conecte-se conosco


Política Nacional

Metade do País avalia combate à corrupção de Bolsonaro como ruim ou péssimo

Publicado

source
Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Recuperação lenta da economia tem ajudado a diminuir queda da popularidade de Bolsonaro

Metade dos brasileiros avalia o combate à corrupção  do governo do presidente Jair Bolsonaro como ruim ou péssimo, diz pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo (8). Em agosto deste ano, 44% da população tinha a mesma opinião. Os que dizem que o combate é bom ou ótimo caíram de 34%, em agosto, para 29% agora, em dezembro. A avaliação regular oscilou negativamente de 20% para 19% no mesmo período e 2% não souberam responder.

A recuperação lenta da economia, no entanto, tem ajudado o presidente a não perder tanto de sua popularidade. Os que aprovam a economia do governo do presidente passaram de 20% para 25%, enquanto ruim ou péssimo oscilou de 43% para 44%, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais. A parcela que avalia a economia como regular caiu de 35% para 29% e 2% também não souberam responder.

Quando o assunto é o combate ao desemprego, a notícia também é favorável para o Planalto. Os que avaliam a atuação do governo na área como ruim ou péssima diminuíram de 65% para 59%. A avaliação de bom e regular oscilou positivamente de 13% para 16%, enquanto regular foi de 21% para 24%. Parcela de 1% dos entrevistados não soube responder.


Leia também: 80% dos brasileiros pelo menos desconfiam de falas de Bolsonaro, diz Datafolha

Leia mais:  Juízes que vendiam sentenças até por R$ 750 são condenados por Conselho Nacional

O Datafolha entrevistou 2.948 pessoas em 176 municípios do país na quinta (5) e na sexta (6). As entrevistas foram feitas pessoalmente, em locais de grande circulação. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais e o indíce é de 95%. Isso significa que os resultados refletem a realidade em 95% dos casos, considerando a margem de erro.

Principais problemas

A pesquisa ainda perguntou aos entrevistados quais áreas do governo eles consideram que tem mais problemas. Em primeiro lugar aparece a área da Saúde, citada por 19% deles. Educação vem em segundo lugar, com 14%, que é seguida por Segurança (13%), Desemprego (13%), Corrupção (8%) e Economia (8%).

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

Bolsonaro ataca Witzel por gravar conversa com Mourão: “não é usual fazer isso”

Publicado

por

source
Bolsonaro arrow-options
Alan Santos / PR

O presidente Jair Bolsonaro durante visita ao Templo de Akshardham

O presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta segunda-feira (27), o governador do Rio, Wilson Witzel , pelo telefonema feito ao vice-presidente Hamilton Mourão para pedir apoio ao envio de água potável às áreas atingidas pelas chuvas no Norte do estado. A conversa foi filmada por um assessor de Witzel e publicada na conta do governador no Twitter.

Leia também: Mesmo com suspensão, Pará e São Paulo manterão mecanismo do juiz de garantias

“Pelas imagens, ele está no seu carro e um assessor filma. E ele liga para o presidente em exercício. Acho que não é usual alguém fazer isso. Eu não gostaria que fizessem comigo qual seja o assunto. O que se trata por telefone tem que ser reservado”, disse Bolsonaro .

A crítica foi feita no último dia da visita de Bolsonaro à Índia , em que o presidente participou de um encontro com empresários dos dois países. Em seu discurso, o presidente lembrou sua campanha, afirmando que “fizeram de tudo para me tirar de combate”, e que seu governo está recuperando a confiança do mundo no Brasil . Em seguida, em uma breve conversa com jornalistas, ele trocou a palavra confiança por “consciência”.

Leia mais:  Juiz nega recurso de Lulinha e mantém investigação sobre ele em Curitiba

Leia também: Chuvas causam inundações e deixam seis mil desabrigados no interior do Rio

“O Brasil recupera a sua consciência no mundo, e um futuro promissor nos aguarda. Estou muito feliz com essa passagem por aqui, muito honrado de ser convidado para participar da solenidade da data da República e nós estamos agora praticamente encerrando a nossa missão aqui na Índia e voltando agora para o Brasil com boas notícias”, disse Bolsonaro .

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

“Ele esqueceu a ética e a moral”, diz Mourão sobre Witzel após conversa gravada

Publicado

por

source
Mourão arrow-options
Romério Cunha/ VPR

Questionado sobre vídeo, Mourão se mostrou indignado com postura do governador do Rio

O presidente em exercício Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel , não tem “ética” e “moral”.  A declaração foi feita quando Mourão foi questionado sobre um vídeo que Witzel fez de uma conversa entre ele e o presidente em exercício, para pedir apoio ao envio de água potável às áreas atingidas pelas chuvas no Norte e Noroeste do estado. A conversa foi filmada por um assessor de Witzel e publicada na conta do governador no Twitter na noite de domingo (26).

Leia também: Avião da Ariana Airlines cai em província do Afeganistão; empresa nega

“Em relação ao governador Wilson Witzel , ele diz que foi fuzileiro naval. Eu acredito que ele esqueceu a ética e a moral que caracterizam as Forças Armadas quando saiu do corpo de fuzileiros navais. Nada mais tenho a dizer a respeito”, disse Mourão , ao chegar na Vice-Presidência.

Governador divulgou conversa em sua conta no Twitter

O vídeo já havia sido criticado pelo presidente Jair Bolsonaro, que, durante viagem a Índia, disse que “não é usual alguém fazer isso”:

“Pelas imagens, ele está no seu carro e um assessor filma. E ele liga para o presidente em exercício. Acho que não é usual alguém fazer isso. Eu não gostaria que fizessem comigo qual seja o assunto. O que se trata por telefone tem que ser reservado”, disse Bolsonaro.

Leia mais:  Carlos toma remédios para controlar humor e preocupa Bolsonaro, diz jornalista

Confira a conversa entre Witzel e Mourão

Senhor presidente, boa tarde!

Boa tarde, governador, tudo bem?

Tudo bem! Presidente, estou aqui em Porciúncula, uma região muito afetada, Porciúncula, a região de Itaperuna…

Estamos cientes, estamos cientes, governador.

O maior problema, agora, presidente, é água. Estou com uma grande quantidade de água lá no Rio de Janeiro e precisava trazer para cá. E, realmente, a população aqui de Porciúncula é de 15 mil pessoas sem água. Estou indo para uma outra região daqui, Bom Jesus (de Itabapoana), também sem água porque as bombas da Cedae estão submersas, está a metade da cidade submersa. Nós já pedimos para o Ministério da Defesa para fazer o protocolo e aí estou passando para o senhor essa nossa necessidade.


Leia também: Mesmo com suspensão, Pará e São Paulo manterão mecanismo do juiz de garantias

Vou falar com o ministro Fernando para intensificar isso aí. O ministro Canuto está lá em Minas Gerais e no Espírito Santo. Aí, qualquer coisa a gente apoia mais alguma coisa aí no Rio de Janeiro, governador. Fica tranquilo.

Obrigado, presidente! Vou avisar os prefeitos que estão aqui comigo. Vou comunicar a eles. Obrigado! Agradeço o apoio do senhor e da União! 

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana