conecte-se conosco


Cidades

Para evitar lockdown em Tangará, gestão municipal amplia medidas de combate à Covid-19

Publicado

 

.

Com objetivo de evitar o fechamento geral da cidade, ou seja, a adoção do chamado lockdown, o Prefeito de Tangará da Serra, Fábio Martins Junqueira, em decisão conjunta com o Comitê de Combate ao Coronavírus, anunciou a ampliação de medidas no Município.

“O Comitê manteve-se reunido virtualmente e em virtude de avaliação do quadro epidemiológico local comparado ao quadro estadual, considerando que possuímos leitos de UTI pública em funcionamento para COVID ainda não habilitados pelo Ministério da Saúde e portanto cofinanciados pelo Estado e Município apenas, até que se publique a habilitação, adotamos medidas que ampliam o combate à COVID-19”, afirmou o Chefe do Poder Executivo.

O Comitê de Combate ao Coronavírus considerou, para adoção das medidas que ampliam as ações no Município, o enquadramento local na Tabela de Classificação de Alerta, já que em Tangará da Serra, de acordo com essa tabela, o risco de contágio é considerado baixo.

Como parte das medidas adotadas anteriormente, em 15 de junho e que valeriam até o dia 30, foram suspensos o atendimento presencial em academias, os cultos e missas presenciais, os eventos com aglomerações, parques públicos foram fechados, assim como campos de futebol, quadras de esportes, foi suspensa a venda de bebida alcoólica e com o apoio da Polícia Militar o toque de recolher noturno foi ampliado.

Agora, como forma de ampliar a adoção de medidas, essas ações irão vigorar até o dia 15 de julho, estendendo o toque de recolher aos domingos, evitando dessa forma que Tangará seja obrigada a adotar o lockdown. “Tangará tem o menor índice de letalidade entre as 10 cidades mais populosas de Mato Grosso. Explicitamos que essas medidas permitem o controle da disseminação do coronavírus, mantendo-se a atividade produtiva tão necessária à geração de renda e evitando-se o lockdown geral”, concluiu o Prefeito.

Fonte: AMM

Comentários Facebook

Cidades

Com a crise, 40% dos bares e restaurantes fecham as portas em MT

Publicado

A crise causada pela pandemia do coronavírus causou impactos na economia. No Brasil,  analistas fazem projeções de grave recessão, jamais vista nos últimos 120 anos. Em meio ao cenário de incertezas, alguns segmentos foram diretamente afetados.

Os setores de festas, eventos, bares e restaurantes figuram entre os mais prejudicados. No Distrito Federal, cerca de 3 mil estabelecimentos fecharam permanentemente até o mês de junho. No Maranhão, cerca de 30% dos empreendimentos não retornarão às suas atividades após o fim da pandemia. Em Mato Grosso, a situação é preocupante.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), cerca de 40% das empresas foram fechadas no estado com a pandemia. Dos 20 mil estabelecimentos do estado, 8 mil encerraram as atividades. A estimativa é que os que sobrevivem à crise já demitiram ou demitirão pelo menos um de seus funcionários, o que deve resultar em cerca de 10 mil desempregados.

Em Tangará da Serra, diversos estabelecimentos não resistiram à crise. No município, um dos primeiros a fechar as portas foi a lanchonete O Cupim, que encerrou as atividades no início da pandemia. Em maio, a choperia Stein Bier, fechou as portas, após 10 anos de trabalho. Mais recente, a Space Pizzaria, deixou o prédio no Centro da cidade, e na tentativa de sobreviver ao período, o proprietário optou em atender em casa, na modalidade delivery. Na Avenida Brasil, diversos prédios encontram-se com placa de ‘aluga-se’.

Representações do setor, como a Abrasel, reclamam que o segmento não consegue amplo acesso a financiamentos oferecidos pelos governos e instituições financeiras. Grande parte das ajudas anunciadas até agora são mais fortemente direcionadas ao grande empresariado brasileiro, o que representa mais entraves para o pequeno, aquele que precisa pegar valores como R$ 10 mil ou R$ 20 mil.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Cidades

Secretaria Municipal de Assistência Social continua trabalhando arduamente para manter seus atendimentos a população necessitada

Publicado

por


.

A Prefeitura Municipal de Porto Alegre do Norte, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social atua neste período de distanciamento social com inovação para continuar atendendo da melhor maneira possível toda a população necessitada.

A Secretária Municipal de Assistência Social e Primeira Dama, Valdirene Nascimento, ressaltou que a equipe que trabalha na Secretaria Municipal de Assistência Social vem apresentando estratégias que são inovadoras para atuar durante a pandemia da COVID – 19.

As ações desenvolvidas neste período contam com recursos de mídias sociais para as turmas do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF). Educadores, técnicos de referência e professores de oficinas propõe atividades à distância. As ações serão implementadas no próximo mês com distribuição de kits educativos para crianças, adolescentes e idosos e assim incentivar o fortalecimento de vínculos no período de pandemia.

A campanha de confecção de máscaras para população em geral foi ampliada com produção de novos modelos para distribuição. Até o momento já foram fabricadas mais de 20 mil máscaras.

O objetivo dessa inovação do atendimento da SMAS é promover a continuidade no atendimento à população com projetos inclusivos que ampliam trocas culturais e de vivência. Pois mesmo diante de uma situação desafiadora é necessário prevenir as vulnerabilidades da população.

A Secretária Municipal de Assistência Social está a disposição para atender aos cidadãos porto alegrenses e iforma que agora tem atendimento via whatsapp 66 98441 2613.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana