conecte-se conosco


Policia Federal

PF combate invasão de terras da União

Publicado

Porto Velho/RO – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (10/9) a Operação Bom Futuro, com o objetivo de desarticular a organização criminosa responsável por inúmeras atividades ilícitas na ocupação de área de aproximadamente 500 hectares em Unidade de Conservação Federal, precipuamente a invasão de terras da União, com seu loteamento e desmate ilegais.

Policiais federais cumprem quatro mandados de prisão preventiva e quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Porto Velho/RO. Além disso, a Justiça Federal de Porto Velho/RO decretou o bloqueio e sequestro de bens dos investigados, bem como autorizou a destruição de máquinas e equipamentos encontrados em locais proibidos, quando a medida for necessária para evitar o uso indevido ou diante da impossibilidade de guarda e transporte.

O inquérito policial foi instaurado em novembro de 2018 com o escopo de apurar a existência de um grupo criminoso organizado responsável por lotear e desmatar uma extensa área situada no interior da Floresta Nacional do Bom Futuro – Flona Bom Futuro, após a efetivação de seguidas prisões de invasores pelos órgãos de fiscalização, em parcela denominada ACAMPAMENTO BOA ESPERANÇA.

Durante as investigações, foram qualificados e identificados os líderes do grupo, responsáveis pelo cadastramento das famílias, pelo recolhimento das mensalidades dos invasores, pela organização do acampamento (inclusive compra de mantimentos para os acampados), pela demarcação dos lotes e por toda degradação ambiental necessária à instalação das famílias, bem como a contratação de advogados para a defesa daqueles presos durante as fiscalizações.

Em 2013, essa mesma área hoje ocupada pelo ACAMPAMENTO BOA ESPERANÇA, foi objeto de invasão e, diante da gravidade da situação, foi deflagrada uma grande operação de retomada da área, oportunidade em que foram conduzidos mais de 10 invasores, apreendidas 18 motocicletas e destruídos os acampamentos. Como represália, os invasores destruíram todas as pontes, isolando os servidores públicos, incendiaram um caminhão do ICMBio, colocando em risco a vida dos policiais militares que tentavam proteger o patrimônio público.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato, incitação ao crime, associação criminosa, invasão de terras públicas, dano à unidade de conservação, desmate ou degradação de floresta em terra pública, organização criminosa agravada, cujas penas máximas ultrapassam 30 anos de prisão.

Os presos, após interrogados, serão encaminhados para o sistema prisional estadual em Porto Velho/RO onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.

 

REINTEGRAÇÃO DE POSSE – A operação BOM FUTURO ocorre concomitantemente ao cumprimento da ordem de reintegração de posse do citado ACAMPAMENTO BOA ESPERANÇA (situado no interior da FLONA BOM FUTURO), expedida pela da 5ª Vara da Justiça Federal de Porto Velho/RO, a partir de ação ajuizada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBIO. A reintegração de posse está sendo efetivada em uma ação conjunta da Polícia Militar e Bombeiros do Estado de Rondônia, Polícia Federal, ICMBIO e Ministério Público Federal, com apoio logístico do Exército Brasileiro e da Prefeitura de Porto Velho/RO, totalizando mais de 200 agentes públicos.

 

 

Contato (69) 3216-6242

Comentários Facebook

Policia Federal

PF desarticula organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas

Publicado

por


.

Porto Velho/RO – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (29/5) a denominada OPERAÇÃO QUINTO, com o objetivo de desarticular organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas. Estão sendo cumpridos nove mandados de busca e apreensão, todos exarados pela 3ª Vara Federal da Seção Judiciária em Rondônia, em Ariquemes/RO, Rio Branco/AC e Igarapé/MG.

As investigações foram iniciadas em fevereiro de 2019, com a finalidade de identificar a participação dos integrantes da organização criminosa sediada na região de Ariquemes/RO, com uma estrutura hierárquica bem definida, que tinha como principal atividade a prática do tráfico de drogas oriundas da Bolívia e Peru, para remessa a outros Estados da Federação.

Constatou-se que os integrantes do grupo criminoso, estabelecido em Rondônia, atuavam recebendo drogas de fornecedores estrangeiros e transportavam o entorpecente para os centros consumidores, escondido em caminhões e automóveis.

Com os dados coletados, foi possível interceptar três remessas de cloridrato de cocaína da ORCRIM, totalizando cerca de 230 kg de substâncias ilícitas apreendidas, em flagrantes realizados em Bom Despacho/MG (137 kg), Senador Guiomar/AC (42 kg) e em “Quatro Bocas”, região de Rio Branco/AC (50 kg).

Os investigados serão ouvidos na Polícia Federal para esclarecer pontos importantes das investigações e delimitar a participação nos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

O nome da Operação faz referência ao “quinto trabalho de Hércules”, no qual o herói grego desviou o curso do rio Alfeu para lavar os estábulos do Rei Aúgias, em referência ao objetivo da PF em reprimir, de forma contundente, o tráfico de drogas na cidade de Ariquemes/RO.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia/RO
Contato (69) 3216-6242

Comentários Facebook
Continue lendo

Policia Federal

PF investiga ação de grupos criminosos responsáveis por roubos em agências bancárias em SP

Publicado

por


.

São Paulo/SP – A Polícia Federal deflagrou hoje (29/50) a Operação Ataque Furtivo, que tem por objetivo desarticular quadrilhas especializadas em roubos a agências da Caixa Econômica Federal, em São Paulo.

Policiais federais deram cumprimento a seis mandados judiciais, sendo dois de prisão temporária e quatro de busca e apreensão, expedidos pela Vara Federal de São Bernardo do Campo e pela 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

Com o cumprimento dos mandados, a Polícia Federal espera conhecer o modo de atuação dos investigados e até mesmo ampliar o foco das apurações. Acreditam os investigadores que os crimes contam com o aval de facção criminosa que opera nos presídios paulistas. 

As investigações foram iniciadas há cerca de 4 meses, a partir de roubos às agências Piraporinha, em Diadema/SP, e Guaianases, na Zona Leste de São Paulo, que resultaram em prejuízos de R$ 1,2 milhão à União.

Mesmo com as restrições sanitárias causadas pela pandemia do COVID-19, a Polícia Federal vem concentrando esforços à elucidação dos casos, especialmente nesse período de pagamento do auxílio emergencial por parte do Governo Federal.

 

 

 

 

 

(11) 3538-5013

 

*** A denominação ATAQUE FURTIVO faz referência a características da investigação, marcada pelas velocidade, objetividade e precisão das ações policiais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana