conecte-se conosco


Esportes

Maradona não consegue responder repórter e vídeo de entrevista viraliza. Assista

Publicado


Em entrevista pós-jogo Maradona não consegue responder o que acha do nível do Campeonato Mexicano
Reprodução
Em entrevista pós-jogo Maradona não consegue responder o que acha do nível do Campeonato Mexicano

Treinador do Dorados de Sinaloa, time mexicano que disputa a segunda divisão do país, o argentino Diego Maradona protagonizou um momento cômico neste fim de semana.

Leia também: Cidade italiana se oferece para sedir a final da Copa Libertadores 2018


Após a derrota do seu time para o Fútbal Club Juárez, por 1 a 0, Maradona
foi parado por repórteres do canal ESPN para uma entrevista. Um dos jornalistas fez a seguinte pergunta para o ex-jogador “Vivendo no México, você está podendo ver mais de perto o futebol daqui. O que pensa do nível do Campeonato?”.

Ao direcionar o microfone para que Maradona pudesse responder, nenhuma frase foi ouvida. Apenas grunhidos e um aparente desconforto do argentino em não saber o que responder. Os repórteres pareceram não entender a situação.

A reação confusa de Maradona viralizou nas redes sociais. Assista ao vídeo abaixo:

Diego Maradona tem chamado atenção no México por seu jeito irreverente. No início do mês de outubro, o treinador de 58 anos foi flagrado dançando no vestiário da equipe para comemorar uma vitória.

Desde que assumiu o comando da equipe, em 07 de setembro, o time venceu 10 partidas, perdeu três e empatou duas. Maradona conseguiu classificar o Dorados de Sinaloa
para a final do Ascenso MX – Apertura.

Leia mais:  NFL homenageia Stan Lee com capacetes inspirados em super-heróis

O primeiro jogo contra o Atlético San Luis será na próxima quarta-feira (ainda sem horário definido) e a volta no sábado dia 01 de dezembro.

Maradona comentou sobre confusão na final da Libertadores


Torcida do River Plate e a polícia de Buenos Aires entraram em confronto antes da final da Libertadores
Reprodução
Torcida do River Plate e a polícia de Buenos Aires entraram em confronto antes da final da Libertadores

Ídolo e torcedor do Boca Juniors, o argentino comentou sobre a confusão do último sábado que terminou com o adiamento da final da Copa Libertadores

e alguns jogadores da equipe xeneize machucados.

“O que aconteceu no meu país é lamentável, está tudo fora de órbita. Na Argentina, hoje, é um terror ir para o campo. Lamentavelmente, tenho que dizer que sou muito argentino, que odeio a violência e que merecemos o que temos”, disparou.

O ex-jogador aproveitou para criticar o governo. “A presidência que o Macri está fazendo é a pior de todos os tempos. Nós, argentinos, merecemos o que temos porque fomos nós que votamos. Ele (Macri) foi filho de milionários por toda a vida, por que vai se importar com uma criança de cinco anos em coma?”, disse.

Leia também:  Torcedora do River que amarrou sinalizadores em criança é presa na Argentina

Entre os anos de 1995 e 2007, o atual presidente argentino Mauricio Macri presidiu o Boca Juniors. Diego Maradona
teve sua segunda passagem pelo clube de 1995 a 1997, encerrando sua carreira como jogador na La Bombonera.

Leia mais:  Mercado da bola 2019: confira as contratações e perdas dos clubes do Brasileirão

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Torcida do Corinthians pede demissão de Rosenberg após declaração machista

Publicado

por


Rosenberg tem sido alvo de campanha por sua demissão após declaração polêmica
Reprodução
Rosenberg tem sido alvo de campanha por sua demissão após declaração polêmica

Após uma declaração machista ao canal de esportes ESPN, a torcida do Corinthians se mobilizou nesta sexta-feira (22) numa campanha pedindo a demissão do diretor de marketing da equipe, Luis Paulo Rosenberg.

Leia também:  CBF vai arcar com o VAR no Brasileirão e quer volta da Supercopa do Brasil


“O apelo da marca Corinthians é tão grande que temos quatro grandes grupos interessados em vir. É mais ou menos … Eles se sentem na situação de estar vendo a esposa perfeita, com dotes culinários, formada com MBA no exterior, uma mãe de filhos maravilhosos, mas parece que tem um teste de Aids positivo. Como é que eu encaixo a camisinha é o grande desafio”, foi a declaração que deu início a campanha
.

A frase não caiu bem com a torcida, que subiu a hastag #ForaRosenberg. Dentre os argumentos para a demissão do diretor, muitas mulheres torcedoras questionam o clube que não é possível apoiar a campanha #RespeitaAsMinas e manter alguém que fez uma analogia machista num cargo importante para a instituição.

Em entrevista ao UOL,  Rosenberg
 tentou se explicar. “O sentido [da comparação] é que você tem uma marca de grande reverberação (o Corinthians), só o que as empresas veem (no cenário do futebol brasileiro e sul-americano) deixam elas assustadas”.

Leia mais:  Ex-presidente do Sporting é preso suspeito de planejar agressão a jogadores

“O evento que aconteceu no Rio (confusão antes da final da Taça Guanabara, entre Vasco e Fluminense), a final da última Libertadores, essa  notificação da Conmebol,
esse ambiente de imprevisibilidade torna mais difícil fazer uma empresa investir por 20 anos”, concluiu.

Além da campanha de torcedores na internet, de acordo com o GloboEsporte.com, membros do conselho do Corinthians
enviaram uma carta ao presidente Andrés Sanchez em protesto contra a declaração de Rosenberg.

“Que o senhor, presidente, não leve em conta o impressionante currículo de fracassos do atual diretor de marketing em todas as empresas nas quais trabalhou e duas severas punições impostas a ele, do Banco Centra e CVM da Bolsa de Valores São Paulo, é difícil de entender, mas a opção é sua”, diz a carta assinada por 52 conselheiros.

Leia também:  Fifa pode rebaixar o Palmeiras para a Série B por causa de Del Nero? Entenda

Luis Paulo Rosenberg estava no programa para divulgar a atual campanha
do clube, o Corinthianismo, uma espécie de religião ligada ao clube e que foi lançada na semana passada.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Seleção masculina de basquete se classifica para Mundial da China

Publicado

por


Seleção masculina de basquete se classificou para o Mundial de 2019 que será disputado na China entre agosto e setembro
CBB
Seleção masculina de basquete se classificou para o Mundial de 2019 que será disputado na China entre agosto e setembro

Nesta quinta-feira (21), a seleção masculina de basquete do Brasil se classificou para o Campeonato Mundial da modalidade que será disputado entre os dias 31 de agosto e 15 de setembro na China.

Leia também:  CBF vai bancar o VAR no Brasileirão e anuncia volta da Supercopa do Brasil


A vaga para o Mundial
veio após a equipe de Aleksandar Petrovic vencer a seleção das Ilhas Virgens por 104 a 80. O Brasil é o único país, ao lado dos Estados Unidos, a participar de todas as edições da Copa do Mundo de basquete desde sua criação, em 1950.

O time Brasil estava no Grupo F das eliminatórias da América juntamente com Canadá, Venezuela, República Dominicana, Chile e Ilhas Virgens. As duas primeiras seleções também estão classificadas para o Mundial.

Argentina e Estados Unidos são as outras equipes já garantidas. O Uruguai está próximo da classificação, disputando vaga com Porto Rico.

Leia também:  Evento de Seiwakai em SP prega união e respeito entre os praticantes

O ala-pivô Rafa Mineiro comentou sobre a classificação da seleção. “A gente queria ter se classificado um pouco melhor [ficaram em terceiro no grupo], mas o importante é estarmos classificados. Agora vamos ter mais tempo de preparação para o Mundial e esperamos chegar lá bem melhor”.

Leia mais:  Presidente da Fifa pede ‘ações concretas’ contra racismo após caso com Koulibaly

O técnico Petrovic fez questão de elogiar o grupo do Brasil
pelo feito. “Quero dar os parabéns a todos os jogadores pela classificação. Para mim, o mais importante é que depois de um ano já temos dois ou três jogadores jovens que já podem participar em nível internacional, como o Yago, Didi e, agora, Alexey”, disse ao site da CBB.

A seleção brasileira masculina
de basquete venceu o Mundial em duas oportunidades. Em 1959, em disputa com os Estados Unidos e em 1963, contra a Iugoslávia. Em 1970 foi a última vez que o Brasil chegou na final do Campeonato e perdeu justamente para a seleção da Iugoslávia.

Leia também:  Comissário da NBA apresenta ‘camisa do futuro’ antes do All-Star Game; veja

O Brasil ainda disputa um jogo da fase qualificatória. Na próxima segunda-feira, no Palacio de Los Deportes, em Santo Domingo, a equipe enfrenta a seleção da República Dominicana, que não conseguiu a classificação para o Mundial.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana