conecte-se conosco


Cidades

Motorista sofre acidente e denuncia em rede social obstáculo usado para sinalizar obra na ‘Curva do Dona Júlia’

Publicado

Pelo menos seis acidentes foram relatados no fim de semana, na Avenida Nilo Torres, no trecho da ‘Curva do Dona Júlia’, local onde ocorrem obras de drenagem de águas pluviais no bairro Jardim Imperial em Tangará da Serra.

Motorista sofre acidente ao colidir contra morro de terra usado como sinalização de trânsito em obra de drenagem na ‘Curva do Dona Júlia’. Foto: Reprodução

Revoltado, um dos motoristas envolvidos em acidente no trecho, denunciou em vídeo os perigos do local, após ter colidido com o carro, contra um obstáculo deixado pela Secretaria de Infraestrutura (SINFRA). “Nós estamos na curva da dona Julia, no monte de terra que a prefeitura deixou aqui, não sinalizaram, meu carro rampou o monte, veio o segundo carro e também bateu. Nós queremos saber o que podemos fazer porque vamos ficar no prejuízo e a prefeitura deixou o monte de terra no meio da rua, não deixaram sinalização nenhuma à noite e acabou com a frente dos nossos carros”, denuncia a vítima.


Quanto ao apelo do usuário, a prefeitura destaca que o local está interditado para obra e que mesmo diante dos riscos, condutores ignoram a orientação, e acabam se envolvendo em acidentes pelo descuido em não se atentarem aos avisos de bloqueio. O fechamento do acesso corresponde ao trecho que liga a Avenida Nilo Torres à comunidade Linha 12 e bairros Barcelona, Morada do Sol, Bela Vista e Jardim Califórnia. A Sinfra sugere, que o acesso à região, seja conduzido pelo Bairro Jardim Califórnia.

Comentários Facebook
Leia mais:  Dono de bar é preso suspeito de tráfico de drogas no Bairro Jardim dos Ipês

Cidade

Estado cumpre meta e economiza R$ 9,6 mi com combustível em 2019

Publicado

por

O Governo do Estado alcançou uma economia de R$ 9,6 milhões com gastos em combustíveis entre os meses de janeiro e novembro de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018. No ano passado, o Estado gastou R$ 48,2 milhões, já este ano o montante ficou em R$ 38,6 mi, uma redução de 20%.

Os dados são da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), que detém o Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis.

A economia só foi possível devido às várias medidas administrativas de contenção de gastos adotadas pela secretaria, com o intuito de atingir a meta de 20% de redução de consumo. As medidas foram estabelecidas pelo Decreto nº 8/2019, que propôs diretrizes para controle, reavaliação e contenção das despesas em toda a administração direta e indireta.

Bloqueio de abastecimento

A principal medida de contenção foi o bloqueio no sistema para o abastecimento da frota de veículos flex com gasolina, a partir de maio. Um levantamento da Secretaria constatou a vantajosidade no abastecimento com álcool. O consumo de gasolina em litros reduziu 62% desde que a suspensão foi implementada.

O cálculo básico para se descobrir se o álcool é vantajoso ou não em relação a gasolina é simples. Basta dividir o preço do litro do etanol pelo da gasolina. Se o valor do derivado da cana de açúcar estiver custando menos de 70% do valor da gasolina, então compensa.

A Seplag, órgão central de compras públicas e que detém a gestão do sistema de abastecimento, irá inserir na próxima Ata de Registro de Preço de combustíveis uma cláusula que permita o remanejamento do quantitativo de gasolina e álcool para que o órgão abasteça com o que for mais vantajoso, ao invés de ter que realizar o bloqueio no sistema como foi feito.

Leia mais:  Adolescente atropelado de bicicleta segue internado na UTI e apresenta melhora

Para que a cláusula seja implementada com sucesso, a Secretaria Adjunta de Patrimônio e Serviços da Seplag irá monitorar e orientar os órgãos e entidades para que seja utilizado o combustível que oferecer maior economicidade aos cofres públicos.

Recadastramento de veículos

Além do bloqueio, a Seplag adotou várias outras medidas administrativas que possibilitaram essa economia. Entre elas estão o recadastramento de veículos, máquinas, motores, condutores e operadores de máquinas no Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis, com objetivo de controlar o consumo, atualizar informações relativas a veículos e condutores e padronizar a utilização dos veículos oficiais, próprios e locados.

A pasta também determinou a substituição dos veículos administrativos e operacionais, por veículos de melhor performance de consumo, trazendo além de economia a eficiência pela qual a administração deve se pautar sempre.

Implantação de Tags

Também foi implantado um dispositivo de identificação eletrônica, denominado tag, para fins de controle do abastecimento de veículos oficiais do Estado. O mecanismo contém uma chave eletrônica associada à identificação do veículo no ato do abastecimento. A tag é intransferível e seu uso é obrigatório em substituição ao cartão magnético.

A tag é fixada no para-brisa do veículo sob os cuidados do condutor cadastrado, que deve ter seus dados no Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis sempre atualizados e estar ciente sobre o saldo do cartão e estabelecimentos credenciados pelo governo. É expressamente proibido abastecer outro veículo que não aquele ao qual a tag está vinculada.

Leia mais:  Tangaraense é "flagrado" dando seta no Bairro Vila Alta

Para o secretário Basílio Bezerra medidas como as que foram adotadas são extremamente importantes para ajudar a equilibrar as finanças do Estado.


“Estamos fazendo a lição de casa com eficiência, pois é importante reduzir custos sem perdermos qualidade nos serviços prestados ao cidadão. Essa economia alcançada com o consumo de combustíveis é um exemplo de que isso é possível”, finaliza.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cidade

Hospital Regional de Rondonópolis realiza cirurgias de artrodese de coluna

Publicado

por

Mantido pelo Governo de Mato Grosso por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o Hospital Regional de Rondonópolis realizou, nos dias 6 e 11 de dezembro, as primeiras cirurgias de artrodese de coluna. O procedimento é utilizado para fixar segmentos da coluna vertrebal e tratar problemas de instabilidade na região. Não há registros de que o procedimento já tenha sido ofertado pelo hospital em anos anteriores.

“Isso marca a história da Saúde mato-grossense. A atual gestão tem trabalhado intensamente na ampliação dos serviços ofertados e na modernização da infraestrutura das unidades. É um trabalho que vem em prol da população”, comemora o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Entre as pessoas beneficiadas com o procedimento, está L.B.G., que fez a cirurgia nesta quarta-feira (11.12), após três meses de espera. Sua irmã, Maria de Lourdes revela a expectativa de não mais presenciar as dores sentidos pelo irmão. “Só tenho que agradecer a Deus e a vocês que estão lutando por nós. Meu irmão está agora no centro cirúrgico e vai ficar aqui”. Ela pontua que teria dificuldades, caso precisasse realizar a cirurgia em Cuiabá, uma vez que não tem parentes na capital.

Além da cirurgia de artrodese de coluna, que é de alta complexidade, a atual gestão conseguiu implantar outras cirurgias ortopédicas no Hospital Regional, como de acetábulo – osso que faz parte do quadril – e prótese total de quadril. “A visão que a gestão estadual tem está ligada à segurança e ao bem-estar do paciente, visto que a realização desses procedimentos no interior do Estado evita o deslocamento – muitas vezes exaustivo e complicado – aos pacientes e familiares”, explica a secretária adjunta de Gestão Hospitalar, Deisi Bocalon.

Leia mais:  Rede Pública passa a oferecer exames oftalmológicos em Tangará da Serra

Segundo a diretora do Hospital Regional de Rondonópolis, Caroline Dobes, a direção da unidade negociou com a equipe de neurocirurgia a realização de até dois procedimentos eletivos por semana – e isso se deve a reorganização do protocolo da Clínica Médica. Ela explica que, dessa forma, os neurocirurgiões poderão dedicar mais tempo ao centro cirúrgico, sem custo financeiro extra à unidade.

“A maioria dos pacientes que aguardam a transferência para outros hospitais de referência são pacientes da neurocirurgia. De 10 pacientes de neurocirurgia que a gente tinha até o mês passado, oito eram pacientes que aguardaram por cirurgia de artrodese de coluna”, conta.


A gestora avalia que é importante a realização dessa cirurgia no hospital porque boa parte dos pacientes que necessitam do procedimento são de cidades do entorno de Rondonópolis. “Trazer esse procedimento para dentro do Hospital Regional é um ganho na qualidade de vida desses pacientes, que vão poder ser operados perto de suas famílias”, conclui.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana