conecte-se conosco



Polícia

Operação Omega 2 prende oito ladrões de banco da cidade de Mirassol D’Oeste

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A operação Omega 2 deflagrada na manhã desta sexta-feira (07.12) pela Polícia Judiciária Civil após trabalhos investigativos da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e a Delegacia de Mirassol D’Oeste (300 km a Oeste) prendeu oito criminosos envolvidos no furto qualificado consumado a agência do Banco do Brasil de Mirassol D’Oeste, ocorrido em 9 de fevereiro deste ano. A operação ainda está em andamento. 

Para a operação a Justiça decretou 11 mandados de prisão e 13 ordens de busca e apreensão. Nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande foram presos: Felipe da Silva, Maycon da  Silva, Thiago Furlani de Souza, Allyson Domingos de Oliveira. Os suspeitos Josimar Gomes Amanda (Formiga) e Jefferson da Silva (Jeffinho) tiveram os mandados cumpridos na Penitenciária Central do Estado (PCE). Em Mirassol D’ Oeste foram presos Fabiano de Paiva Mazali e Rosenil da Costa.

Com os criminosos foram apreendidos várias ferramentas usadas em furtos a bancos, R$ 4.700,00, relógios, peças que aparentam ser joias ou semijoias, celulares, e um veículo Corolla, comprado com dinheiro do furto à agência bancária.

A delegada Juliana Chiquito Palhares informou que os suspeitos, Josimar Gomes Amanda (Formiga) e Jefferson da Silva (Jeffinho), ambos na PCE, são apontados como os líderes da quadrilha, que mesmo presos na Penitenciária vem fomentando os crimes do lado de fora, com ajuda de comparsas.

Leia mais:  Rápida ação prende suspeitos de roubo seguido de sequestro em Juína

“Os dois que estão presos na PCE são os que orientam toda ação aqui fora. Em que pese fisicamente estarem reclusos, eles ativamente participam dos crimes”, disse.

O furto registrado na madrugada de 9 de fevereiro, na cidade de Mirassol D’Oeste,  deixou danos nas portas de acesso à agência, que foram arrombadas para que os bandidos tivessem acesso ao cofre do banco. Os criminosos cortaram os mecanismos de acionamento do sistema de alarme e ainda a fiação das câmeras de segurança.

No local foram encontrados abandonados discos de corte, um boné preto e luva. Os suspeitos deixaram a agência pulando o muro da agência que dá acesso ao um terreno vazio.

A ação conta com a participação dos policiais civis alunos do 2º Curso de Operações Antissequestro, que finaliza  nesta sexta-feira (07) com a atividade operacional, possibilitando aos alunos colocarem em prática a metodologia da capacitação realizada nas duas últimas semanas.

Maleta 

Segundo as investigações, os criminosos usaram uma maleta que contém um equipamento que desliga sinais de áudio, vídeo e alarmes de bancos.

Um dos alvos que está recolhido na Penitenciária Central do Estado, Josimar Gomes Amado, conhecido como “Formiga”, foi investigado na operação “Lepus”, de 20 de abril de 2017. Ele  está preso desde o dia 5 de junho de 2017, quando recebeu voz de prisão no Aeroporto Internacional Marechal Cândido Rondon, em Várzea Grande, ao desembarcar de um avião que chegava de Curitiba, com a maleta que é avaliada em R$ 50 mil, que foi apreendida na ocasião. 

Leia mais:  Traficantes são presos com 20 quilos de maconha em Pontes e Lacerda

O equipamento tinha sido despachado no aeroporto de Curitiba, dentro de uma mala, enrolado em dois cobertores, com destino a Cuiabá. Ele havia embarcado usando nome falso de Luiz Fernando Braga.

Além do  furto ao banco de Mirassol D’Oeste, Formiga é apontado como integrante da quadrilha que roubou a agência do Banco do Brasil do Distrito Industrial, em 1º de abril de 2016, ocasião em que os suspeitos permaneceram por várias horas no interior do estabelecimento bancário, mediante restrição da liberdade dos funcionários do banco.

 

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Operação prende integrantes de facção criminosa atuante em roubos em Várzea Grande

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Deflagrada pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG), a operação “Decretados IV” cumpriu 13 mandados de prisões preventivas, contra integrantes de uma associação criminosa atuantes em crimes de roubos e furtos a empresas e residências do município. Além das ordens de prisão, o trabalho resultou em prisões em flagrante e na apreensão de drogas e armas de fogo.

A delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, disse que a operação tem objetivo de combater a criminalidade em Várzea Grande e reprimir a ação do grupo criminoso que tem ramificações dentro e fora de presídios. A operação que teve início na quarta-feira (12), e finalizou nesta sexta-feira com um total de 17 pessoas presas, entre mandados cumpridos e prisões em flagrante.

Os suspeitos, Genair Hudson Costa de Siqueira e Emanoel Junior Pereira Guimarães foram presos em flagrante em posse de uma pistola calibre 9 mm com oito munições intactas. Segundo investigações da Derf-VG, os acusados se preparavam para cometer um roubo, no bairro Jardim dos Estados, mas tiveram os planos frustrados ao serem surpreendidos durante a operação.

Além do porte de arma de fogo de uso restrito, Emanoel Junior foi autuado pela prática de integrar organização criminosa, uma vez que em interrogatório confessou fazer parte de uma facção atuante no Estado. Em outro flagrante, foram apreendidos mais uma arma de fogo e porções de entorpecentes.

Leia mais:  Polícia Civil doa 18 cestas básicas apreendidas em investigação do crime organizado

Dentre as 13 pessoas que tiveram mandados de prisão cumpridos estão, Alexsandro Pereira de Amorim (condenado a cumprimento de 08 anos de reclusão por roubo), Fernando Izidorio da Silva, conhecido como “Gordinho” (com duas condenações pela prática de roubo, sendo uma de 5 e outra de 6 anos de reclusão), Jadson de Moraes Dias (quatro condenações de mais de 16 anos de reclusão por roubo), Luã Jonathan Delgado Campos (5 condenações de pena que totalizam mais de 30 anos de pena), Luiz Claudio do Nascimento (55 condenações por envolvimento em roubos e furtos).

“Esses cinco suspeitos eram os principais alvos da operação, uma vez que são considerados de alta periculosidade, com várias passagens e condenações criminais”, destacou Elaine.

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil prende autor confesso de três homicídios

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, em trabalhos da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), prendeu um homem autor de pelo menos três homicídios  em Várzea Grande. O suspeito, Elinthyerre Roma Santiago, 19 anos, era procurado há meses pelos investigadores da Especializada.

Elinthyerre, embora com apenas 19 anos de idade, possui diversas passagens criminais. Ele foi identificado como autor de homicídios ocorridos na cidade de Várzea Grande.

Um dos crimes praticados por Elinthyerre foi à morte de dos irmãos, Diego Santos da Silva e Riquelme Soares da Silva, fato ocorrido em março deste ano. Na ocasião, os irmãos estariam saindo de uma partida de futebol no bairro Cohab 8 de Março, quando foram surpreendidos por Elinthyerre e outro comparsa também identificado, os quais executaram os dois irmãos com diversos disparos de arma de fogo em via pública. O local estava bastante movimentado e o crime se deu à luz do dia, o que contribuiu para identificação dos executores.  

O segundo envolvido na morte dos irmãos, o suspeito Wellington Leandro Menezes Pereira, foi morto no dia 10 de setembro de 2018, após um confronto em equipes da Polícia Militar.

Durante seu interrogatório, Elinthyerre confessou a prática do duplo homicídio.  Segundo ele, o objetivo da dupla seria matar apenas Diego Santos da Silva, e que seu irmão Riquelme teria morrido apenas porque reagiu durante a ação.

Leia mais:  Polícia Militar lança operação “Natal Sem Crime” para intensificar as ações de segurança pública na região

A vítima Diego foi presa pela Policia Civil em 2016 na deflagração da Operação Mercenários.  Ele foi identificado como um dos integrantes de um grupo de extermínio que agia na região de Várzea Grande. No decorrer daquela investigação, dezenas de pessoas foram presas acusadas de uma série de homicídios ocorridos na região.

Segundo Elynthierre, a motivação da morte de Diego seria vingança pelo fato da vítima ter colaborado com a morte de pessoas próximas a eles.

Além deste fato, Elinthyerre também foi identificado e confessou ser o autor de outro homicídio ocorrido em Várzea Grande, no ano de 2017. Nesse caso, ele e outro comparsa mataram um homem de 31 anos a pauladas, no bairro Cohab Cristo Rei, também em Várzea Grande.    

Elinthyerre foi indiciado como autor dos três homicídios todos qualificados, teve seu mandado de prisão temporária cumprido e fora à Penitenciária Central do Estado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana