conecte-se conosco


Polícia

Núcleo de Desaparecidos localiza 816 pessoas em 2019

Publicado

Assessoria | PJC-MT

O esclarecimento de ocorrências de desaparecimento na região metropolitana chegou a 93% em 2019, em trabalhos investigativos realizados pelo Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP). Durante o ano, foram 876 casos de desaparecimentos registrados na unidade, sendo 816 pessoas localizadas.

O Núcleo de Desaparecidos recebe em média 70 a 75 ocorrências por mês e a maior parte dos casos está relacionadaao desaparecimento de adultos, com idades entre 18 a 64 anos, totalizando 537 registros, sendo 399 de homens e 138 de mulheres.

O desaparecimento de adolescentes, entre 13 e 17 anos de idade, vem em segundo lugar, contabilizando 243 casos registrados. A unidade também atuou em casos de desaparecimentos de crianças (0 a 12 anos), sendo 65 ocorrências registradas e de idosos (mais de 65 anos), com 24 ocorrências.

Grande parte dos casos foi registrada em Cuiabá e Várzea Grande, totalizando 827 ocorrências, mas também houve registros referentes a pessoas que sumiram no interior e  em outros estados, as quais tiveram providências tomadas pelo Núcleo.

Motivação

Das 816 pessoas localizadas, 792 foram encontradas com vida, totalizando 97% das ocorrências. Nas 24 ocorrências em que as pessoas foram localizadas sem vida, o desaparecido foi vítima de acidente de trânsito, afogamento, homicídio, encontro de cadáver ou ossada (casos mais antigos que estavam em andamento na unidade), morte natural ou suicídio.

Um dos casos mais emblemáticos de 2019 foi a localização das ossadas de duas mulheres que estavam desaparecidas desde 2013. As ossadas foram encontradas enterradas na calçada externa da casa do suspeito, no bairro Nova Conquista, em Cuiabá.

Exames de DNA confirmaram que as vítimas são Talissa de Oliveira Ormond, 22 anos, que desapareceu em julho de 2013, e Benildes Batista de Almeida, 39 anos, que sumiu em dezembro do mesmo ano. A primeira era namorada do suspeito e a segunda sua ex-mulher, que morava fora do Brasil.  

Ambos os casos eram investigados pelo Núcleo de Pessoas Desaparecidas, que mesmo diante do espaço temporal dos desaparecimentos, os policiais persistiram em esclarecer o que havia acontecido com as vítimas, em resposta aos seus familiares.

Nos casos em que a vítima desaparece por conta própria, a principal motivação é o afastamento do convívio familiar por brigas ou insatisfação, representando 53% das ocorrências registradas na delegacia, seguido por causas enigmáticas ou diversas (41%), cooptação para práticas criminosas, evasão de custódia legal, sequestro, subtração por familiares ou vítimas de calamidades, e acidentes.

No mês de agosto, a equipe do Núcleo de Desaparecidos não mediu esforços para localizar três irmãos, uma adolescente de 13 anos e dois meninos com idades de 9 e 10 anos, que deixaram o convívio familiar. Após três dias desaparecidos, os menores foram encontrados quando pegavam um ônibus, em frente a um supermercado na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), na Capital. Durante o período em que ficaram desaparecidas, as crianças contaram que dormiram no Parque das Águas e que pediam dinheiro para pessoas na região para sobreviver.

O delegado titular da DHPP, André Renato Gonçalves, disse que o Núcleo de Pessoas Desaparecidas mesmo com grande demanda e pequeno efetivo, contando atualmente com dois investigadores de polícia, uma escrivã, duas estagiárias e um delegado, vem desenvolvendo um excelente trabalho na localização de pessoas.

“É um trabalho muito importante que exige empenho e dedicação dos policiais para esclarecimento dos caso e não tenho dúvida de que presta um serviço de excelência à sociedade através da DHPP”, disse o delegado.

Denúncias e preservação das vítimas

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas da DHPP é um dos setores que mais conta com a ajuda da população, que contribui com informações para o esclarecimento dos casos de desaparecimentos.

É natural que a comunidade que ajuda solucionar uma investigação em andamento queira saber da localização do desaparecido, o que é informado através de redes sociais, mas também outras informações como onde e em que condições a pessoa foi encontrada, são situações não divulgadas pela Polícia Civil.

A preservação da vítima depois de localizada ocorre porque a princípio, quando a pessoa desapareceu, as razões eram desconhecidas, mas as circunstâncias que ocorreram durante ou depois podem estar vinculadas a algum tipo de crime ou situação que envolva a intimidade da vítima.

Comentários Facebook

Polícia

Estelionatários presos, que agem a mando de grupo criminoso aplicam golpes com prejuízo de R$ 38 mil

Publicado

por


.

Assessoria | Polícia Civil-MT                        

Um casal envolvido em vários golpes de estelionato e associação criminosa foi preso pela Polícia Civil de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá), na manhã desta quarta-feira (29.07). A ação deflagrada pela 1ª Delegacia de Polícia de Sinop resultou na apreensão de diversas máquinas de cartão de crédito, documentos contendo a contabilidade dos crimes, extratos bancários, entre outros. 

O homem de 46 anos e a mulher de 23 anos foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa. O suspeito responderá também por uso de droga, pois em sua posse foi apreendida uma porção de maconha. 

Investigação

As investigações iniciaram após registros de diversos boletins de ocorrências de estelionato, em que os suspeitos se passavam por funcionários da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) entravam em contato com as vítimas, informando que os cartões de crédito estavam cancelados. Os golpistas diziam ainda que um funcionário da Febraban iria procurar as vítimas para retirar o cartão e após três dias a pessoa receberia o cartão novo.

Durante diligências para esclarecer os crimes, os policiais civis identificaram, inicialmente, que os suspeitos ficaram hospedados em um hotel de Sinop. Posteriormente confirmaram as características, de que se tratava de um casal, sendo um homem moreno e uma moça branca, e que utilizava um taxista para fazer corridas na cidade.  

No decorrer das apurações foi descoberto que o suspeito foi até a um supermercado em Sinop. Nas imagens captadas pelas câmeras de segurança do estabelecimento foi possível verificar o exato momento em que o indivíduo entra no local e procura um caixa eletrônico para sacar dinheiro. Os policiais constataram que o casal estaria hospedado em uma pousada, no centro de Sinop.  

Com base nos informações, a equipe da 1ª Delegacia de Sinop passou a monitorar o local e fez a abordagem dos suspeitos. No quarto onde o casal estava foram apreendidos vários cartões de crédito, comprovante de débitos, além de várias máquinas de cartão utilizadas para fazer as transações ilícitas.

Diante dos indícios e provas da prática criminosa de estelionato, os dois envolvidos foram encaminhados para a delegacia, onde informaram que estavam em Sinop a mando de pessoas do estado de São Paulo, que seriam as responsáveis por entrar em contato com as vítimas. O casal contou que a cada semana um estado do País era escolhido para a aplicação dos golpes, com preferência para cidades em que esse tipo de crime não era muito conhecido. 

“Lucros” dos golpes

Em depoimento, os conduzidos revelaram que na semana passada estavam no Espírito Santo onde, no período de uma semana, conseguiram aplicar golpes no valor total de R$ 38 mil. De acordo com os dois, a associação criminosa conseguia arrecadar por mês cerca de R$ 160 mil, bem como o valor obtido ilicitamente era dividido entre os demais integrantes da quadrilha, sendo que para os mesmos sobravam de R$ 4 a 5 mil por semana. 

A Polícia Civil de Sinop descobriu que o golpe era aplicado com os cartões da seguinte forma: os suspeitos, de posse da senha previamente conseguida por meio da ligação telefônica feita por um dos membros da associação criminosa para a vítima, e com o cartão das vítimas efetuavam débitos e/ou parcelamentos até utilizarem todo o limite.

O homem e a mulher presos chegaram a Sinop no dia 27 de julho. No dia seguinte (28) iniciaram a sequência de golpes na cidade, os quais, segundo planilha de contabilidade, ultrapassam o montante de R$ 32 mil. 

Após interrogatório, os dois suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa e depois colocados à disposição da Justiça.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Homem é preso em flagrante após cometer crimes no âmbito da violência doméstica

Publicado

por


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

Policiais da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Barra do Garças (509 a leste de Cuiabá) prenderam um homem em flagrante por crimes relacionados à violência doméstica cometidos contra sua companheira.

Na manhã desta quarta-feira (29), a equipe da delegacia especializada foi informada pelo Creas do município de que uma vítima de violência doméstica fora encaminhada ao órgão, logo após receber alta hospitalar. Os policiais entraram em contato com a mulher para efetivar as ações voltadas ao acolhimento de vítimas de violência doméstica.

Na delegacia, em entrevista com a autoridade policial, foi apurado que a vítima sofreu agressões durante a madrugada praticadas por seu companheiro, com que tem dois filhos. O homem de 20 anos foi localizado e conduzido à delegacia, onde recebeu voz de prisão em flagrante pelos crimes de lesão corporal, injúria e ameaça no âmbito da violência doméstica contra a mulher, sendo autuado em seguida.

Depois ele foi encaminhado para realização de exame de corpo de delito e posteriormente para a unidade prisional de Barra do Garças, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

O casal já possui histórico de violência doméstica por crimes idênticos.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana