conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Policia Federal

Nota à Imprensa

Publicado


Brasília/DF – A Polícia Federal informa que tomou conhecimento das atividades ilícitas que estão ocorrendo no Rio Madeira, no Amazonas, com a presença de várias balsas que estariam promovendo a atividade ilegal de garimpo, e, juntamente com outras instituições, estabelecerá as melhores estratégias para o enfrentamento do problema e interrupção dos danos ambientais.

Coordenação-Geral de Comunicação Social
[email protected]
(61) 2024-8142

Comentários Facebook

Policia Federal

PF investiga fraude no emprego de verbas contra a Covid-19 no interior do Amapá

Publicado

por


Vitória do Jari/AP – A Polícia Federal deflagrou hoje (7/12) a Operação Matizar*. O objetivo é reprimir possível ocorrência dos crimes de fraude em licitação e peculato, em obra que serviria de base para enfrentamento da covid-19.

 Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão: um na casa do secretário municipal de saúde de Serra do Navio/AP (ele reside em Pedra Branca do Amapari/AP); um na residência do responsável por executar a obra (residência em Vitória do Jari/AP); e um na sede de uma empresa em Vitória do Jari/AP. O certame previa reforma e adequação de um prédio para que ele fosse centro de referência no enfrentamento à pandemia.

As investigações tiveram início após denúncia que apresentou fortes indícios de direcionamento para a empresa que venceria a disputa. A modalidade de licitação escolhida foi o Convite, na qual o poder público busca empresas para realizar alguma obra ou serviço. Todavia, foram enviados apenas três convites, já se levantando suspeita sobre uma possível delimitação dos participantes. Mais adiante, a PF verificou que duas das três propostas apresentadas eram idênticas, num claro movimento para que uma terceira empresa saísse vencedora na disputa que envolveu cerca de R$ 100 mil.

Houve ainda constatação de que duas das três empresas têm entre seus responsáveis uma mesma pessoa, outra infração ao caráter competitivo das licitações. O trabalho policial constatou ainda que foi realizada apenas uma pintura no referido prédio, o que não justificaria o alto valor da obra.

As penas previstas para os crimes em investigação podem chegar a 20 anos de reclusão.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Instagram: @policiafederalamapa

(96) 3213-7500

****Matizar quer dizer combinar, numa referência à maneira como foi conduzida a licitação sob suspeita.

Continue lendo

Policia Federal

Polícia Federal desarticula grupo criminoso que atuava no tráfico de drogas em São Paulo

Publicado

por


Ribeirão Preto/SP – A Polícia Federal deflagrou hoje (7/12) a Operação Sertãozinho, em conjunto com o GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado de São Paulo, para investigar a atuação de uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas, em São Paulo.

Policiais federais cumpriram 4 mandados de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar, em desfavor de 4 investigados: um, na cidade de Ribeirão Preto/SP; dois, na cidade de Sertãozinho/SP; e um, na cidade de Alfenas/MG.

As investigações demonstraram que o grupo agia por meio de empresas de transporte de fachada para o recebimento, depósito e distribuição do entorpecente. A configuração dos negócios permitia, facilitava e ajudava a encobrir e manter na clandestinidade as ações criminosas do grupo. As empresas estavam localizadas em cidades próximas a Ribeirão Preto/SP, tanto no interior de São Paulo, quanto de Minas Gerais.

As ações do grupo consistiam em organizar a aquisição do entorpecente, seu transporte até as empresas ou de empresas para outras empresas de fachada do grupo, a depender da logística necessária, sua guarda e depósito. Enquanto isso, o líder do grupo decidia as ações a serem realizadas e negociava a venda da droga e seu pagamento com os interessados.

Além dos mandados de prisão preventiva cumpridos hoje, ao longo da investigação foram cumpridos outros dois mandados de prisões temporárias e três mandados de busca e apreensão. Dois deles foram cumpridos na residência dos envolvidos e um na empresa de Transporte da qual são sócios. Nesses locais, foram realizadas a apreensão de 330 kg de “maconha” e “haxixe”, documentos e demais provas dos crimes praticados, que, após, analisados permitiram novo pedido de prisões cumpridos hoje, haja vista terem sido identificados mais dois integrantes do grupo e indicativos da continuidade da pratica do crime.

Comunicação Social da Polícia Federal em Ribeirão Preto/SP

Contato: (16) 3238-5200
E-mail: [email protected]

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana