conecte-se conosco


Economia

Paulo Guedes integra ministro de Temer e mais cinco secretários à sua equipe

Publicado


Esteves Colnago, do Planejamento, ocupará o cargo de secretário geral adjunto da Fazenda, pasta que será unificada ao Planejamento e à Indústria e será comandada por Paulo Guedes
Fabio Pozzebom/Agência Brasil/Arquivo
Esteves Colnago, do Planejamento, ocupará o cargo de secretário geral adjunto da Fazenda, pasta que será unificada ao Planejamento e à Indústria e será comandada por Paulo Guedes

A assessoria de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia no governo de Jair Bolsonaro (PSL), anunciou, neste sábado (8), os novos integrantes da equipe econômica do presidente eleito. Entre os nomes, todos masculinos, estão o de Esteves Colnago, atual ministro do Planejameto, e Marcelo Guaranys, ex-diretor-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Leia também: INSS será comandado por Guedes no ‘Superministério’ da Economia

Colnago ocupará o cargo de secretário geral adjunto da Fazenda, pasta que será unificada ao Planejamento e à Indústria e será comandada por Paulo Guedes
. Analista do Banco Central (BC) desde 1998, Colnago é mestre em Economia pela UnB (Universidade de Brasília) e já foi secretário-executivo adjunto dos ministérios da Fazenda e do Planejamento e presidente do conselho do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Marcelo Guaranys, por sua vez, será secretário-executivo da equipe econômica de Bolsonaro. O ex-diretor-presidente da Anac é bacharel em Economia e Direito e, assim como Colnado, fez mestrado na UnB – mas em Direito Público. Atualmente, Guaranys ocupa o cargo de subchefe de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil, pasta que será comandada pelo deputado Onyx Lorenzoni
(DEM-RS) a partir de 2019.

Leia mais:  Afastar Brasil de China e árabes pode prejudicar agronegócio, diz ministro

Leia também: Gestão Bolsonaro deve apostar num avanço “passo a passo” da reforma tributária

Outro nome anunciado pela assessoria de Paulo Guedes é o de Waldery Rodrigues Júnior, que será secretário geral da Fazenda. Engenheiro formado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), mestre e doutor em Economia pela Universidade de Michigan e pela UnB, respectivamente, Rodrigues Júnior é, desde 2016, assessor especial do Ministério da Fazenda. O futuro secretário também preside o conselho fiscal da BB-Corretora.


A assessoria de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia no governo de Jair Bolsonaro (PSL), anunciou, neste sábado (8), os novos integrantes da equipe econômica do presidente eleito
Agência Brasil/Fabio Rodrigues
A assessoria de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia no governo de Jair Bolsonaro (PSL), anunciou, neste sábado (8), os novos integrantes da equipe econômica do presidente eleito

A Secretaria Geral de Desburocratização, Gestão e Governo Digital será comandada por Paulo Uebel. Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul, Uebel é mestre em Administração Pública pela Universidade de Columbia e especialista em liderança global pela Universidade de Georgetown. Já foi secretário municipal de gestão na prefeitura de São Paulo e diretor executivo do Instituto Millenium, fundado por Paulo Guedes para promover o liberalismo econômico
.

Uebel trabalhará ao lado de Gleisson Cardoso, que será secretário geral adjunto da mesma pasta. Cardoso, hoje secretário-executivo do Planejamento, é licenciado em Matemática pela UnB e especialista em Matemática e Estatística pela UFLA (Universidade Federal de Lavras. Já foi secretário de Gestão da Política de Direitos Humanos na Secretaria de Direitos Humanos e secretário de Gestão do Ministério do Planejamento.

Leia mais:  Além de ser mais sustentável, energia solar ajuda a reduzir custos

Leia também: Fazenda sugere revisão da política de reajuste do salário mínimo e fim do abono

O último nome anunciado a integrar a equipe de Paulo Guedes
é o do economista Carlos da Costa, que será secretário geral de Produtividade e Competitividade no novo governo. Mestre e PhD pela UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles), Costa já foi diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do BNDES e atuou como consultor em empresas e programas de governo, especialmente nas áreas relacionadas a desenvolvimento, produtividade e mercado de capitais.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Sine abre mais de 1.200 vagas de emprego nesta semana

Publicado

O painel de vagas do Sistema Nacional de Emprego (Sine-MT) está com 1.201 vagas de emprego abertas nessa semana. As oportunidades estão distribuídas em 27 municípios de Mato Grosso. Os interessados devem procurar a unidade mais próxima de sua residência em Cuiabá e no interior do Estado.

Para os interessados que moram em Cuiabá são 36 vagas disponíveis. O público geral conta com 27 oportunidades de emprego nas áreas de técnicos de alimentos, técnico em segurança do trabalho, atendente de lanchonete, entre outros. Já para o público PCD, são nove oportunidades nas áreas de atendente balconista, atendente de balcão, auxiliar de limpeza e camareira de hotel.

Em Tangará da Serra, são 32 oportunidades disponíveis; 01 eletricista automotivo, 01 serigrafista, 01 supervisor de garantia da qualidade (veterinária ou zootecnia), 04 técnico de enfermagem,
02 costureira de lingerie, 01 vendedor externo, 01 analista de recursos humanos, 01 instalador técnico de internet, 01 montador de móveis, 01 crediário, 02 técnico eletrônico, 05 técnico de enfermagem, 01 mecânico de caminhões, 01 técnico agrícola, 01 vaga para pessoa com deficiência, 01 auxiliar de cozinha, 01 recepcionista noturno, 03 mecânico de motos, 03 auxiliar de mecânico de motos. As vagas estão sujeitas a alteração. Para se cadastrar, o candidato precisa levar ao SINE,  Carteira de Trabalho, RG e CPF.

No município de Lucas do Rio Verde, localizado ao norte do Estado, são oferecidas 194 vagas de trabalho. 50 vagas são para apanhador- na cultura, 35 são para operador de processo de produção, 17 ajudante de cozinha e as demais em diversas áreas.

Leia mais:  Além de ser mais sustentável, energia solar ajuda a reduzir custos

Em Diamantino são 150 oportunidades ofertadas. Somente na área de auxiliar de linha de produção são 101 vagas, 32 em operador de máquinas agrícolas, oito, em oficial de serviços gerais de manutenção de edificações, operador de pá carregadeira, entre outros.

Nessa semana, no município de Sapezal as vagas  de trabalho se concentram no setor agrícola. São 62 vagas para operador de máquinas agrícola, 20 operador de máquinas fixas, em geral, 15 auxiliar de linha de produção.

Comentários Facebook
Continue lendo

BemRural

Caixa disponibiliza R$ 1 bilhão para médio produtor rural

Publicado

A Caixa Econômica Federal já está disponibilizando a linha crédito rural do PRONAMP, para o ano safra 2018/2019, no valor de R$ 1 bilhão. A quantia é destinada ao médio produtor rural e o financiamento tem limite de até R$ 1,5 milhão por ano safra, taxa de juros de 6% a.a e prazo de até 12 meses.

Por meio da linha de crédito, é possível financiar custos com aquisição de animais para recria e engorda, insumos agropecuários, sementes, fertilizantes, medicamentos veterinários e rações, entre outras despesas do ciclo de produção. As condições são válidas até o encerramento do ano safra vigente, que ocorre no mês de junho de 2019, em todas as mais de 1.700 agências da Caixa habilitadas a atuar com o crédito rural.

Para o vice-presidente de Produtos e Varejo da Caixa, Júlio César Volpp Sierra, a agilidade na tomada dos recursos pelo produtor facilita sua produção agropecuária e a realização do plantio no momento correto. “O momento é oportuno para que os produtores rurais possam tomar financiamento com taxas do PRONAMP, de forma a otimizar seu fluxo financeiro para aquisição dos insumos de suas atividades”, destaca.

Enquadram-se como médio produtor os clientes que possuem renda bruta anual de até R$ 2 milhões, considerando a soma de todo o valor bruto de produção, a receita recebida de entidade integradora e demais rendas provenientes de atividades desenvolvidas, incluindo rendas não agropecuárias.

Leia mais:  Além de ser mais sustentável, energia solar ajuda a reduzir custos

 

Fonte:Atividades Rurais

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana