conecte-se conosco


Mato Grosso

MTI utiliza nova metodologia para acelerar criação de projetos

Publicado

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) utilizou a metodologia Design Sprint para acelerar a criação do projeto do novo portal da intranet da empresa. O projeto foi escolhido devido aos seus  desafios e riscos, sendo considerado o pontapé da inclusão da metodologia na MTI, como mais uma das medidas de inovação adotadas pela empresa.

O design sprint é uma metodologia usada na Google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias e foi realizado ao longo da última semana. Envolveram-se no projeto as Unidades de Gestão Estratégica de Inovação (UGEIN), de Projetos (UGEPR), de Comunicação e Marketing (ASSCOM), a Gerência de Implementação de Software (GISW), da assessoria da presidência e do Fiplan, além da analista e mestranda em inovação, Janine Ulrich.

De acordo com a analista de TI da UGEIN Sayuri Arake, o design sprint é uma metodologia que utiliza dos conceitos de design thinking para validar ideias e resolver grandes desafios através de prototipagem e teste de ideias com usuários. Durante os cinco dias, o grupo de pessoas se reuniu para responder questões críticas do projeto e suas necessidades através de design.

“Pegamos um desafio e pormenorizamos esse desafio, vendo todas as necessidades, seguindo todos os passos e vendo o que poderíamos melhorar. A partir disso, procuramos como faríamos isso através de exemplos, desenhamos protótipos, fizemos um passo-a-passo do que seria e chegamos ao desenho de vários protótipos, até escolher o vencedor. Esse protótipo vencedor foi apresentado a cinco usuários para validação do que foi feito”, explicou.

A metodologia 

Apesar da aparente facilidade da metodologia, a tarefa foi árdua, com os tempos cronometrados, para a aplicação do método da forma mais correta, segundo Sayuri.  No primeiro dia, o trabalho foi focado em exteriorizar e alinhar tudo o que o grupo sabia sobre como é a intranet hoje e quais eram os questionamentos que precisavam ser respondidos no teste do usuário. Também neste dia, definiu-se qual o perfil do usuário e qual o momento alvo que será o foco do trabalho. 

No segundo dia, foi a vez de colocar no papel individualmente as soluções para os problemas e necessidades anteriormente apontados. Apresentou-se diversas ferramentas e sistemas que continham possíveis ideias para o projeto, finalizando o dia com esboços feitos à mão pelos participantes.

Já no terceiro dia foi feita a votação dos protótipos desenhados anteriormente, definindo os protótipos vencedores. Na sequência, foi o momento de filtrar as ideias, refiná-las e escolher uma única ideia que seria o protótipo do novo portal da intranet, fazendo um storyboard.  No quarto dia foi o momento de prototipar e colocar tudo que estava no papel, da forma que foi pensado, na tela de um computador. Cada pessoa do grupo recebeu uma função que permitiu que o protótipo fosse feito em um único dia.

“Tivemos quatro protótipos e juntamos todas as ideias colocando em um único protótipo para validar com o usuário. Nosso objetivo não era ter novas ideias com os usuários, mas sim validar que tudo que fizemos ao longo da semana e tudo que pensamos vá responder, de fato, às perguntas e anseios que pensamos lá no primeiro dia”, explicou.

Por fim, no quinto dia foi o momento de mostrar os protótipos para os colaboradores usuários do produto, em sessões individuais. O produto foi apresentado para o usuário para que ele pudesse interagir com algumas telas e desse seu feedback em tempo real sobre o que gostou e o que não gostou do protótipo. Ao todo, cinco colaboradores da empresa, inclusive cedidos, participaram das sessões individuais e deram suas impressões sobre o novo portal.

Com o protótipo validado, a previsão é iniciar um trabalho interno de implementação.  “A ideia é gerar o plano de projeto com um cronograma para execução e priorização junto à Diretoria”, afirmou Sócrates Barros, gerente da UGEPR.

As vantagens 

Para o analista desenvolvedor Kivson de Andrade, a principal vantagem da metodologia é o fato de não ser necessário lançar um MVP (Minimum Viable Product) para descobrir se a ideia é boa ou não, pois a validação do protótipo é feita ao final da semana de trabalho.

“O mais importante é a validação com o usuário, pois muitas das ideias que tivemos aqui e achamos legais, o usuário não entendeu. E com esse foco do design sprint na validação da ideia com usuários já poderemos implementar de acordo com a visão de quem vai utilizar, pois muitas vezes eu desenvolvedor estou longe do cliente e não sei o que ele quer”, afirmou.

Já para o analista da UGEIN Gustavo Lima, o design sprint é uma boa solução para evitar sessões de brainstorm, onde são geradas ideias e soluções para determinado problema que, muitas vezes, não saem do papel.  “No método, como todos produzem algo, cria uma possibilidade de ver ideias diferentes e ter aceitação das ideias, diferentemente de uma reunião que é o que muitas vezes fazemos, onde o melhor vendedor de ideias é o que ganha”, disse.

Além dos colaboradores mencionados, participaram do design sprint o analista desenvolvedor José Roberto Leite e as assessoras Faiana Prieto e Karine Miranda.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Trabalho de reeducandos em obras de infraestrutura beneficia população de Nobres

Publicado

por

A mão de obra de 14 reeducandos da Cadeia Pública de Nobres (124 km de Cuiabá) tem sido fundamental para o desenvolvimento da região. Além de ser uma forma de ressocialização, os municípios de Nobres e de Rosário Oeste têm recebido melhorias, como a reforma de batalhões policiais, pavimentação de vias, reformas de pontes, entre outros.

A cada três dias de trabalho, os reeducandos diminuem um dia da pena. O salário recebido no final do mês auxilia no sustento das famílias das pessoas privadas de liberdade. A parceria entre a Fundação Nova Chance (Funac) com a Prefeitura de Nobres possibilita que estas pessoas tenham uma segunda oportunidade de fazer uma nova história, beneficiando a sociedade.

Quem chega na cidade de Nobres, destino muito procurado pelos turistas, logo vê um pórtico desejando boas-vindas. A maioria destas pessoas não imagina que este foi um trabalho auxiliado por reeducandos da cadeia local. A ampliação da avenida da entrada da cidade também recebe mão de obra.

Obras de manilhamento, recuperação de pontes municipais e até mesmo serviços de jardinagem deixam a cidade ainda mais bonita. Outro trabalho igualmente fundamental é a reforma do 7º Batalhão da Polícia Militar de Rosário Oeste, que vai gerar economia aos cofres públicos, já que utiliza a mão de obra de reeducandos.

“Todas essas atividades fazem com que nossos recuperandos façam parte do desenvolvimento destes municípios”, destacou o diretor da Cadeia Pública de Nobres, Misael José de Almeida.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Mato Grosso teve 713 casos de hepatites virais em 2019; SES alerta para prevenção e tratamento

Publicado

por

Dentre as abordagens da campanha do Governo do Estado voltada para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, está um alerta para casos relacionados às hepatites virais. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do setor de Vigilância em Saúde, registrou 15 casos de hepatite A, 499 casos de hepatite B e 199 casos de hepatite C em Mato Grosso, apenas no ano de 2019.

A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os sintomas mais comuns das hepatites A e B são: dor ou desconforto abdominal; dor muscular; fadiga; náusea e vômitos; perda de apetite; febre; urina escura e o amarelamento da pele e olhos.

Em alguns casos, são doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas. De acordo com a técnica especializada em hepatites virais da SES, Regina Nascimento, o diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado – por isso é tão importante fazer os exames. A confirmação pode ser feita por testes rápidos, que apontam o resultado em uma hora, sendo que também existem exames feitos em laboratório.

A servidora também reforçou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatites, independentemente do grau de lesão do fígado.

Prevenção

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B, entretanto, quem se vacina para o tipo B também estará protegido da hepatite D. A vacina está disponível e é gratuita pelo SUS. Para os demais tipos de vírus, não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.

A prevenção à hepatite C pode ser feita evitando o contato com sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes; o tratamento é medicamentoso e há cura em mais de 95% dos casos. As hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer. Já a hepatite A é uma doença aguda e o tratamento se baseia em dieta e repouso.

Pelo SUS, a imunização está disponível para crianças de 15 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias) e também no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), para pessoas de qualquer idade que tenham: hepatopatias crônicas de qualquer etiologia incluindo os tipos B e C; coagulopatias; diagnosticadas com HIV; portadores de quaisquer doenças imunossupressoras; doenças de depósito; fibrose cística; trissomias; candidatos a transplante de órgãos; doadores de órgãos, cadastrados em programas de transplantes ou com hemoglobinopatias.

Ainda é importante destacar que, durante a gravidez e o pré-natal, deve ser realizado o exame de hepatite. Caso diagnosticada, a gestante pode ser tratada, se houver indicação, ainda durante a gravidez.

Hepatite A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (HAV) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. A melhor forma de evitar a doença é melhorando as condições de saneamento básico e de higiene nas moradias. Os sintomas costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção.

Hepatite B

A hepatite B é uma doença infecciosa, está presente no sangue, no esperma e no leite materno; é considerada uma doença sexualmente transmissível. Entre as causas de transmissão estão: relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; entre mãe infectada e filho durante a gestação, parto ou amamentação; transfusão de sangue contaminado; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings.

Hepatite C

A hepatite C é causada por vírus, está presente no sangue e a transmissão ocorre por: transfusão de sangue; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings; entre mãe infectada e filho durante a gravidez (mais rara); sexo sem camisinha com uma pessoa infectada (mais rara).

Serviço

A vacina de prevenção para as hepatites do tipo A e B pode ser tomada no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), que funciona nas instalações do Centro Estadual de Referência em Média e Alta Complexidade (Cermac), localizado na Rua Tenente Thogo da Silva Pereira, 63 – Centro Sul, em Cuiabá, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana