conecte-se conosco

  • powered by Advanced iFrame free. Get the Pro version on CodeCanyon.


Tecnologia

Os perigos do Wi-Fi aberto: saiba como navegar de maneira segura

Publicado

Quando se está fora de casa, e principalmente durante viagens, uma das primeiras coisas a fazer é procurar por um Wi-Fi aberto. No entanto, a maioria das pessoas não imagina que a conexão por esse meio passa longe de ser inofensiva.


Pessoa com o celular em mãos, conectando no WiFi
shutterstock
Conectar-se por meio de um Wi-Fi aberto pode trazer algumas consequências a seu dispositivo

Leia também: Sinal de alerta: Chromecast pirata pode levar vírus a outros aparelhos por WiFi

Quando uma pessoa se conecta a uma rede de  Wi-Fi aberto
, como as de cafés e hostels, você passa a compartilhar a rede com estranhos. Com conhecimento e equipamentos técnicos básicos, esses desconhecidos podem monitorar ou até mesmo modificar o seu tráfego de internet.

Diferente das redes domésticas, que geralmente são protegidas com protocolos de segurança, as redes públicas de Wi-Fi são muito mais fáceis de invadir. 

De acordo com Harold Li, vice-presidente da empresa ExpressVPN, é possível que hackers usem uma técnica para enganá-lo de modo que você pense que esteja em uma conexão segura
quando, na realidade, eles têm acesso a seus dados, inclusive senhas.

“Pense como se você estivesse compartilhando uma caixa postal com estranhos. É difícil saber se seus envelopes foram abertos com vapor, por exemplo, se o conteúdo foi lido e até mesmo modificado”, explica Harold.

Leia também: Saiba como encontrar internet Wi-Fi com a ajuda do aplicativo do Facebook

Leia mais:  Usuários são notificados sobre vazamento de dados no Facebook

Soluções para uma navegação mais segura no Wi-Fi aberto


Pessoa conectada com segurança
shutterstock
Existem alguns cuidados para manter uma navegação segura e preservar o seu dispositivo

Com esse perigo em mente, existem algumas formas de se conectar sem passar pelo risco de ter o seu aparelho invadido. Igor Rincon, especialista em segurança da informação na empresa Flipside (empresa de conscientização em segurança cibernética), dá algumas dicas do que fazer para navegar da maneira mais segura possível:

  • usar anti malware preferencialmente pagos;
  • sempre desconfiar de promoções ou mensagens que algum hacker pode usar para chegar até você;
  • usar cofre de senhas em todas redes sociais ou sites que você usa

O especialista ainda completa: “Grande parte das ameaças em torno de uso da rede pública de Wi-Fi envolvem interceptações de dados. Então a primeira coisa ser feita é trocar suas senhas com a opção desconectar de outros dispositivos”.

Por outro lado, Harold Li ressalta que usar senhas fortes
podem ajudar a manter a segurança dos seus dados e de suas contas: “As pessoas ainda utilizam senhas fáceis de serem quebradas (aquelas que são curtas e usam palavras do cotidiano) em diversos sites. As senhas devem ser longas, incluir números e símbolos e não conter palavras comuns”.

Harold também afirma: “Se você não pode criar uma senha única para cada site e serviço, você deve pelo menos usar uma senha específica para cada uma de suas contas mais sensíveis como e-mail e conta de banco. A melhor maneira de gerenciar diversas senhas é utilizando ferramentas de gerenciamento de senhas confiáveis”.

Leia mais:  Saiba como será a Shoelace, nova rede social do Google

Criptografia e VPN


Conexão segura
shutterstock
A criptografia garante que apenas você e o destinatário possam ver as informações enviadas e recebidas

Outra forma de evitar que seus dados sejam colhidos pelos invasores é a denominada criptografia, que consiste numa técnica utilizada  para impedir que um hacker compreenda ou modifique suas informações.

“A criptografia protege sua privacidade e segurança não só dos que utilizam a mesma conexão Wi-Fi, mas também do seu provedor de internet
e até mesmo do governo”, Harold Li aponta. “É como usar uma linguagem secreta de códigos que somente você e o destinatário entendem”.

Um método que as empresas usam para manter a segurança da navegeção é a VPN (Rede Virtual Privada). Funciona como um  túnel seguro entre dois ou mais dispositivos. 

Leia também: Aplicativo democratiza acesso à conexão Wi-Fi de forma gratuita


Sendo assim, é recomendável que o internauta tome cuidado ao se conectar por meio de um Wi-Fi aberto.
“A dica principal que eu dou é: Pense como um atacante iria usar suas informações para te chantagear ou usá-las contra você. Dessa forma todo o seu comportamento passa por um filtro antes de ser feito”, destaca Igor Rincon.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Selfie espionada? Apps do Google Play atacam privacidade de usuários; entenda

Publicado

por

source

Olhar Digital

apps de selfie espionavam usuários arrow-options
Reprodução
Apps de Selfie no Google Play espionavam usuários

Pesquisadores da Wandera, empresa especializada em segurança de dispositivos móveis, encontraram dois apps no Google Play que escondiam adware bastante agressivo, que exibia anúncios de tela cheia que prejudicavam o uso do smartphone. Além disso, ambos exigiam permissões que permitiriam espionar os usuários.

Leia também: iOS 13.1 chega antes: atualização foi adiantada em seis dias pela Apple

Os apps, chamados Sun Pro Beauty Camera e Funny Sweet Beauty Camera , juntos tinham mais de 1,5 milhão de downloads. Ambos exibem comportamento diferente, porém altamente inconveniente: depois de instalado, o SunPro Beauty Camera começava a exibir anúncios em tela cheia mesmo que o app nunca fosse aberto. Já o Funny Sweet Beauty Camera começava a exibir os anúncios depois que o usuário salvasse uma foto editada no app.

Ambos os apps tentam dificultar sua remoção usando um truque: depois de instalados, eles criam um atalho para si mesmos, e removem seu ícone original da lista de apps. Assim, se o usuário tentar “desinstalar” o app, irá apenas remover o atalho.

Além disso, os apps pediam permissão para gravar áudio, algo que é completamente desnecessário para seu funcionamento, mas poderia ser usado para escutar tudo o que é dito ao redor do aparelho.

Leia também: Dados pessoais de todos os equatorianos vazam online


Ambos os apps tinham muitos reviews negativos, o que geralmente é um sinal de que há algo errado. Segundo a Wandera, a recomendação é evitar apps com notas muito baixas, e instalar uma solução de segurança em seu smartphone .

Fonte: Wandera

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Leia mais:  Saiba como será a Shoelace, nova rede social do Google
Continue lendo

Tecnologia

Uber Eats alcança marca de 1 bilhão de pedidos feitos no mundo

Publicado

por

source

Olhar Digital

Uber Eats arrow-options
Divulgação/Uber
Uber Eats alcançou a marca de 1 bilhão de pedidos feitos no mundo

O Uber Eats confirmou ter recebido mais de 1 bilhão de pedidos ao redor do mundo em menos de quatro anos. A plataforma está disponível em mais de 500 cidades e em 36 países. No Brasil, o serviço de entrega chegou somente em dezembro de 2016, mas hoje já é parceiro de milhares de empreendimentos gastronômicos em mais de 70 cidades brasileiras, fazendo a curadoria de restaurantes conhecidos como McDonald’s, KFC e Burger King e de negócios familiares locais como Hi Pokee, Busger e Sushi Plus.

Leia também: iFood, Rappi e Uber Eats: conheça as diferenças entre os aplicativos de delivery

A empresa alcançou esse marco na mesma semana em que anunciou que irá permitir que restaurantes que utilizam sua própria frota de entregadores se cadastrem na plataforma do Uber Eats . Anteriormente, só era possível o cadastro na plataforma de restaurantes que desejavam fazer entregas usando os entregadores autônomos disponíveis no aplicativo.

Esta nova opção foi planejada para atrair mais usuários para o aplicativo . Na América Latina, o Uber Eats já está testando essa modalidade em diversas cidades, inclusive brasileiras, com resultados promissores.

Leia também: Publicações sobre dietas serão menos mostradas para jovens no Instagram; entenda


O anúncio chega quando dados revelam que o crescente mercado de entrega de comida – que deve valer quase 21 bilhões de dólares até 2023 – está desempenhando um papel cada vez mais importante no crescimento de pequenos e médios restaurantes. Para os 70% dos restaurantes do Uber Eats, que são pequenas e médias empresas, a entrega de alimentos é responsável por uma proporção crescente de sua receita total.

Leia mais:  Especialistas lamentam fake news políticas no WhatsApp: “O estrago está feito”

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana