadastral, entre outros”, disse.


Crudo destacou ainda a elevada capacidade técnica da MTI para implementar grandes projetos de Governo, em tempo recorde, com qualidade e eficiência.  “Caso tivéssemos optado pelo desenvolvimento terceirizado, o prazo previsto de entrega seria dezembro de 2019. Ou seja, se não houvesse atraso, estaríamos começando o programa somente agora”, encerrou.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana