conecte-se conosco



Mato Grosso

Oito pessoas são presas por latrocínio em Apiacás

Publicado

Oito pessoas foram detidas, seis delas em Nova Monte Verde (944 km de Cuiabá), e duas em Apiacás, no início da madrugada desta segunda-feira (26.11) por envolvimento em um latrocínio (roubo seguido de morte) no domingo (25.11), num hotel, na cidade de Apiacás. Uma folha de cheque com assinatura falsificada de uma das vítimas e vários produtos do roubo estavam com os suspeitos no Hotel Novo Horizonte. Durante as buscas pela arma do crime foram localizados uma balança de precisão, R$ 1.246,70 em dinheiro e outros materiais na casa de um dos suspeitos.

Assim que soube do ocorrido em Apiacás, a polícia militar desencadeou um trabalho de buscas pelos hotéis de Nova Monte Verde, distante cerca de 70 km, que culminou na localização dos suspeitos. Um deles, Carlos Alexandre Neves Tomé, 18 anos, tentou fugir, mas foi alcançado pelos policiais. Outros, entre eles um menor de 16 anos e uma mulher de 23, estariam em lugares distintos.

O menor M.S.O., 16, colaborou com as informações junto ao investigador da polícia civil, que também atuaram na ocorrência, desbloqueando o celular e autorizando a verificação do conteúdo. Ele também delatou outros dois indivíduos que deram auxílio ao roubo, sendo conhecidos como Toninho (Geraldo Aparecido Costa, 53) e Paulinho (Paulo Sergio Gonçalves Augusto, 23), que teriam fornecido as armas, um revólver 38 e outro de calibre 32. E que esses dois teriam recebido parte do dinheiro roubado no Hotel São Jorge, bem como onde eles estariam naquele momento, sendo a casa de um dos envolvidos.

Leia mais:  Oficial da PMMT é homenageado pela Força Aérea Brasileira em Campo Grande

Toninho estava na cidade de Apiacás, na casa do suspeito Tiago Andrade Barboza, 24. Tiago tentou fugir do local pela lateral da casa e na tentativa jogou uma sacola com substância aparentando ser maconha. Ele foi detido por policiais que cercavam o espaço. Toninho ao ver o comparsa fugindo também tentou a proeza, mas não teve êxito. Outro envolvido de nome Cleu Aparecido Costa, 25, acabou preso no local quando chegou em uma motocicleta conforme as características repassadas pelo menor.

Cleu entregou onde estariam Paulo Sérgio Gonçalves Augusto, e Geraldo Aparecido Costa. Geraldo estava com R$ 798,00, um cigarro de maconha, uma embalagem com entorpecente da mesma espécie e uma munição de calibre 32 na mochila. A dupla estava na casa de Geraldo, onde estava a arma e o dinheiro apreendido.

Os outros presos são Camila Farias de Souza, 23, e Julio Barbosa, 24.

O crime

O latrocínio ocorreu no Hotel São Jorge, em Apiacás, por volta do 12h do domingo. A vítima Jorge Kelin de Souza, 66 anos, foi encontrada no andar superior do estabelecimento, amordaçada com as pernas e braços presos. A morte foi constatada no local pela equipe médica de plantão.

Uma testemunha que pernoitou no hotel auxiliou nas informações, narrando que na noite anterior ao crime, por volta das 21h, estava na recepção quando dois rapazes chegaram em uma motocicleta querendo um quarto para pernoitar.

Leia mais:  Policiais do 4º Comando Regional prendem suspeitos de diferentes quadrilhas

A vítima teria recebido R$ 60,00 em dinheiro pelo aluguel e levado os hóspedes até o quarto. Pela manhã, quando desceu para a recepção, a testemunha viu que a porta dos fundos estava aberta e o armário e gavetas da recepção revirado e saiu procurando pela vítima chamando-a pelo nome. Foi quando avistou que a porta onde os suspeitos teriam se hospedado estava aberta e ao entrar, viu a cena do crime.

Os suspeitos teriam roubado R$ 1.250,00, um talão de cheques do banco Bradesco de propriedade do dono do Hotel, G.A., 87 anos.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

MT participa de discussões internacionais sobre mudanças climáticas

Publicado

por

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), apresenta na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas deste ano (COP24), na Polônia, o sistema Estadual de REDD+ e participa das negociações em busca de alternativas para enfrentamento das mudanças climáticas.

Um dos temas em debate é a viabilização de linhas de financiamento para povos indígenas. “Estamos realizando uma construção conjunta, entre governo e povos indígenas, para que os povos nativos obtenham recursos junto aos financiadores internacionais”, explica a coordenadora de Mudanças Climáticas e REDD+, Alcilene Freitas. O debate ocorreu no âmbito das reuniões do GCF Task Force e contou com a participação do governo norueguês, maior contribuinte do Fundo Amazônia e financiador do, e Instituto Centro de Vida (ICV).

A participação de Mato Grosso no projeto que premia países e estados pioneiros no combate ao desmatamento na Amazônia, o Programa REM também estará em voga durante a conferência. Mato Grosso irá receber dos governos da Alemanha e do Reino Unido 22 milhões de libras e 17 milhões de euros, cerca de R$ 180 milhões na moeda atual, em um período de cinco anos. Os recursos serão repassados pelo banco alemão KfW e administrados pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e a previsão é que o primeiro desembolso, cerca de R$ 45 milhões, seja feito em dezembro de 2018.

Leia mais:  Servidores estreiam peça teatral sobre educação fiscal

Do valor disponibilizado ao Estado, 40% será destinado ao fortalecimento institucional do governo de Mato Grosso. Os recursos serão investidos para complementar ações já realizadas pelo Estado para combater o desmatamento e valorizar a floresta em pé.  Já os outros 60% serão repartidos em quatro subprogramas, sendo, 17% para projetos de produção sustentável, 22% para povos indígenas, 41% para agricultura familiar e 20% para agricultura familiar e povos tradicionais em outros biomas.

O Programa REM está integrado ao Sistema Estadual de REDD+ [Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal], com a Estratégia Produzir, Conservar, Incluir (PCI), e com o Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Incêndios Florestais (PPCDIF), contribuindo diretamente para o alcance das metas estabelecidas para conservação ambiental e redução do desmatamento.

“A partir do bom exemplo que temos com o Programa REM, temos aqui na COP 24 a oportunidade de realizar contatos com outros financiadores internacionais para investimento em Mato Grosso”, explica a coordenadora do Programa REM, Lígia Vendramin. Uma das inovações do programa em Mato Grosso é a construção participativa do Subprograma Territórios Indígenas, a ser financiado pelo projeto. Em um esforço inédito, 1500 pessoas de 42 povos indígenas diferentes se reuniram em oito oficinas para elaborar as propostas.

A conferência é realizada em Katowice, município a 300km de Varsóvia, capital polonesa, e segue até a próxima sexta-feira (14).

Leia mais:  Oficial da PMMT é homenageado pela Força Aérea Brasileira em Campo Grande

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Reeducandos de Cáceres são qualificados em modelagem de roupas e pintura predial

Publicado

por

Reeducandos da unidade prisional de Cáceres concluíram nesta semana os cursos de modelistas e pintura. A capacitação é resultado de uma parceria entre a unidade, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em Mato Grosso, o Conselho da Comunidade e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

No curso de pintura, que iniciou em novembro, 25 recuperandos foram capacitados em aulas  teóricas e práticas. A prática foi aplicada na própria unidade, onde os custodiados pintaram os corredores do bloco 1, 2 e 3 e estão finalizando um desenho de uma paisagem na área de lazer do bloco 3.

Já no curso de modelista, 15 recuperandos aprenderam ao longo de 20 dias a confeccionarem moldes de roupas e a realizarem corte e costura. Ao final das aulas, alguns alunos fizeram peças de roupas para filhos como vestido, shorts, camisa, entre outros materiais como resultado do aprendizado.

Para o diretor da unidade, Welton Dias Ribeiro, essas atividades são importantes para tirar os presos da ociosidade, além de contribuírem para qualificação e ressocialização. “Além dos cursos, os internos também participam de atividades intramuros que incluem diversos serviços como eletricista e pedreiro, e trabalhos extramuros que são realizados por um grupo de presos em empresas públicas e privadas”. 

Os reeducandos receberão um certificado com 160h/aulas, que conta para a remição de pena, conforme prevê a Lei de Execução Penal, que determina que a cada três dias trabalhados ou de estudo, um dia é descontado na pena recebida.

Leia mais:  Investimentos em inteligência reduziram em mais de 20% índices de crimes em MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana