conecte-se conosco



Policia Federal

PF desarticula grupo que praticava fraudes bancárias em vários estados

Publicado

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (7/12) a Operação Bandeirantes, que visa desarticular organização criminosa que fraudava os sistemas informatizados de instituições financeiras com o intuito de desviar recursos. Cerca de 40 policiais federais estão cumprindo quatro mandados de prisão preventiva e três mandados de prisão temporária, além de oito buscas e apreensões, em endereços ligados aos alvos em Brasília/DF, Goiânia/GO e São Paulo/SP. As ordens judiciais foram expedidas pela 10ª Vara Federal da Seção Judiciária do DF.

A organização criminosa recrutava estagiários e empregados terceirizados de bancos para que realizassem a instalação de equipamentos que permitiam a invasão dos sistemas por parte de integrantes da quadrilha. Com acesso aos dados dos clientes, por meio de senhas de servidores das instituições financeiras, os criminosos transferiram valores de correntistas para contas de integrantes do grupo.

As investigações, iniciadas em 2016, constataram casos de fraude em Alagoas, Rio Grande do Norte, Goiás, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal. A PF apurou, ainda, que o líder do grupo criminoso, que já havia sido preso pela prática de crimes semelhantes, aproximava-se de pessoas ligados a delitos cibernéticos em cada um desses estados.

As instituições bancárias, vítimas da atuação do grupo, detectaram as fraudes por meio da ação dos seus setores de segurança e forneceram dados para as investigações. Estimam que, no último ano, R$ 30 milhões teriam sido desviados por esse esquema.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de furto mediante fraude, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

O nome da operação, Bandeirantes, é a denominação dada aos sertanistas do período colonial que, a partir do início do século XVI, penetraram no interior do Brasil em busca de riquezas minerais, sobretudo ouro e prata. Faz-se uma alusão à atuação do grupo investigado, que praticou fraude em diversos estados da federação, de norte a sul do país.

 

Leia mais:  PF apreende 45 kg de cocaína no Aeroporto Internacional de São Paulo

Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal

Contato: (61) 2024-8142

Comentários Facebook
publicidade

Policia Federal

Polícia Federal apreende eletrônicos e miras telescópicas

Publicado

por

Foz do Iguaçu/PR – Em ação rotineira de fiscalização e controle em estabelecimento localizado no bairro Vila Portes, nesta cidade, policiais federais apreenderam nesta sexta-feira (14/12)  grande quantidade de mercadorias estrangeiras importadas irregularmente e duas miras telescópicas para arma de fogo.

Os produtos, em sua maioria aparelhos celulares e memórias externas (pen-drives), estavam estocados em uma despensa do estabelecimento. Em razão da capacidade de zoom, ou seja de aproximação e aumento da imagem em nove vezes, as miras telescópicas apreendidas são classificadas como de uso restrito.

O proprietário do estabelecimento foi preso em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia Federal de Foz do Iguaçu/PR, onde se encontra custodiado e à disposição da justiça.

Estima-se que as mercadorias apreendidas totalizem cerca de R$ 175 mil.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu

Contato: (45) 3576-5515

 

Comentários Facebook
Leia mais:  PF combate grupo criminoso que assaltava caminhões dos Correios no RN
Continue lendo

Policia Federal

PF deflagra a 2ª fase da Operação Forte Castelo

Publicado

por

Belém/PA – A Polícia Federal, juntamente com o MPF, CGU e a Receita Federal, deflagraram nexta sexta feira (14/12) a segunda fase da Operação Forte do Castelo, com objetivo de dar continuidade às investigações iniciadas em 2017. Decorre de novos elementos trazidos ao conhecimento do MPF, por meio de acordo de colaboração premiada firmado em maio de 2018 por pessoas ligadas à empresa responsável pelas obras do Portal da Amazônia, Macrodrenagem da Estrada Nova e BRT-Belém.

Estão sendo cumpridos 05 mandados de busca e apreensão nas cidades de Belém/PA e Brasília/DF.

No acordo de colaboração premiada, os colaboradores relataram e apresentaram documentação que implicam novos personagens no esquema vigente durante os dois mandatos de um ex-prefeito (2005-2012), em especial ex-secretários municipais, que tiveram intensa participação nos atos de direcionamento de licitações, acerto e recebimento de valores indevidos, pagos pela construtora em relação às obras realizadas no município de Belém (Portal da Amazônia, Macrodrenagem da Estrada Nova e BRT-Belém).

As análises conduzidas pela força-tarefa constataram a existência de conjunto robusto e consistente de indícios que aponta para a fraude ao caráter competitivo e o direcionamento de diversos certames que culminaram com a contratação das empresas do grupo ligado ao ex-prefeito. No curso das investigações, foi obtido conjunto probatório suficiente que apontou, além de irregularidades na contratação das empresas, indícios de enriquecimento ilícito de vários membros da organização.

O dano ao erário já identificado pela Força-Tarefa é de pelo menos R$ 400 milhões.

 

Leia mais:  PF apreende 45 kg de cocaína no Aeroporto Internacional de São Paulo

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Pará

Contato: (91)3214 8029

[email protected]

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana