conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Política Nacional

MPF identifica indícios de crime em contrato de compra da vacina indiana

Publicado


source
Contrato foi firmado entre o Ministério da Saúde a empresa Precisa
Reprodução: iG Minas Gerais

Contrato foi firmado entre o Ministério da Saúde a empresa Precisa

O Ministério Público Federal ( MPF ) identificou indícios de crime na compra feita pelo Ministério da Saúde de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin e pediu que o caso seja investigado na esfera criminal . Até então o caso vinha sendo apurado dentro de um inquérito que tramitava na esfera cível. O contrato para a compra da Covaxin totalizou R$ 1,6 bilhão.

Os indícios de crime foram mencionados pela procuradora da República Luciana Loureiro, que vinha conduzindo as investigações na esfera cível. Em despacho assinado no dia 16 de junho, Loureiro disse que as “a omissão de atitudes corretivas” e o elevado preço pago pelo governo pelas doses da vacina fazem com que o caso seja investigado na esfera criminal. O contrato foi firmado entre o Ministério da Saúde a empresa Precisa, que representa o laboratório indiano Bharat Biotech.

“A omissão de atitudes corretiva da execução do contrato, somada ao histórico de irregularidades que pesa sobre os sócios da empresa PRECISA e ao preço elevado pago pelas doses contratadas, em comparação com as demais, torna a situação carecedora de apuração aprofundada, sob duplo aspecto cível e criminal uma vez que, a princípio, não se justifica a temeridade do risco assumido pelo Ministério da Saúde com essa contratação, a não ser para atender a interesses divorciados do interesse público”, diz a procuradora.

Você viu?

O contrato entre o Ministério da Saúde e a Precisa foi firmado durante a gestão do ex-ministro Eduardo Pazuello . Supostas irregularidades na contratação também são investigadas pela CPI da Covid e pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Segundo dados consolidados pelo tribunal, a dose da Covaxin negociada pelo governo é a mais cara entre todas as que foram contratadas pelo Ministério da Saúde. Enquanto a dose da vacina fornecida pela Oxford-AstraZeneca custa, em média, R$ 19,87, o governo aceitou pagar R$ 80,7 por dose da Covaxin.

Na semana passada, o jornal “Folha de S. Paulo” publicou reportagem com base em depoimento de um servidor o Ministério da Saúde ao MPF que alegou que estaria sofrendo pressões para acelerar o processo de compra da vacina indiana.

Nesta terça-feira, o jornal “Estado de S. Paulo” publicou reportagem mostrando que o valor pago pelo governo pela dose da Covaxin é 1000% superior à estimativa inicial do seu custo.


Em seu despacho, a procuradora Luciana Loureiro também lembrou que a Precisa tem, entre seus sócios, a empresa Global Saúde, que é investigada por ter fechado um contrato com o governo federal há alguns para o fornecimento de medicamentos que não foram entregues. Por conta dessa irregularidade, sócios da empresa e o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), são investigados. Barros era o ministro da Saúde no momento em que o contrato entre o governo e a Global foi firmado.

Comentários Facebook

Política Nacional

Bolsonaro convoca imprensa para live em que promete provar fraude nas urnas

Publicado

por


source
Presidente Jair Bolsonaro
Reprodução: R7

Presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocou a imprensa nesta quinta-feira (29) para sua live semanal, às 19h. Ele promete “provar” que houve  fraude na eleição para presidente em 2014, vencida por Dilma Rousseff (PT).

A Secom (Secretaria de Comunicação do Planalto) informou que 25 jornalistas selecionados acompanharão a live presencialmente, mas não poderão realizar perguntas. Alguns veículos transmitirão a coletiva ao vivo.

Bolsonaro tem aumentado o tom em sua pretensão de implementar o voto impresso. Sem nunca ter apresentado provas, ele afirmou algumas vezes que teria vencido a eleição de 2018 no primeiro turno se as eleições fossem “limpas”.

Na última ocasião, na manhã desta quinta-feira, o presidente disse a apoiadores no Palácio da Alvorada que “poderemos ter problemas” caso a eleição do ano que vem seja realizada no modelo atual.

Continue lendo

Política Nacional

Joice aciona Conselho de Ética contra senador que debochou de seu acidente

Publicado

por


source

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) acionou, nesta quinta-feira (29), o Conselho de Ética do Senado contra Styvenson Valentim (Podemos-RN) por quebra de decoro parlamentar. As informações são do jornalista Lauro Jardim.

Após Joice ter revelado suas fraturas e lesões faciais, Styvenson ironizou a situação da parlamentar em uma live e insinuou que seu acidente teria sido causado por traição ou uso de drogas.

“Aquilo ali, das duas uma. Ou duas de quinhentos (Styvenson leva as mãos à cabeça, fazendo chifres) ou uma carreira muito grande (inspira, como se cheirasse cocaína). Aí ficou doida e pronto… saiu batendo em casa”, declarou o senador.

Em sua representação, Joice alega que “tal conduta revela-se no mínimo grave e flagrantemente incompatível com a ética e o decoro exigidos pela Constituição Federal e normas internas desta Casa Legislativa, eis que as agressões verbais não se limitaram apenas a emissão de opinião, mas sim em flagrante ofensa à honra da parlamentar vítima de violência física”.

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana