conecte-se conosco


Policia Federal

PF fecha setembro com mais de 6 toneladas de cocaína apreendidas no MS

Publicado

Campo Grande/MS – A Polícia Federal fechou a contabilidade do total de cocaína apreendida neste ano até o dia 30 de setembro: 6, 27 toneladas da droga apreendidas em todas as unidades da PF no Estado do Mato Grosso do Sul. O dado inclui ocorrências levadas às unidades da PF pela PRF e pela PM. No ano passado, no mesmo período de janeiro a setembro, foram apreendidas 3,31 toneladas de cocaína.

Enquanto a cocaína apreendida este ano é quase o dobro da quantidade do ano passado, este mês a maconha chegou perto dos números do ano passado. Até o mês de agosto, a quantidade de maconha apreendida foi bem menor que a do ano passado. Até o fim de setembro passado, foram apreendidas 61,03 toneladas, frente as 66 toneladas do ano passado no mesmo período.

 

Drogas apreendidas no MS(Inclui ocorrências da PF e da PRF)
____
2019 – até 31/9
COCAINA – 6,27 ton
MACONHA – 61,03 ton
____
2018 – até 31/9
COCAÍNA – 3,31 ton
MACONHA – 66,63 ton
____
2018
COCAINA – 4,13 ton
MACONHA – 84,63 ton
____
2017
COCAINA – 3,12 ton
MACONHA – 162,75 ton
____
2016
COCAÍNA – 3,72 ton
MACONHA – 83,45 ton
____
2015
COCAÍNA – 4,47 ton
MACONHA – 71,57 ton
____
FONTE: SEC/DRCOR/PF/MS

 

Leia mais:  PF combate o desvio de verbas públicas destinadas a obras em município paraibano

Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul

Contato: (67) 3368-1105


E-mail: [email protected]

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook

Policia Federal

PF combate o tráfico de drogas em Santa Cruz do Sul/RS

Publicado

por

Santa Cruz do Sul (RS) – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (22/11) a Operação Outra Vez, com o objetivo de combater o tráfico de drogas na região.

Policiais federais cumpriram três mandados de busca e apreensão em Santa Cruz do Sul, expedidos pela Justiça Estadual. Em um dos locais, havia uma estufa para cultivo de pés de maconha, que foram apreendidos. Em outro endereço alvo da operação, os policiais federais apreenderam comprimidos de droga sintética. Dois homens foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

O inquérito policial foi instaurado em novembro de 2019, após informações recebidas da comunidade, e visa investigar a pratica delituosa de tráfico, financiamento e associação ao tráfico.

A Operação foi denominada Outra Vez em razão da reincidência de um dos investigados no crime de tráfico de drogas.


 

Contato: (51) 3717.9000

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Leia mais:  Avião bimotor é interceptado por aeronave da FAB em Mato Grosso
Continue lendo

Policia Federal

PF deflagra Operação Elétron para combater fraudes em agência reguladora

Publicado

por

Brasília/DF – A Polícia Federal cumpre nesta manhã (22/11) dois mandados de busca e apreensão, relativos à Operação Elétron que apura possível recebimento indevido de valores por ex-Diretor da ANEEL.  Estão sendo cumpridos dois mandados de busca, com apoio da CGU, em Brasília/DF.

 

O Inquérito Policial, instaurado em 2016, teve início a partir de Nota Técnica da Controladoria Geral da União – CGU, que identificou indícios de irregularidades em decisões tomadas por Diretores da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL entre os anos de 2010 e 2013, contrariando os pareceres técnicos da própria agência, beneficiando empresas do ramo de energia, em prejuízo ao erário, ultrapassando a quantia de R$ 12 milhões.

 

As investigações apontam que, associado a essas decisões controvertidas, um ex-Diretor da ANEEL, sete meses depois de deixar a agência, foi nomeado diretor de treze empresas na área de energia. Concomitantemente a isso, ele constituiu uma empresa de consultoria na área de energia elétrica, a partir do que, ele e a empresa passaram a receber em suas contas bancárias diversas transferências e depósitos de empresas da área de energia elétrica, tendo atuado, inclusive, em alguns casos, como o relator em algumas decisões que beneficiaram tais empresas.

 

A apuração mostrou que entre os anos 2014 e 2015 houve um aumento significativo de depósitos nas contas vinculadas ao ex-Diretor e sua empresa, de aproximadamente 300% em relação aos anos de 2011 a 2013. Grande parte dos valores depositados não consta na declaração de ajuste anual dos dois anos. Os indícios apontam que tais transferências são uma contraprestação pelos benefícios obtidos pelas empresas em face das decisões tomadas pelo então Diretor da ANEEL. 


 

Leia mais:  Operação Lacuna combate fraudes no sistema de crédito de reposição florestal no Amapá

 

 

Contato: (61) 2024-7557

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana