conecte-se conosco


Tecnologia

Netflix aumenta preço dos serviços no Brasil; confira os novos valores

Publicado


Netflix anunciou aumento dos preços do serviço no Brasil
Reprodução/Pixabay
Netflix anunciou aumento dos preços do serviço no Brasil

A Netflix anunciou nesta quinta-feira (14) que irá elevar os preços dos serviços no Brasil. O serviço de streaming comunicou que os reajustes serão de 10,05% e 21,10%, o que representa, em valores correntes, de R$ 2 a R$ 8.

Leia também: Caiu aí? Instagram, Facebook e WhatsApp enfrentam instabilidade em todo o mundo

Todos os três planos da Netflix
 sofrerão reajuste de preço no País. É o primeiro aumento dos preços do maior serviço de streaming do mundo no Brasil desde 2017, quando a empresa mudou os preços dos planos Padrão e Premium, mas optou pela manutenção dos custos do plano básico. Antes disso, os preços do serviço haviam passado por mudanças em 2015 e em 2013.

Confira os novos preços de cada plano da Netflix

Plano Valor Antigo Valor atualizado Porcentagem de aumento
Básico: Tela única, sem HD R$ 19,90 R$ 21,90 10,05%
Padrão: Duas telas simultâneas, HD R$ 27,90 R$ 32,90 17,92%
Premium: Quatro telas simultâneas, Ultra HD   R$ 37,90  R$ 45,90 21,10%





O plano básico, que oferece ao usuário uma única tela e imagem sem HD, passa a custar R$ 21,90, um aumento de R$ 2, o que representa 10,05%. Já o segundo plano, que garante a utilização simultânea de duas telas, com imagem HD, salta de R$ 27,90 para R$ 32,90 (17,92%). O plano mais caro, que permite uso em quatro telas ao mesmo tempo, com imagem Ultra HD, passa de R$ 37,90 para R$ 45,90 (21,10%). É possível notar que o aumento é maior de acordo com o plano. O mais barato tem a menor alta, e o mais caro tem a maior.

Leia mais:  Instagram oscila e usuários ficam sem conseguir atualizar o feed

“Mudamos nossos preços de tempos em tempos para continuar investindo no melhor do entretenimento, além de melhorar a experiência da Netflix para nossos membros no Brasil”, justificou a empresa em comunicado.

A empresa de serviço de streaming
 informou que também está proporcionando reajuste dos preços do serviço no México. Nos Estados Unidos, os preços já tinham sido elevados em janeiro
, entre 13% e 18%. Lá, o plano mais popular aumentou de US$ 10,99 para US$ 12,99 por mês.

Recentemente, a empresa busca impulsionar suas produções originais, como “The Crown”, “Black Mirror” e “Wild Wild Country”, o que aumenta os custos de produção e até mesmo de publicidade, o que pode ser uma das razões da elevação de preço
ao redor do mundo.

Leia também: Passa sua conta? Netflix perde quase US$ 200 mi por mês com empréstimo de logins


Segundo o último balanço trimestral, a Netflix
conseguiu nove milhões de novos assinantes nos últimos 3 meses do ano passado, e tem atualmente 139 milhões de assinantes no mundo. A empresa opta por não divulgar o número de assinantes do serviço no Brasil. De acordo com os dados, foram mais de US$ 8 bilhões investidos em conteúdo no ano passado.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Vídeo de robô se revoltando e atacando seus criadores bomba, mas era tudo “fake”

Publicado

por

Quão próximos nós estamos de uma revolução das máquinas como nos filmes da saga “O Exterminador do Futuro”? Um vídeo publicado na última semana por um usuário no Twitter fez alguns usuários se perguntarem se estamos seguros com a criação de robôs humanoides.

Leia também: Afinal de contas, o Telegram é seguro?

robô
Reprodução/YouTube/Corridor
Em paródia, robô se revolta com maus-tratos e agride seus criadores

No vídeo, um robô é submetido a diversos tipos de maus-tratos por seus criadores. Eles, os humanos, agridem a máquina com chutes, boladas e dão até tiros em seu “rosto”. Farto de todas as provocações, a criatura se revolta, pega a arma dos criadores e os rende. Assista abaixo:

O vídeo, no entanto, apesar de assustador, não passa de uma paródia criada por uma empresa chamada Corridor para se parecer com imagens reais de testes da Boston Dynamics , companhia de engenharia robótica .

Leia também: Como um celular é hackeado? Conheça as técnicas e saiba se proteger


No YouTube, a revolta do robô humanoide bombou e passou de 5,7 milhões de visualizações. Internautas se divertiram nos comentários; alguns diziam que este será nosso futuro, enquanto outro disse que “quase se borrou nas calças” quando a máquina pegou o taco de hóquei que estava sendo utilizado para agredi-la.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Leia mais:  De joystick a tripé: 9 acessórios para celular que vão facilitar sua vida
Continue lendo

Tecnologia

5 dicas para usar menos dados móveis do seu pacote de internet

Publicado

por

Não importa se o seu plano é pré ou pós-pago, todos já recebemos uma mensagem da operadora de celular avisando que 100% de dados móveis foram utilizados. Isso significa, basicamente, que você gastou toda a sua internet e ficará dependente do Wi-Fi para acessar redes sociais e outros aplicativos que exigem uma conexão online. 

celular
shutterstock
É preciso ter um controle e saber economizar para que os dados móveis não acabem antes do fim do mês

Mas será que é possível economizar e fazer os  dados móveis  durarem até o fim do mês? Sim, tanto que vários aplicativos e os próprios smartphones já oferecem a alternativa de diminuir o uso do pacote de dados. Veja algumas dicas que podem te ajudar: 

1. Aposte na função “economia de dados”

Redes sociais que carregam fotos e vídeos, apps de música e séries, além de jogos para celular que precisam de conexão com a internet são alguns exemplos que exigem muitos dados do seu pacote mensal. Porém, é possível selecionar a opção “economia de dados” nas configurações de alguns apps, como é o caso do Instagram e Spotify, por exemplo.

Apesar de carregar o conteúdo mais devagar e não permitir que você acesse vídeos — já que estes gastam mais internet —, você pode usar seu 3G ou 4G sem se preocupar se a franquia vai acabar antes da hora. Além disso, assim que você se conecta ao Wi-Fi, a funcionalidade dos apps voltam ao normal e o carregamento não depende mais dos dados celulares. 

Leia mais:  Instagram oscila e usuários ficam sem conseguir atualizar o feed

Aplicativos com versão “lite”, como Facebook e Facebook Messenger, também são alternativas para gastar menos internet. 

2. Desligue os dados móveis

Os próprios smartphones também dão uma opção para economizar dados: desligando-os. É possível desativar o uso de apenas alguns aplicativos que você não usa enquanto está fora de casa ou os dados celulares gerais e ficar totalmente sem conexão 3G ou 4G. 

No iPhone, vá em “Ajustes”, “Celular” e desative o botão “Dados celular”; já no Android, é só ir em “Configurações”, “Uso de dados” e desativar a opção “Dados Móveis”. Nos dois sistemas também dá para escolher quais aplicativos podem usar o seu pacote de internet

3. Só faça downloads pelo Wi-Fi

Além de tentar usar o Wi-Fi para acessar a internet e redes sociais na maior parte do tempo, procure fazer download só se estiver conectado à rede. Não gaste seu 3G ou 4G para baixar nenhum aplicativo novo ou conteúdo, já que isso gasta muito mais os seus dados. 

A Netflix é um dos aplicativos que já permite que os usuários  baixem filmes e episódios de séries  no aplicativo como uma forma de economizar dados. Porém, existe uma função nas configurações, que é o botão “Somente Wi-Fi”m para garantir que nenhum download comece sem que o aparelho esteja conectado à uma rede. 

Atualizações de aplicativos em segundo plano são outras formas de ter certeza que as novas versões dos seus apps só serão baixados caso você acesse a internet pelo Wi-Fi. 

Leia mais:  Sem WhatsApp, Facebook e Instagram? Redes sociais apresentam instabilidade

4. Baixe o conteúdo e use apps no modo offline

Além das séries da Netflix, também é fácil baixar músicas através do Spotify, Deezer e outros apps de música que consomem muita internet. Já quando falamos de funcionalidades, temos o Google Maps e o Maps.Me, que permitem baixar mapas personalizados e acessá-los sem 3G. 

A alternativa de acessar apps pelo “modo offline” é ótima para economizar dados, já que você pode baixar todo o conteúdo que quer consumir pelo Wi-Fi e não vai gastar a franquia do seu celular para isso. Só não esqueça de fazer download antes de se desconectar! 

5. Tenha um controle de dados móveis

Uma boa ideia para saber quanto de dados de internet você já gastou e ter um controle de quanto ainda pode usar até o fim do mês é usar aplicativos


Algumas alternativas são o My Data Manager (disponível para Android e iOS), 3G Watchdog (apenas para Android) ou o DataFlow (só para iOS) Eles conseguem acompanhar todo o seu gasto de internet, além de notificar quando os dados móveis estão perto de acabar ou quando sua franquia da operadora foi renovada. 

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana