conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil e Sefaz deflagram operação de combate a crimes tributários

Publicado

Assessoria/PJC-MT 

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) deflagrou nesta quarta-feira (09.10) em conjunto com a Secretaria de Estado de Fazenda a Operação Fake Paper para cumprimento de nove mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão por crimes contra a administração pública.

A ação policial apura uma organização criminosa que através de falsificação de documento público, falsificação de selo ou sinal público e uso de documento falso promoveu a abertura de empresas de fachada, visando disponibilizar notas fiscais frias para utilização de produtores rurais e empresas nos crimes de sonegação fiscal. Além disso, o esquema possibilitou a prática de crimes não tributários, como a fraude a licitação, ou mesmo ‘esquentar’ mercadorias furtadas ou roubadas.

O delegado Sylvio do Vale Ferreira Junior, que preside as investigações, ressalta que a emissão de notas fiscais frias interfere negativamente na base de dados da Sefaz-MT. “Distorcendo as informações sobre produção econômica do estado e, consequentemente, na composição de índices do Fundo de Participação dos Municípios, e no cálculo do Fundo de Participação dos Estados, causando efeitos devastadores ao estado”.

A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso constatou que, juntas, as empresas Rio Rancho Produtos do Agronegócio Ltda. e Mato Grosso Comércio e Serviços e a B. da S.. Guimarães Eireli emitiram R$ 337.337.930,11 milhões em notas frias, gerando um prejuízo alarmante ao Estado.

O delegado titular da Defaz, Anderson da Cruz e Veiga, ressalta que “a operação busca apreender documentos, dispositivos móveis e computadores que possam robustecer ainda mais a investigação e integra mais uma ação da Defaz em conjunto com a Secretaria de Estado de Fazenda, no combate aos crimes contra a ordem tributária”.

Os mandados estão sendo cumpridos em sete cidades de Mato Grosso: Cuiabá, Tangará da Serra, Campo Novo dos Parecis, Barra do Bugres, Canarana, Sorriso e Juína.

Agora pela manhã, às 10h, será concedida coletiva à imprensa no sala de audiências da Sefaz, no Centro Político Administrativo.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook

Polícia

Operação Interfectores cumpre mandados para esclarecer homicídio ocorrido no município

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Oito mandados, sendo sete de buscas e apreensões e um de prisão preventiva, foram cumpridos pela Polícia Judiciária Civil do município de Juína (735 km a noroeste de Cuiabá), na Operação “Interfectores”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (20.02).

Cinco pessoas, entre elas um menor de idade, foram presas por tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores, favorecimento de bebida alcoólica para adolescente e uso de entorpecente.

O suspeito com mandado de prisão preventiva foi preso em cumprimento à ordem e também autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Além das prisões, o trabalho operacional resultou na apreensão de drogas, dinheiro, apetrechos para o tráfico, além de veículos usados em ações criminosas.

As ordens judiciais foram decretadas pela Justiça após investigação conduzida pela Delegacia de Polícia de Juína, para apurar crime de homicídio ocorrido na região.

Durante diligências em um dos locais alvos, uma residência no bairro Módulo 4, onde os investigadores apreenderam duas motocicletas, porções de cocaína, maconha, quase R$ 1 mil em dinheiro, balança de precisão, aparelhos celulares e outros produtos usados para embalar e comercializar drogas.

Em outro endereço, os policiais civis cumpriram a prisão preventiva decretada contra o autor de um homicídio ocorrido no dia 05 de fevereiro, em frente a um mercado no bairro Módulo 6. Wemerson do Ouro dos Santos, de 19 anos, foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta, que se aproximaram e o garupa efetuou disparos de arma de fogo atingindo a vítima.

Conforme o delegado de Juína, Marco Bortolotto Remuzzi, os indícios apontam que esse homicídio foi motivo por um desentendimento ocorrido entre a vítima e o suspeito, alguns dias antes do crime.

“O resultado positivo da operação é fruto do empenho e excelente trabalho investigativo realizado pelos policiais civis de Juína, com objetivo de combater a criminalidade, em especial os crimes de tráfico de drogas e crimes contra a vida”, destacou o delegado Marco Remuzzi.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil apura mortes ocorridas em casa onde funcionava ponto de venda de drogas

Publicado

por

Assessoria/PJC-MT

Equipe da Polícia Judiciária Civil de Nobres, coordenada pelo delegado Henrique Trevisan, está trabalhando desde a noite desta quarta-feira (19.02) para apurar os cinco homicídios ocorridos em uma casa no bairro Cohab Pôr do Sol, no município.

Cinco rapazes, com idades entre 17 e 24 anos, e todos com passagens criminais, foram mortos a tiros durante a noite de quarta-feira. Três deles foram localizados do lado de fora da residência, e dois dentro da casa, sendo que alguns ainda apresentavam sinais vitais quando a Polícia Militar chegou ao local. Foram socorridos ao hospital da cidade, mas não resistiram aos ferimentos. Moradores do bairro acionaram a Polícia Militar após ouvir diversos disparos vindos de uma das casas.

A Polícia Civil iniciou as diligências de imediato e de acordo com o delegado Henrique Trevisan, os homicídios desta quarta-feira tem ligação com outra morte registrada no mês de janeiro, quando o corpo de um homem foi localizado na Estrada do Pindura, zona rural de Nobres. A vítima desse crime, posteriormente identificada como Clayton Nunes da Silva, morador do município de Nova Mutum, foi atingida com disparos de uma espingarda calibre 12. Essa morte foi esclarecida e quatro pessoas suspeitas do crime foram identificadas e tiveram as prisões representadas pela Polícia Civil, sendo que duas estão presas. Com base nos elementos colhidos durante as investigações, o delegado constatou que o crime foi motivado por uma rixa entre dois grupos criminosos.

Entre as linhas de investigação da Polícia Civil para as mortes ocorridas na noite desta quarta-feira, em Nobres, está a possibilidade de represália de um grupo criminoso pelo homicídio cometido contra Clayton Nunes.

A casa onde ocorreram as mortes foi identificada pela Polícia Civil como um ponto de venda de drogas, sendo apreendidas no local porções de entorpecentes e materiais para embalagem dos ilícitos.

As diligências continuam para identificar os responsáveis pelas mortes. Conforme o delegado, há a possibilidade de que os crimes tenham sido cometidos por, pelo menos, três pessoas. A polícia apura ainda que havia uma sexta pessoa na casa que, ao que tudo indica, conseguiu fugir, e é apontado como dono da boca de fumo.

Os corpos dos cinco rapazes foram encaminhados para exames de necropsia no Instituto Médico Legal de Cuiabá.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana