conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Entretenimento

Mari Antunes celebra 20 anos do Babado Novo: “Nunca quis ser Claudia”

Publicado


source
Mari Antunes, do Babado Novo
Divulgação/Erica Cotta

Mari Antunes, do Babado Novo


“Vai começar meu bloco… Vamos nessa! Vamos nessa!”. Salvador (BA) completa 473 anos nesta terça-feira (29) e a terra do Axé Music vai receber outra celebração: a banda Babado Novo, comandada pela cantora Mari Antunes, vai gravar um DVD em comemoração aos 20 anos de história da Babado, de frente para a Baía de Todos os Santos, com convidados de todo o Brasil.

Há 11 anos na banda, Mari Antunes fez um balanço exclusivo da carreira para o iG Gente. Mari, que antes atuava como enfermeira e vocalista da extinta banda Sarypa, ganhou projeção nacional no Babado Novo, que também projetou Claudia Leitte aos holofotes de todo o Brasil. A baiana, de Itabuna, garante que nunca se preocupou com as comparações entre ela e Claudinha.

“São onze anos de Babado Novo. É muito natural que as pessoas façam comparações. Quando assumi a banda, não pensei na responsabilidade do processo. Isso me ajudou, mas não que eu fosse isenta. A banda já era muito bem estruturada, com história, e com uma identidade firmada com a presença de Claudinha. Era um desafio muito grande, mas eu não encarei essa responsabilidade. Isso me ajudou hoje. Eu estava aproveitando a oportunidade e só conseguia ver flores. Eu vim do sul da Bahia, sempre fui fã da banda. Lembro que a todo momento eu nunca quis ser ou tentar parecer com algo, ou alguém”, avalia Mari.


A cantora explica que a alternativa às comparações foi apresentar a própria identidade para cativar os fãs, chamados “Grudinhos”. Logo no início da trajetória no Babado Novo, Mari Antunes misturou o Axé com Arrochadeira e atraiu novos olhares, ainda que desconfiados.


“No começo, existiu a comparação. Duas mulheres, no mesmo lugar, a mesma história. Mas em pouco tempo as pessoas entenderam que eram personalidades bem diferentes. Eu imprimi a identidade da Mari, que tinha o lance da dança, da arrochadeira. Quem comprasse a ideia e gostasse, viria comigo. Caso não gostasse, poderia acompanhar diversos outros artistas e estilos. Minha trajetória é leve. Nunca quis ser [Claudia Leitte], nem ela e nem ninguém. Ia ser uma farsa. Sempre prezei em ser a Mari. Eu não inventei, não criei personagem. Isso é muito verdadeiro”, conta Mari.

Convidados

Responsável por ser a voz dos 20 anos de história do Babado Novo, Mari Antunes cuidou de cada detalhe da gravação do registro audiovisual e escolheu os convidados a dedo. Claudia, por exemplo, foi a primeira pessoa a ser lembrada por Mari para o DVD, mas não poderá estar presente devido a agenda. “A gente trocou uma ideia por telefone e ela vai estar conosco de coração. A gente tem uma relação de muito carinho e abertura. Conversamos sobre Bella [filha de Claudia] e tudo. É de muito carinho e muito saudável”, comemora Mari.

Convidado é o que não falta para celebrar os 20 anos de Babado Novo. Mari vai receber Gabi Martins, Durval Lelys, Gabily, Felipe Pezzoni (Banda EVA) e MC Dany no palco do Museu de Arte Moderna da Bahia. “A gente vai passear pela história do Babado. Queria colocar tudo. Mas nós também vamos com o atual. Tem a raiz, tem a história e a novidade. Serão quatro inéditas e 18 faixas. Os feats são inéditos”, entrega Mari.

Leia Também

A baiana prepara um feat especial com Gabi Martins e MC Danny, que deve ser a primeira música de trabalho do projeto. “‘Tu gosta do meu toma toma’ é o nome da música. Ela é uma mistura do Babado com o que Gabi e Danny vem fazendo. É um ‘tri-feat’. Isso já é novo na história do Babado e resolvemos sair da caixinha”, explica. Para os amantes do Axé raiz, Mari tranquiliza: vem axezão por aí. “Com Pezzoni e Durval vamos fazer Axé Music raiz! Durval é aquele axé de arrepiar a espinha. Felipe tem o mesmo processo. A música é uma pedrada. Quando eu ouvi a composição de Alexandre Peixe, chamada ‘Dendê’, pensei imediatamente em Felipe. A gente já vinha ensaiando isso, somos irmãos”.


O iG Gente teve acesso ao setlist do DVD. Clássicos da história do Babado Novo também estão confirmados, como “Bola de Sabão”, “Descidinha”, “Amor Perfeito”, “Colou, bateu, ficou”, “Namorar”, “15 mil por mês”, “Uau”, “Fulano in Sala” e um pout-pourri com “Eu Fico” e “Me Chama de Amor'”. 


Mari também vai misturar Axé com Funk. A carioca Gabily desembarca em Salvador para a gravação da inédita “‘Rastando’ o short no chão”. “É uma música que gravei no Hitmaker, no Rio de Janeiro. Mistura o pop com a Bahia e quando Gabily ouviu, adorou”, recorda.

Carreira solo vem aí?

Mari Antunes, hoje, é empresariada por Manoel Castro. Após 11 anos de relação com os empresários, Mari traça uma história diferente do que se vê no mercado baiano. Nos últimos anos, diversos artistas baianos deixaram as respectivas bandas e se aventuraram em carreira solo. Alinne Rosa, Tuca Fernandes, Tomate, Bell Marques, Durval e Saulo Fernandes são alguns exemplos. Porém, Mari acredita que se houver uma mudança será em comum acordo com o empresário e dentro dos projetos que os dois traçam juntos.


“Penso que se acontecer uma carreira solo será naturalmente. Meu empresário até cogitou possibilidades, mas não de partir para carreira solo. A gente vem trabalhando ‘Mari e Babado Novo’, mas isso acontece de uma forma muito natural nos shows. Não parei para pensar nisso”, revela. “Com o Babado, acredito que tenho mais três ou quatro anos de contrato. Mas não me apego a isso, nós temos uma relação ótima. Se a gente decidir que vai virar outra coisa, não tem contrato certo. A nossa conversa é muito transparante. São 11 anos de confiança”, pontua.

Entre tantos atritos observados no mercado musical, Mari Antunes foge de polêmicas e mostra gratidão à banda. A cantora confessa ao iG que não se arrepende de nada ao longo dos onze anos de história na Babado Novo. “Tudo caminhou da forma correta. Não me arrependo de nada. Fazendo uma retrospectiva de tudo, entendo que as coisas aconteceram no tempo certo. Só tenho gratidão. Sou privilegiada de fazer parte dessa história de grande sucesso. Amadureci muito no Babado. Me levou para lugares que não imaginei e me fez realizar muitos sonhos”, comenta.

Finalizando o balanço, Mari Antunes fala com os pés no chão sobre o sucesso. A baiana de Itabuna se mostra realizada, principalmente por não negociar a paz. “Em toda a minha história, eu nunca negociei os meus princípios. Nunca fui forçada a fazer algo que fosse me ferir. Não vou passar por cima de ninguém para conseguir o que quero. Eu quero gozar cada dia do que estou construindo e vivendo. Sou feliz e muito vitoriosa quando olho para trás e lembro do sonho de ser cantora. Eu vivo disso”, finaliza.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook

Entretenimento

Zezé Di Camargo e Luciano encerram comemorações pelos 46 anos de Tangará da Serra

Publicado

Foto: Assessoria de Imprensa

Fechando as celebrações do 46º aniversário de emancipação político/administrativa de Tangará da Serra, uma apresentação da dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano neste domingo, 15, lotou o Módulo Esportivo, palco onde os artistas cantaram seus sucessos e encantaram o público.

Com entrada franca, o show faz parte do projeto ‘Consertos Ihara’ que leva para o interior do país o melhor da música nacional. O evento estava programado para acontecer em 2020, mas foi adiado devido à pandemia da Covid-19.

No palco com a dupla sertaneja, se apresentou a Orquestra Contemporânea Innovare. “O Concertos Ihara vem cumprir o objetivo de interiorizar a cultura e valorizar as pessoas que ajudam, dia após dia, a construir a história desse imenso país”, frisou a organização do evento que contou com o apoio do Município.

Foto: Assessoria de Imprensa

“São projetos sociais e culturais como esse que reforçam que, além de levarmos soluções inovadoras para a agricultura brasileira, também buscamos fortalecer nosso comprometimento com as comunidades onde atuamos”, afirma Gabriel Saul, Gerente de Comunicação da Ihara.

O projeto é enquadrado na Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Ihara, apoio da Prefeitura e realização do Ministério do Turismo.

Continue lendo

Entretenimento

Xuxa cita dupla personalidade de Pelé e momento quente com Senna

Publicado

por


source
Xuxa Meneghel já namorou Pelé e Ayrton Senna
Reprodução/Divulgação

Xuxa Meneghel já namorou Pelé e Ayrton Senna

Xuxa vive uma história de amor madura com o ator e cantor Junno Andrade. A apresentadora, de 59 anos, diz que seus relacionamentos a levaram à forma com ela encara, atualmente, a vida a dois. Alguns deles acompanhados de perto pelos olhos atentos do público, como Pelé e Ayrton Senna. Este último, um relacionamento intenso, mas que não durou muito tempo. Nas palavras da apresentadora, ambos tinham uma conexão que “era difícil para as outras pessoas entenderem”.

Entre  no canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro das principais notícias dos famosos e da TV

Xuxa revelou até o que ocorria na intimidade entre ela e o piloto. A apresentadora narrou, por exemplo, um momento quente do casal quando pediu para que ele usasse um capacete.

“Na hora em que a gente foi ficar junto, ele começou a puxar o meu cabelo, como se fosse uma chuquinha, para cima. Aí eu olhei para ele e disse: ‘Ah, você quer ficar com a Xuxa da televisão’… Não tem problema, boto a bota, chuquinha, mas você coloca o capacete?”, disse ela ao programa “Papagaio Falante”, no Youtube.

Ainda segundo ela, isso aconteceu após ela narrar para Beco, apelido pelo qual chamava Ayrton, um episódio de um relacionamento anterior em que, na hora do rala e rola, o parceiro pediu para que ela cantasse “Quem quer pão?”.

Leia Também

Xuxa falou ainda sobre seu relacionamento com Pelé. Disse que o ex-jogador foi seu “primeiro amor, um grande amor”. Eles se conheceram durante um ensaio fotográfico para uma capa de revista. Ficaram juntos por cerca de seis anos. A apresentadora, porém, destacou que não foi um período “fácil” e citou que Pelé tinha “dupla personalidade”.

“Foi dos17 aos 23. Ele tem dupla personalidade, fala na terceira pessoa. Eu me apaixonei pelo Dico (apelido), que era apaixonado, era familia”, disse Xuxa sobre ele na intimidade.

Diferente da forma que agia quando o astro do futebol entrava em cena: “Às vezes chegava com camisa suja de batom. Dizia: ‘essas mulheres ficam querendo agarrar o Pelé’. Eu era muito nova. Não foi fácil.”

No início do relacionamento, Xuxa contou que Pelé levou as modelos que participaram do ensaio para uma boate. Na hora da despedida, ele deu um beijo “quase na boca” da apresentadora.

“Meu coração bateu mais forte. (Posteriormente) mandava flores para minha mãe. Conversava com o meu pai”, completa ela, que, no início do relacionamento, só saía com Pelé depois da autorização dos pais.

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana