conecte-se conosco


Estradas

MT-480: Com sinais de erosão, talude na serra de Deciolândia corre risco de rompimento

Publicado

Os perigos do trecho da MT-480 na serra de Deciolândia são maiores que se possa imaginar. Com sinais evidentes de erosão e com a aproximação do novo período chuvoso, é grande o risco de deslizamentos e, por consequência, rompimento do talude que sustenta o traçado da rodovia naquele trecho.

Tragédia anunciada: Setas indicam processos erosivos no talude que sustenta a estrada.

O alerta é do engenheiro civil e professor universitário Silvio Tupinambá, que esteve no local acompanhado de estudantes de engenharia. Também vistoriaram o local representantes da Associação de Produtores de Deciolândia, entidade que mantém parceria com o governo do Estado para manutenção da rodovia. Tupinambá constatou vários problemas de ordem técnica que, segundo ele, representam sérios riscos à estabilidade do talude. “Está pedindo para desabar. É uma tragédia anunciada. As condições do local são precárias em termos de drenagem e hidrossemeadura”, adverte.

O Bem Notícias apresenta nesta matéria fotos em que é possível visualizar um grande processo erosivo no talude, nas curvas de nível. Com estas falhas estruturais, os riscos de rompimento poderão resultar na interdição da pista, segundo informações extraoficiais.

Foto de 2013: Problemas já eram perceptíveis há seis anos.

De acordo com Silvio Tupinambá, o perigo reside principalmente no período chuvoso, em casos de precipitações pluviométricas volumosas, o que é normal na região nos meses de dezembro a março.

O engenheiro explica que o talude na serra de Deciolândia é uma estrutura natural que recebeu curvas de nível durante as obras. Porém, para que a estrutura tenha estabilidade é preciso um sistema eficiente de drenagem, vegetação e outros dispositivos de contenção, além de manutenção de canaletas de escoamento de águas pluviais. Este último quesito é proporcionado pela hidrossemeadura, que é uma técnica que compreende aplicação hidromecânica com jato de alta pressão de um conjunto composto basicamente por fertilizantes, material adesivo, sementes e água.

Vale lembrar que o solo no local é basicamente arenito, de baixa capacidade de absorção, o que permite que a água de precipitações adquira velocidade, resultando, por consequência, em grandes erosões.

A redação também apurou que o governo estadual tem ciência do problema. Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura (SINFRA-MT), o governo promove um replanejamento para a retomada e restauração de obras em rodovias, o que inclui o próprio convênio com a Associação de Produtores.

De acordo com a pasta, a retomada dos trabalhos também depende de disponibilidade orçamentária. Por outro lado, há a informação de que o Estado já teria em caixa cerca de R$ 300 milhões oriundos do FETHAB (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) para investimentos em estradas.

A assessoria da SINFRA-MT prometeu, ainda hoje, dar um retorno à redação sobre as providências relacionadas ao problema da serra de Deciolândia. Contudo, até o fechamento desta edição, às 21h15, não houve qualquer retorno.

Comentários Facebook

BemRural

Em protesto, motoristas ameaçam atear fogo em ponte na MT-339 entre Tangará e Nova Olímpia

Publicado

A falta de estrutura e manutenção em uma ponte sobre o Rio Tarumã, na MT-339, na divisa entre Tangará da Serra e Nova Olímpia, preocupa moradores, agricultores e caminhoneiros que passam pelo local diariamente.

Por causa do problema, os motoristas de caminhão temem atravessar a via, pelo risco de acidente, o que prejudica o escoamento de grãos. O tráfego é intenso, muitos veículos passam diariamente pelo trecho, e os condutores aguardam uma solução definitiva para o problema, considerando que algumas tábuas estão podres e buracos se formam em parte da estrutura de madeira.

Outra preocupação apresentada pela categoria é quanto à temporada de chuvas que se aproxima, a ponte já apresenta desgaste da estrutura, e com a possível elevação do nível de água, alertam sobre a possibilidade de ruir. Revoltados, os caminhoneiros declararam à reportagem, que pretendem atear fogo na estrutura, em protesto.

Em nota a assessoria de imprensa da Secretaria Adjunta de Obras Rodoviárias, da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) afirma que técnicos da Superintendência de Obras II, farão uma vistoria no local, para avaliar o problema e buscar uma solução, mas não apresenta data para início de reparos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Estradas

Federalização de rodovias entre Brasnorte-Sorriso e Jangada-Castanheira, ganha força em audiência pública promovida pela AL

Publicado

Durante audiência pública idealizada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALTM), na manhã da última sexta-feira (30) no Distrito de Brianorte, município de Nova Maringá, foi defendida a viabilidade e importância de federalizar a rodovia MT-242, entre Brasnorte e Sorriso.

Assembleia discutiu federalização da BR-242 em Brianorte.

Representando a região de Tangará da Serra, o suplente do deputado federal Dr. Leonado (PODEMOS), Vander Masson (PSDB) e o vereador de Diamantino Edílson Sampaio (PROS), buscaram  apoio em defesa do projeto de Lei 3371/2019, que propõe federalizar 708 km de rodovias estaduais que ligam Jangada a Castanheira.

“Com a federalização poderemos acelerar o desenvolvimento da região médio norte. A proposta pretende federalizar trechos das rodovias 246, 343, 358, 364 e 170 e transformá-las em BR-364. Estamos trabalhando junto com o Dr. Leonardo, e o objetivo é conseguir recursos federais para pavimentar totalmente essa ligação, criando nova rota de escoamento da produção agrícola e um novo corredor de desenvolvimento na região”, destaca Vander Masson.

Os trechos passam por Barra do Bugres, Assari, Nova Olímpia, Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis, Brasnorte, Juína e Castanheira, conforme o vereador de Diamantino Edílson Sampaio (PROS), parte desse traçado já estava previsto como entroncamento da BR-364.

“A federalização dos trechos Brasnorte-Sorriso e Jangada-Castanheira, são totalmente viáveis, os projetos 3370/2019 e 3371/2019 já tramitam na Câmara Federal. Basta juntar as duas propostas e incluir no Plano Nacional de Viação, uma alteração simples na Lei Federal, e que pode com a integração proporcionar a esses municípios, estarem conectados ao restante da malha rodoviária federal, proporcionando desenvolvimento, geração de emprego e renda aos moradores”, conclui.

Participaram do encontro os deputados Dilmar Dal Bosco, Xuxu Dal Molin, Janaina Riva, Silvio Fávero, Romoaldo Junior, além de representantes da bancada federal de Mato Grosso e Rondônia, prefeitos de cidades da região, vereadores, empresários, membros da Associação de Moradores de Brianorte e comissão Pró-242, e que visam a conexão entre os municípios de Sorriso, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Brianorte e Brasnorte.

Os projetos de Lei, (3370/2019 | 3371/2019) serão analisados, inicialmente, pelas comissões da Câmara dos Deputados antes de serem votados em plenário. Para fortalecer o movimento de federalização entre Jangada e Castanheira, está prevista para o fim do mês de setembro uma audiência pública em Tangará da Serra, requerida por Vander Masson e firmada durante o evento em Brianorte, em parceria com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana