conecte-se conosco


Saúde

Pfizer aumenta produção e reafirma eficácia contra variantes

Publicado


source
Vacina
Reprodução: iG Minas Gerais

Empresa diz que vacina é eficaz contra variantes britânica e sul-africana

(ANSA) – Durante um evento online nesta quarta-feira (13), a farmacêutica Pfizer confirmou que irá aumentar a produção da vacina anti-Covid desenvolvida com a BioNTech e que a BNT162b é eficaz contra as variantes britânica e sul-africana do coronavírus Sars-CoV-2.

“Segundo os primeiros estudos, há uma elevada eficácia da vacina Pfizer/BioNTech contra as duas variantes”, afirmou o CEO da empresa, Albert Bourla. As mutações suscitaram muita preocupação no mundo por conta de uma maior facilidade de propagação do coronavírus Sars-CoV-2.

Sobre o aumento da produção, que também havia sido anunciado pelo laboratório alemão nesta terça-feira (12), Bourla afirmou que “neste momento, o nosso objetivo principal em todo o mundo é melhorar a nossa capacidade de produção” dos imunizantes.

“Esperamos fornecer neste ano dois bilhões de doses e os esforços não serão parados”, acrescentou. A previsão inicial, anunciada em 2020 ainda antes da finalização dos testes, era de produzir 1,3 bilhão de doses durante 2021.

Segundo havia explicado a BioNTech, esse aumento da produção vem após com base no “novo padrão” que permite que cada frasco resulte em seis doses – e não nas cinco estipuladas inicialmente. Além disso, haverá a inauguração em fevereiro de uma nova planta em Marburg, na Alemanha, com capacidade de produção anual de até 750 milhões de doses.

A vacina da Pfizer/BioNTech foi a primeira a ser liberada para uso emergencial em diversos países ocidentais, como no Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e nas nações da União Europeia, e também em Israel. Também alguns países sul-americanos já aprovaram o imunizantes BNT 162b. (ANSA).

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Anvisa rejeita documentos para uso emergencial da vacina Sputnik V, da Rússia

Publicado

por


source
vacina
Divulgação/Sputnik Vaccine

Anvisa rejeita documentos para uso emergencial da vacina Sputnik V, da Rússia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, neste sábado (16), que rejeitou os documentos apresentados pelo laboratório União Química que solicitavam a aprovação para o emergencial da vacina  Sputnik V, no Brasil. De acordo com o órgão, as informações não cumpriram os requisitos para aprovação e análise. 

“A solicitação foi restituído à empresa por não atender os critérios mínimos, especialmente pela falta de autorização para a condução dos ensaios clínicos fase 3, a condução em andamento no país e questões relativas às boas práticas de fabricação”, diz um dos trechos da nota.

A Anvisa ressaltou ainda que, além do pedido de autorização de estudo clínico na fase 3, é necessário que os estudos estejam em andamento no Brasil.

Você viu?

“Um pedido de autorização de uso emergencial para a Anvisa deve incluir estratégias que serão implementadas pela requerente de forma a garantir que os ensaios clínicos em andamento da vacina sejam capazes de avaliar a segurança e a eficácia a longo prazo”.

Testes no Brasil 

A solicitação fazer os testes com o imunizante no país foi feito em 31 de dezembro. Durante o processo de análise, a Anvisa identificou a ausência de documentos e pediu para que o laboratório apresentasse as informações.

No dia 6 de janeiro, de acordo com a agência, a empresa teria respondido que “tão logo consiga cumprir com a exigência farei os apontamentos para tornar a análise mais célere.”

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasil registra mais de mil mortes por Covid-19 pelo 5° dia consecutivo

Publicado

por


source
virus
NIAD/Creative Commons

Brasil registra mais de mil mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas; veja

O Brasil registrou, neste sábado (16), 1.163 vidas perdidas pela Covid-19 apenas nas últimas 24 horas. Este é o quinto dia seguido com mais de mil mortes por dia pela doença. Ao todo, desde o início da pandemia, a doença já fez 209.296 vítimas em território nacional. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Além disso, o país notificou mais 64.718 casos da doença no último período, o que eleva a média móvel de casos para 54.152 casos por dia durante a semana. O país também aponta 952 mortes por dia durante esta semana, número bastante próximo do pico registrado em julho de 2020.

O estado mais atingido pela Covid-19, em números de mortes e casos, é São Paulo, com 1.619.619 diagnósticos de infecção. Minas Gerais está em segundo lugar, com 636.797 casos positivos desde o início da pandemia. Ao todo, o Brasil já notificou 8.455.059 casos da doença.

Amazonas

O estado do Amazonas, que vive uma crise por conta do aumento no número de internações e pela falta de oxigênio, registrou, apenas nas últimas 24 horas, 6007 casos da doença, com 193 mortes.

No total, o estado já acumula 6.123 óbitos pela doença e 229.367 casos. A taxa de letalidade no estado é maior que a média geral também. Por lá, o número é de 2,7%, enquanto a média nacional é de 2,5%.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana