conecte-se conosco



Policia Federal

PF investiga fraudes contra o INSS na cidade de Mossoró

Publicado

Natal/RN – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (6/12), a Operação IM(PPP)RÓPRIO, para apurar notícia de utilização de documentação fraudulenta para obtenção de benefícios previdenciários perante o INSS. Está sendo cumprido um mandado de busca e apreensão em escritório de advocacia na cidade Mossoró/RN.

A Representação de Inteligência Previdenciária – REINP detectou que diversos indivíduos teriam apresentado documentos fraudulentos para comprovar as condições especiais de suas atividades laborais pretéritas. Os documentos, em sua maioria, referiam-se a formulários do tipo PPP, uma espécie de documento histórico laboral utilizado para fazer prova de condições de risco vivenciadas pelo empregado. Embora a maior parte dos requerimentos suspeitos tenham sido indeferidos no âmbito administrativo, há notícia de que o intento dos fraudadores seria o ajuizamento de ação previdenciária a fim de induzir o Juízo a erro e obter, com base das documentações fraudadas, a concessão do benefício previdenciário anteriormente indeferido no INSS. As apurações preliminares no INSS constataram que todos os indivíduos que apresentaram documentação com indícios de fraude foram assessorados pelo mesmo causídico.

Estima-se que, em apenas seis casos sob suspeita de fraude, o prejuízo seria de R$ 3,6 milhões, levando-se em consideração a expectativa de vida da população brasileira.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

[email protected] | @pfnorn | www.pf.gov.br

Contato: (84) 3204.5588

Comentários Facebook
Leia mais:  PF prende cearense procurado pela Justiça
publicidade

Policia Federal

Polícia Federal apreende eletrônicos e miras telescópicas

Publicado

por

Foz do Iguaçu/PR – Em ação rotineira de fiscalização e controle em estabelecimento localizado no bairro Vila Portes, nesta cidade, policiais federais apreenderam nesta sexta-feira (14/12)  grande quantidade de mercadorias estrangeiras importadas irregularmente e duas miras telescópicas para arma de fogo.

Os produtos, em sua maioria aparelhos celulares e memórias externas (pen-drives), estavam estocados em uma despensa do estabelecimento. Em razão da capacidade de zoom, ou seja de aproximação e aumento da imagem em nove vezes, as miras telescópicas apreendidas são classificadas como de uso restrito.

O proprietário do estabelecimento foi preso em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia Federal de Foz do Iguaçu/PR, onde se encontra custodiado e à disposição da justiça.

Estima-se que as mercadorias apreendidas totalizem cerca de R$ 175 mil.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu

Contato: (45) 3576-5515

 

Comentários Facebook
Leia mais:  PF prende cearense procurado pela Justiça
Continue lendo

Policia Federal

PF deflagra a 2ª fase da Operação Forte Castelo

Publicado

por

Belém/PA – A Polícia Federal, juntamente com o MPF, CGU e a Receita Federal, deflagraram nexta sexta feira (14/12) a segunda fase da Operação Forte do Castelo, com objetivo de dar continuidade às investigações iniciadas em 2017. Decorre de novos elementos trazidos ao conhecimento do MPF, por meio de acordo de colaboração premiada firmado em maio de 2018 por pessoas ligadas à empresa responsável pelas obras do Portal da Amazônia, Macrodrenagem da Estrada Nova e BRT-Belém.

Estão sendo cumpridos 05 mandados de busca e apreensão nas cidades de Belém/PA e Brasília/DF.

No acordo de colaboração premiada, os colaboradores relataram e apresentaram documentação que implicam novos personagens no esquema vigente durante os dois mandatos de um ex-prefeito (2005-2012), em especial ex-secretários municipais, que tiveram intensa participação nos atos de direcionamento de licitações, acerto e recebimento de valores indevidos, pagos pela construtora em relação às obras realizadas no município de Belém (Portal da Amazônia, Macrodrenagem da Estrada Nova e BRT-Belém).

As análises conduzidas pela força-tarefa constataram a existência de conjunto robusto e consistente de indícios que aponta para a fraude ao caráter competitivo e o direcionamento de diversos certames que culminaram com a contratação das empresas do grupo ligado ao ex-prefeito. No curso das investigações, foi obtido conjunto probatório suficiente que apontou, além de irregularidades na contratação das empresas, indícios de enriquecimento ilícito de vários membros da organização.

O dano ao erário já identificado pela Força-Tarefa é de pelo menos R$ 400 milhões.

 

Leia mais:  PF desarticula grupo criminoso que agia em sete estados da federação

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Pará

Contato: (91)3214 8029

[email protected]

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana