conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

BemRural

Mapa promove ações na Semana Mundial de Conscientização do Uso Racional de Antibióticos 2018

Publicado

A resistência aos antimicrobianos no ser humano, agravada pelo uso incorreto e indiscriminado desses produtos, poderá causar 10 milhões de mortes até 2050, com gastos de US$ 100 trilhões, conforme projeções do governo britânico, se nada for feito para enfrentar o problema. Por isto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) promovem, de 12 a 18 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização do Uso Racional de Antibióticos 2018. As ações do Brasil foram discutidas nessa segunda-feira (12), em evento organizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), envolvendo representantes do Ministério da Saúde (MS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e Aliança para o Uso Responsável de Antimicrobianos.

Durante esta semana, o Mapa publicará informes da OIE alertando sobre a resistência aos antimicrobianos e o uso prudente e responsável de antibióticos. O slogan da OIE neste ano é “Precisamos de você – use antimicrobianos com cuidado”. As principais recomendações da OIE em relação aos antimicrobianos são: fortalecer a supervisão do uso por médicos veterinários; prover regulamentação e governança efetivas; promover o uso responsável e prudente; elaborar recomendações para o uso de antimicrobianos criticamente importantes; realizar avaliação de risco para o uso de antimicrobianos como promotores de crescimento e reduzir o uso não terapêutico.

Em maio de 2018, o Ministério publicou o Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária, o PAN-BR AGRO, com duração inicial de cinco anos, com diversas atividades previstas para estimular o uso racional de antibióticos em animais. Segundo a coordenadora de Programas Especiais do Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP), Suzana Bresslau, “o Mapa buscará estratégias para reverter o quadro da resistência antimicrobiana. Os objetivos do Plano são melhorar a conscientização e a compreensão a respeito da resistência aos antimicrobianos; fortalecer os conhecimentos e a base científica por meio da vigilância e pesquisa; reduzir a incidência de infecções com medidas eficazes de higiene e prevenção de infecções; otimizar o uso de antimicrobianos e preparar argumentos econômicos voltados ao investimento sustentável.

A chefe de Divisão de Bem-estar Animal e Equideocultura da Coordenação de Boas Práticas e Bem-estar Animal, Lizie Buss, explicou que “manter os animais saudáveis é responsabilidade de todos os produtores rurais e tutores de animais de estimação, portanto é necessário adotar boas práticas para elevar o grau de bem-estar dos animais, minimizando o uso de medicamentos em geral, especialmente os antibióticos”. “Os médicos veterinários e indústrias farmacêuticas devem recomendar os produtos corretos, somente quando necessário, orientando claramente sobre o tempo de tratamento, a dosagem e via de administração dos produtos. Os comerciantes, por sua vez, devem vender antibióticos apenas mediante apresentação de receita do médico veterinário, orientando os clientes quanto aos cuidados com armazenagem e descarte destes medicamentos”, completa Lizie Buss.

Mais informações à Imprensa
Coordenação Geral de Comunicação Social
Janete Pires
[email protected]

Comentários Facebook

BemRural

Após “luta” de 1h30, jaú de 150 kg é pescado e solto novamente no rio em Tangará

Publicado

Foto: G1

Uma “luta” travada entre pescador e peixe levou cerca de uma hora e meia. Mas não era qualquer peixe. O animal em questão trata-se de um jaú que pesa cerca de 150 quilos. Essa história, que não é conversa de pescador, aconteceu em Tangará da Serra no rio Sepotuba e foi destaque no noticiário de Mato Grosso.

O empresário Lucas Torrente e seus amigos é que pescaram o jaú de 150 kg. Entre fisgar o bicho e levá-lo ate um barranco, se passaram uma hora e meia. Depois de toda essa peleia, o peixão foi solto e voltou para as águas do Sepotuba.

De acordo com o biólogo da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Valdo Troy, em entrevista concedida ao portal G1, um peixe deste peso é uma exceção e tem um papel essencial, que é controlar a população de peixes.

“Seria humanamente impossível brigar sozinho com um peixe daquele tamanho. Foi essencial a experiência junto com meus parceiros, porque o jaú é um peixe muito forte”, disse Lucas, que fisgou o bicho, ao portal. “Ele passava tranquilamente uns 150 kg. Se a gente submetesse ele a uma balança, poderia machucá-lo. Então, nós o soltamos e a dúvida ficou”, completou.

Continue lendo

BemRural

FRANGO/CEPEA: Demanda externa cresce; preços sobem no Brasil

Publicado

por


Cepea, 08/04/2022 – A maior demanda internacional pela carne de frango motivou altas nos preços domésticos da proteína, segundo informações do Cepea. Com menor disponibilidade interna de muitos produtos, como peito e filé, vendedores seguem elevando as cotações, buscando garantir a margem frente ao custo de produção ainda alto. Além das exportações, o período de início de mês, com o recebimento do salário por parte da população, também favoreceu as altas nos preços. De acordo com dados da Secex, 385 mil toneladas de carne de frango foram exportadas em março, quantidade 13,3% acima da observada em fevereiro e ainda 4,8% maior que a exportada em março/21. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana