conecte-se conosco


Cidade

Pesquisa da Unemat avalia efeito da variação de temperatura sobre a pressão arterial

Publicado

Considerada a epidemia do milênio, a doença renal crônica tem como principais causas a pressão arterial alta e a diabetes. É sabido que o descontrole da pressão arterial está presente em até 90% dos pacientes em hemodiálise, e muitos estudos apontam a influência dos fatores meteorológicos na pressão arterial. O perfil dos pacientes renais crônicos é composto, em sua maioria, por homens, idosos, hipertensos e que fazem uso de vários medicamentos para o controle da pressão alta.

Quando a enfermeira nefrologista Shaiana Vilella Hartwig fez a revisão bibliográfica para a sua tese de doutorado, “Fatores Meteorológicos e as alterações na pressão arterial e laboratorial dos pacientes em hemodiálise no Pantanal Mato-Grossense”, descobriu que não havia quantificação do efeito da temperatura sobre a pressão arterial dos pacientes em hemodiálise e, consequentemente, para pessoas em hemodiálise em clima tropical, como é o caso do Brasil.

A pesquisadora constatou que outras variáveis clínicas também influenciam na pressão arterial, e esses dados serviram de ajuste para descobrir o efeito da temperatura.

Shaiana é professora no curso de Enfermagem da Universidade de Mato Grosso (Unemat), em Cáceres, e leciona disciplinas de Epidemiologia, Saúde do Trabalhador, Bioestatística e Evolução do Trabalho em Enfermagem e ainda é membro do projeto Mudanças Climáticas e Saúde Humana da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O efeito encontrado por ela aponta que “para o aumento de cada 1ºC na temperatura média externa, diminui em 0,73 mmHg (milímetro de mercúrio) a pressão arterial sistólica e 0,28 mmHg a pressão diastólica e o inverso também é verdadeiro. Se a temperatura diminuir 1ºC, aumentará 0,73 mmHg de pressão arterial sistólica e 0,28 mmHg na diastólica”.

Leia mais:  Proposta distribui salário-educação com base em matrículas

Quer dizer, a cada 1 grau que a temperatura ambiente externa esquenta, a pressão arterial do indivíduo se torna mais baixa e a cada 1 grau que a temperatura esfria, a pressão arterial do indivíduo se torna mais alta.

Segundo a pesquisadora, a determinação do efeito da temperatura ambiente em graus sobre a pressão arterial dos pacientes em hemodiálise passa a oferecer aos profissionais de saúde referência para o controle da mudança da pressão arterial em função da temperatura.

E o quadro piora quando se leva em conta que a maior dificuldade no tratamento do paciente em hemodiálise é o controle da pressão arterial, e devido às mudanças climáticas a temperatura do ar está aumentando de uma maneira jamais vista. As variações de temperatura diárias são em média de 5 a 9 ºC em países de clima tropical.

Em Cáceres e nos outros municípios do bioma Pantanal a amplitude térmica é ainda maior, variando na média de 9,7ºC em um único dia, podendo chegar à máxima de 17°C de variação.

De acordo com a pesquisadora, o perigo mora nessas oscilações de temperatura. “Para pacientes em hemodiálise as alterações de pressão, tanto para alta como para baixa, são prejudiciais, por conta da sobrecarga cardíaca, o que pode levar a internações e à morte”, explicou Shaiana, que também ressaltou a importância de que sejam tomadas medidas de controle climático.

Ela aconselha atenção e cuidados junto aos pacientes renais crônicos em hemodiálise para mudanças na temperatura. “É importante controlar mudanças bruscas, manter o paciente aquecido nos dias frios e controlar a temperatura interna do ambiente nos dias de calor”, esclareceu Shaiana.


Hemodiálise

Leia mais:  Menina de 10 anos morre atingida por raio enquanto estendia roupa em Brasnorte

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Cidade

Mais de 35 mil cidadãos e cidadãs atendidos em 2019 na AL

Publicado

por

Foto: MAÍRA NIENOW

“Nosso setor é uma das principais e mais diretas ferramentas de comunicação da Casa com a cidadania, por isso mesmo nossa equipe prima pela eficiência e qualidade, excelência do atendimento a todos aqueles que procuram nossos serviços”, define a ouvidora-geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Uecileny Rodrigues Fernandes Vieira.

O número de cidadãos e cidadãs atendidos impressiona. Neste ano, foram 18.930 atendimentos pela Defensoria Pública, 15.867 pelo Espaço Cidadania com emissão de documentos de identidade e 519 reclamações ao órgão de defesa do consumidor (Procon), além de 221 manifestações de solicitação de informações ou sugestões recebidas. Em relação a 2018, houve um aumento de aproximadamente 20% no total de atendimentos.

Todo o trabalho é realizado em parceria com o Instituto de Identificação, Secretaria-Adjunta de Proteção e Defesa aos Direitos do Consumidor e Defensoria Pública, por meio de termos de cooperação técnica. A Casa cede espaço, estrutura física e pessoal e os órgãos parceiros, além de chancelar os serviços prestados, definem os protocolos e o formato de atendimento ao público.

Além do cuidado com que os serviços são prestados, outros fatores contribuem para o sempre crescente aumento na procura pelo atendimento na Assembleia Legislativa – desde a localização da Casa até a atenção despertada pelos trabalhos dos parlamentares, a exemplo da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor e da CPI da Energisa.

Leia mais:  Aplicativo Nota MT se consolida como app governamental melhor avaliado pelo cidadão

Foto: MAÍRA NIENOW

2020 – Natural de Poxoréu, bióloga e também bacharel em direito, Uecileny Vieira assumiu a Ouvidoria-Geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso em outubro do ano passado. Antes, havia iniciado seu trabalho no setor público entre os anos de 2005 e 2008 – à época titular da Secretaria de Meio Ambiente de sua cidade natal, sob a gestão do ex-prefeito Antonio Rodrigues da Silva, lá popularmente conhecido por “Tonho do Menino Velho”. Desde 2009, assessorou o deputado Sebastião Rezende (PSC) no Legislativo de Mato Grosso.

Para 2020, ela planeja ampliar a capacidade de atendimento do setor, assim como melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e cidadãs mato-grossenses.


“Isso demanda maior número de servidores, assim como capacitação e qualificação destes, além da completa digitalização de nossa logística, melhora de nossas condições estruturais e até mesmo um novo layout visual do setor; tudo isso já está bem planejado e encaminhado com a Mesa Diretora, que tem nos dado todo o suporte necessário para nosso trabalho”, assinala a ouvidora-geral.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cidade

Aplicativo Nota MT se consolida como app governamental melhor avaliado pelo cidadão

Publicado

por

O aplicativo do programa Nota MT, criado pelo Governo do Estado para estimular a inclusão do CPF na nota fiscal eletrônica, consolidou-se como o aplicativo governamental melhor avaliado pelo cidadão Em apenas cinco meses em que está disponível, o aplicativo já foi baixado 158.047 vezes em celulares com sistema Android e IOS.

Junto com o portal do programa Nota MT, o aplicativo foi desenvolvido por analistas da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), em parceria com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). Desde seu lançamento, o aplicativo do Nota MT foi baixado 134.616 nos celulares com sistema Android e 23.431 nos sistemas IOS.

De acordo com Ricardo Crudo, analista da MTI e superintendente de TI da Sefaz, apesar de o aplicativo ser novo, ele já está muito bem avaliado pelos usuários no comparativo com aplicativos de programas fiscais semelhantes, de outros Estados.

“O Nota MT possui notas de 4,7 em uma escala de 1 a 5 na Play Store e na Apple Store com, respectivamente, quase 4 mil e mil avaliações positivas. Outros programas similares e bem mais famosos de outros Estados, como o Nota Fiscal Paulista e o Nota Paraná, possuem notas de 3,3 e 3,7, por exemplo”, disse.

No aplicativo, o cidadão tem acesso com facilidade e agilidade às informações sobre as notas fiscais emitidas em nome dele, mês a mês e anualmente, tem acesso à legislação sobre o Nota MT, bem como a funcionalidade chamada “Meu CPF”, que disponibiliza o número do CPF da pessoa cadastrada no programa em formato de código de barras na tela do celular.

Leia mais:  Cooperativa de Campo Verde é selecionada em projeto da Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Recicláveis

O cidadão também consegue realizar o acompanhamento das datas programadas dos sorteios, dos resultados e das premiações. Somente neste ano, oito sorteios do programa foram realizados e já foram distribuídos R$ 3 milhões para 4.883 consumidores.  Ao todo, mais de 240 mil usuários estão cadastrados no Nota MT.

Além do aplicativo, de acordo com Crudo, todo o sistema desenvolvido pelo Nota MT é considerado de alta complexidade, pelos serviços que tiveram que ser implementados e entregues de forma muito ágil pela equipe envolvida.

“O processo de consulta de notas para a geração de bilhetes, a segurança e transparência do sorteio, da automação para a verificação de pendências de débito e da realização do pagamento, a validação cadastral, entre outros”, disse.


Crudo destacou ainda a elevada capacidade técnica da MTI para implementar grandes projetos de Governo, em tempo recorde, com qualidade e eficiência.  “Caso tivéssemos optado pelo desenvolvimento terceirizado, o prazo previsto de entrega seria dezembro de 2019. Ou seja, se não houvesse atraso, estaríamos começando o programa somente agora”, encerrou.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana