conecte-se conosco



Nacional

MEC quer enviar ao Congresso texto do programa Future-se em outubro

Publicado

source
O ministro da Educação Abraham Weintraub apresenta texto do programa Future-se arrow-options
Luis Fortes/MEC – 17.7.19
Programa Future-se foi apresentado pelo chefe do MEC, Abraham Weintraub, no dia 17 de julho

O Ministério da Educação (MEC) pretende enviar ao Congresso Nacional, no início de outubro, o texto que definirá o programa Future-se para que seja analisado pelos parlamentares, de acordo com informações do secretário de Educação Superior da pasta, Arnaldo Barbosa. O governo ainda vai definir se apresentará um projeto de lei ou uma medida provisória (MP).

Leia também: Frota diz que Carlos Bolsonaro age como se fosse o presidente e que deveria se calar

“Essa será uma decisão especialmente do Palácio do Planalto e depende do grau de consenso que conseguiremos com os reitores. É difícil falar agora, mas não há dúvida que é urgente ter uma nova estratégia de financiamento para as universidades”, diz Barbosa, que participou nessa terça-feira (10) do programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

Um projeto de lei precisa ser aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente para começar a vigorar. Já a MP passa a valer assim que é publicada pelo presidente da República no Diário Oficial da União, mas precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias para ser transformada definitivamente em lei.

De acordo com Barbosa, pelo menos 16 dos 63 reitores de universidades federais têm interesse em aderir ao Future-se. “O que é uma adesão muito forte”, diz. Ele pondera, no entanto, que ainda se deve fazer uma discussão. “Não se deve falar em adesão ou rejeição porque ainda tem que passar pelo Congresso Nacional”.

Leia mais:  Bolsonaro diz que não ofendeu primeira-dama Brigitte Macron

Apresentado pelo MEC em julho, o Future-se, entre outras estratégias, cria um fundo para financiar as universidades federais. A intenção é atrair também recursos privados, facilitar processos licitatórios e, com isso, financiar pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização nas instituições de ensino. Trata-se de um recurso extra. As universidades seguirão, segundo a pasta, contando com o orçamento público.

Leia também: Jovem que teve “ladrão e vacilão” tatuado na testa passará 4 anos na prisão

O texto do programa passou por consulta pública e recebeu mais de 20 mil contribuições. Segundo Barbosa, o MEC trabalha agora com a análise e organização das sugestões.

Ele adianta que a pasta pretende tornar mais claros alguns pontos no texto inicial, como o trecho que define a atuação de organizações sociais (OSs) e de fundações de apoio nas universidades. “Vamos deixar mais claro na proposta de alteração legislativa que as atividades que as organizações sociais e as fundações de apoio desempenharão são frutos do que o próprio conselho superior [das universidades] determinarem. Então, não há de se falar em quebra de autonomia a partir do momento em que quem manda nas universidades é o conselho superior”, disse.

O secretário acrescentou que “o serviço prestado por essas organizações é escolhido pelos reitores”. A atuação das OSs foi um ponto que gerou dúvidas entre os reitores após o anúncio do programa.

O Future-se, de acordo com Barbosa, também vai permitir que universidades e empresas juniores, ligadas às instituições, possam ser dispensadas de licitação em contratos com a administração pública federal, estadual e municipal. “Será mais uma forma de as universidades buscarem recursos adicionais, inclusive prestando serviço de consultoria para outros ministérios”, destacou.

Leia mais:  Casal deixa carta reclamando de preço de tratamento médico e se suicida nos EUA

Leia também: Turistas são roubados durante transmissão ao vivo em Praia Grande; assista


O programa deverá ainda premiar, com recursos adicionais, as universidades que apresentarem melhorias em índices de governança, de empreendedorismo, de pesquisa, inovação e de internacionalização.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Promotora de São Paulo diz ter sido vítima de homofobia em julgamento

Publicado

por

source
Cláudia Mac Dowell arrow-options
Revista Vaidapé
Cláudia Mac Dowell teria sido vítima de homofobia por parte de advogado que defendia PMs

Uma promotora de Justiça de São Paulo diz ter sido vítima de homofobia durante um julgamento de dois policiais militares que plantaram armas perto de suspeitos de roubo depois de terem matado eles. De acordo com o jornal Folha de São Paulo , Celso Vendramini afirmou que o advogado de defesa dos acusados disse que é fã do presidente russo Vladimir Putin , que defende ideias contra a população LGBT , defendeu a família tradicional e acusou a comunidade de inserir crucifixos na vagina e no ânus durante manifestações.

Segundo a promotora, Vendramini trazia discussões que não tinham relação com o caso em julgamento. “Não havia vítima ou testemunha homossexual. Ele falou isso porque é só fazer uma busca na internet que é possível saber que sou assumidamente lésbica”, disse. 

Em uma das primeiras menções à promotora, Vendramini perguntou se ela era casada. “Não conheço a doutora promotora. Não sei se é casada ou não mas vejo uma aliança na mão esquerda dela, deve ser casada.”

Leia também: David Miranda rebate Eduardo sobre homofobia: “Todo dia os nossos são mortos”

O advogado também disse contra ditaduras, criticou comunistas e declarou ser fã de Putin. “Não tem passeata gay na Rússia, não”, disse ao se referir ao país como “uma democracia séria”. “Vai ser viado em Cuba, para ver o que acontece. Vai ser gay na Rússia para ver o que acontece.”

Leia mais:  Juíza que soltou bandido com fuzil em audiência de custódia deixa vara criminal

Vendramini ainda mostrou indignação “com quem faz filme dizendo que Jesus é homossexual”. Ele classificou as produções como ofensa e criticou as manifestações LGBT na avenida Paulista.

Leia também: “Me chamar de ‘viado’ não é ofensa. Tomar 4 tiros, sim”, diz vítima de homofobia

“Depois acham ruim quando proíbem suas manifestações”, disse. “Aí vai uma mulher na Paulista enfiar crucifixo com a imagem de Jesus na vagina, isso é normal? Vão lá os gays enfiar crucifixos no ânus, isso é normal? Tenho que achar isso normal? Será que ser hétero hoje é pecado?”


O caso dos dois policiais ocorreu em julho de 2017 em Brasilândia, na zona norte da capital e eles foram absolvidos na sessão do 2º Tribunal do Júri, na Barra Funda, na zona oeste.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ex-governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus vende bolos na web

Publicado

por

source
Bolo feito pela ex-governadora Rosinha Matheus arrow-options
Reprodução/Facebook Sabor e Arte
Bolo feito pela ex-governadora Rosinha Matheus

Rosinha Matheus anunciou, em uma publicação em seu perfil no Facebook, que está vendendo bolos e também aceita encomendas de doces gourmet e chocotones de Natal. Na publicação, feita pela ex-governadora nesta quarta-feira (13), ela disse que fazer doces “é uma paixão antiga e agora, passa a se dedicar a atividade profissionalmente”.

Leia também: Witzel diz que violência no Rio está no patamar de ‘Nova York, Paris e Madrid’

Para as vendas, Rosinha criou a página “Sabor e Arte”, onde publica as fotos das sobremesas feitas por ela. Já as encomendas, podem ser realizadas através do WhatsApp. O anúncio da ex-governadora recebeu diversos comentários de possíveis clientes.

$” target=”_blank” data-mce-href=”https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2019-11-13/flavio-bolsonaro-rebate-witzel-e-ataca-traidor-mentiroso-contumaz.html $”Leia também: Flávio Bolsonaro rebate Witzel e ataca: “Traidor, mentiroso contumaz”


Rosinha Matheus e o seu marido, o também ex-governador do Rio Anthony Garotinho, foram presos em 2017 no âmbito da Operação Caixa D’Água, que investiga crimes eleitorais. Pouco depois ela conseguiu um habeas corpus, mas voltou a ser presa no dia 29 de outubro deste ano, acusada de participação em um esquema de superfaturamento de contratos entre a Prefeitura de Campos e a Odebrecht. O  casal foi solto novamente e aguarda julgamento em liberdade.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Leia mais:  Casal deixa carta reclamando de preço de tratamento médico e se suicida nos EUA
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana