conecte-se conosco

  • powered by Advanced iFrame free. Get the Pro version on CodeCanyon.


BemRural

Ministra comenta decisão da China de aplicar medidas antidumping contra frango brasileiro

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tomou conhecimento da decisão do Ministério do Comércio da China de aplicar medidas antidumping às exportações brasileiras de frango e informa que participou de todas as etapas do processo de investigação, auxiliando as empresas brasileiras afetadas pela medida. De acordo com o governo chinês, quinze empresas brasileiras, entre elas a BRF e a JBS, fizeram um acordo e não terão de pagar as novas tarifas. 

Durante viagem ao interior do Ceará nesta sexta-feira (15), a ministra Tereza Cristina falou sobre o assunto em entrevista. Ela comparou a medida tomada pelo governo chinês com a recente iniciativa do governo brasileiro de aplicar uma sobretaxa para o leite em pó importado da União Europeia e da Nova Zelândia:

“O Brasil exporta 85% de tudo que a China consome de frango. Então, ela (a China) fez um acordo, porque não se pode fazer cotas. Nós sofremos a mesma coisa do lado de cá com o leite, e a China fez a mesma coisa com o nosso frango lá. O mercado internacional é importantíssimo. Parece uma medida ruim, mas não foi tão ruim assim, porque a China fez um acordo entre privados, conversou com as empresas e, para aquelas que adotassem um determinado preço do produto lá na China, não aplicaria as tarifas.

A negociação estabelece um “compromisso de preço” entre as empresas afetadas e o governo que aplica a medida. As empresas que respeitarem o acordo não se sujeitam à aplicação das novas taxas. O governo brasileiro está atento e vai monitorar a implementação da decisão chinesa de forma a avaliar ações necessárias para defesa dos interesses do setor.


 

Leia mais:  Maior congresso de pesquisa florestal do mundo deverá reunir 3 mil pessoas em Curitiba

Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

BemRural

Mapa lança nova página do Programa de Controle da Raiva dos Herbívoros

Publicado

por

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou nesta segunda-feira (23) nova página do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) para mostrar a importância e a necessidade de controle da enfermidade.

A nova página marca também o Dia Mundial de Luta Contra a Raiva, celebrado no dia 28 de setembro. A data foi instituída em 2007 em homenagem a Louis Pasteur, que desenvolveu a primeira vacina eficaz contra a doença.

A página ficou mais atrativa visualmente com a inserção de imagens e textos explicativos. Pelo site, o usuário pode acessar a página do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), que leva a informações sobre a raiva dos herbívoros.

Outras informações disponíveis são como deve ser feita a notificação dos casos, os endereços dos locais de notificação e um mapa com os endereços e os contatos das Superintendências Federais da Agricultura nos estados e dos serviços veterinários estaduais. São informadas ainda as medidas a serem adotadas em caso de suspeita de raiva e os locais para onde devem ser encaminhadas as amostras para o diagnóstico da doença.

O que é a raiva?

A raiva dos herbívoros é registrada o ano todo no meio rural. É transmitida pelo morcego hematófago, que ataca os animais (bovinos, suínos, equinos, caprinos e ovinos).  Alguns dos sinais mais comuns da doença são paralisia do animal, isolamento (se afasta do rebanho), aumento da sensibilidade, salivação abundante e dificuldade de engolir. 

A raiva em áreas urbanas é transmitida ao homem pela mordedura de cães e gatos infectados por morcegos ou outros animais silvestres. Ambas são letais em praticamente 100% dos casos. 

O que é o programa contra raiva? 

Leia mais:  Cresce número de registros de produtos biológicos para uso agrícola

Os principal objetivo é reduzir a prevalência da doença entre herbívoros domésticos. A linha de trabalho segue o conceito de saúde única, que é a integração entre a saúde humana, a saúde animal, o ambiente e a adoção de políticas públicas efetivas de prevenção e controle de enfermidades nos níveis local, regional, nacional e global, em conjunto com os ministérios da Saúde e do Meio Ambiente.

Outros objetivos são: a vigilância ativa nas áreas de maior risco; investigação dos casos suspeitos em herbívoros domésticos (coelho, porquinho da Índia, chinchila e outros) e morcegos; diagnóstico laboratorial dos casos suspeitos; vacinação dos animais domésticos e monitoramento dos morcegos hematófagos.


Informações à imprensaCoordenação-Geral de Comunicação Social
Janete Lima
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

BemRural

Primavera começa com temperaturas acima da média e pouca chuva, aponta Inmet

Publicado

primavera começou nesta segunda-feira (23), às 4h50, e a previsão é que a estação chegue com temperaturas acima da média climatológica e poucas chuvas na maior parte do país, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Foto: DS

Os termômetros deverão registrar temperaturas de 1°C a 1,5°C acima da média – isso significa ter dias com temperaturas bem altas, e outros com temperaturas mais baixas ou dentro da média, o que na variação entre os três meses chega à elevação prevista, afirma o chefe da previsão do tempo do Inmet, Francisco de Assis Diniz.


Chuva na primavera

A primavera deverá ter menos chuvas do que o normal para a estação, de acordo com Diniz. Em Goiás, parte do Mato Grosso e em Minas Gerais, as chuvas deverão ser irregulares e um pouco abaixo da média climatológica. A estação se estende até o dia 22 de dezembro, quando começa o Verão, à 1h19.

Fim do inverno com recorde de calor

Na segunda-feira (16), Cuiabá chegou a registrar a maior temperatura em 108 anos – foram 42,3°C. Desde 1911 até agora, o último recorde foi de 42,2°C, em 1940.

Fonte: G1

Comentários Facebook
Leia mais:  Governo reduz tarifa de importação de sardinha a zero por um ano
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana