conecte-se conosco


Mulher

“Mãe fora da caixa”: delícia e loucura de uma sessão de teatro para mães e bebês

Publicado

source

Uma das maiores vontades de uma recém-mãe – sei porque minha filha ainda é pequena e você que é mãe pode confessar – é sair de casa, respirar um pouco. Há algumas opções de passeios para adultos que recebem também os bebês, como o Cine Materna. Agora essa ideia chegou ao teatro. 

Mãe fora da caixa arrow-options
Divulgação/@maeforadacaixaapeca

Miá Mello em cena na peça “Mãe fora da caixa”. Espetáculo tem o patrocínio da Bradesco Seguros

Leia também: Conta no Instagram reúne fotos de pós-parto para discutir a “maternidade real”

Depois de uma temporada no Rio de Janeiro, a peça ” Mãe fora da caixa ” – um monólogo com Miá Mello que discute diversos temas da maternidade com muito humor e emoção inspirado no livro e instagram de mesmo nome – está em cartaz em São Paulo e faz, a cada 15 dias, uma sessão especial chamada de “bebê bem-vindo”. Assim como o CineMaterna, nela os pais podem leva seus filhos de até 1 ano e meio. A primeira sessão na capital paulista será no dia 26 de janeiro, às 11h. 

E pela experiência vivida no Rio de Janeiro, alguns bebês se encantam com as cores do cenário e outros apenas choram e pedem para mamar. Trocar a fralda no meio da sessão? Sim, isso também acontece! E imagina a loucura que é para Miá Mello , que interpreta a “Mãe fora da caixa” nesse monólogo segurar uma hora e meia de espetáculo no meio de tudo isso?

“Quando eu fiz a primeira sessão, pensei: ‘Meu Deus, esquece tudo! É impossível’, porque é muito barulho, é muita coisa que acontece ao mesmo tempo, é mãe amamentando, é mãe que levanta, é fralda, é troca… Mas, assim, por alguma mágica da vida, existe uma total capacidade do meu ser de fazer a peça assim”, fala a atriz, que também é mãe.

“Eu consigo de alguma forma focar, deixo tudo de lado e na hora que eu me envolvo ali com a plateia, é uma das coisas mais bonitas que eu já vivi”, explica Miá. “É muito forte, é muito emocionante fazer para essa plateia que é tão dirigida, que é tão focada, é tão desfocada e tão focada ao mesmo tempo porque de um tudo acontece”, completa. 

De mãe para mãe

mae fora da caixa arrow-options
Diuvlgação

Mais uma cena da peça “Mãe fora da caixa”

A peça “Mãe fora da caixa” mostra as dificuldades do puerpério – período logo depois do parto – de forma sincera e também bem-humorada, mas também fala sobre os perrengues da maternidade de forma geral – como lidar com conselhos alheios o tempo todo, encarar solidão, culpa – e das delícias da vida mãe. É um espetáculo muito voltado para a mulher, mas que também conversa com pais e toda a família. 

Segundo Miá, estar no palco e falar isso para aquela mãe que está saindo de casa pela primeira vez depois do nascimento do filho é algo ainda mais emocionante. 

“Lembro que a primeira vez que eu entrei para fazer, eu entrei na plateia e comecei a chorar, porque eu fiquei tão emocionada de ver aquelas mães com bebês pequenos e de ver que a gente estava abrindo uma possibilidade e começando uma iniciativa para aquela mãe sair de casa para se divertir um pouco, para trocar e para olhar para pessoas que estão passando pelo mesmo momento da vida que ela”, comenta a atriz.

Leia também: Maternidade real e amamentação são retratadas por mãe em história em quadrinhos

E ela ainda dá uma dica. A peça é bem musical e, nesse momento, o bebê – caso esteja estranhando aquele ambiente novo – pode aproveitar e relaxar. “Acaba formando um corredor de mães e pais que ficam na lateral do teatro ninando e dançando conforme a música, é muito legal”. 


Serviço

Mão fora da caixa – a peça
Local: São Paulo – Teatro das Artes (Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3970 – Store 409 – Pinheiros, São Paulo)
Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 18h
(Obs: sessão bebê bem-vindo, domingo, às 11h da manhã). 

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook

Mato Grosso

Menina de 4 anos que não ouve e não fala é encontrada perdida pela PM em Cuiabá

Publicado

Policiais militares acolheram uma menina de 4 anos que foi encontrada perdida,  no último sábado (22), na Avenida dos Trabalhadores em Cuiabá.

Juliana que possui deficiência auditiva e também não fala, havia fugido da casa dos pais. Populares acionaram a PM via 190 informando que havia uma criança sozinha em frente a uma loja de brinquedos. Ao chegar no local, a equipe de policiais tentou conversar com a menina, mas percebeu que ela não ouvia e não falava. Em determinado momento, a menina pegou na mão de um dos militares e apontou para um brinquedo. O soldado Alessandro Cardoso relembra que ficou emocionado com o entusiasmo da pequena, apontando em direção a uma das bonecas da loja.

“Ficamos preocupados quando vimos à criança sozinha. Foi quando ela pegou na minha mão e apontou para a boneca. A proprietária da loja nos disse que ela estava lá há um bom tempo, parada, olhando a vitrine. Para encontrar os familiares da criança, colocamos comunicados nas redes sociais, emitimos informações via rádio para outras equipes, até que os familiares apareceram, graças a Deus”, conta o policial militar.

Já com os familiares, os policiais descobriram que a criança havia fugido de casa antes mesmo dos pais e da avó acordarem naquela manhã.  No entanto, eles contam que sentiram que a “missão” naquela ocorrência atípica ainda não tinha acabado.

Foi então que os policiais se mobilizaram e arrecadaram fundos e brinquedo para presentear a menina. O soldado Cardoso conta ainda que a equipe ficou sensibilizada e que arrecadou mais brinquedos do que o previsto.

Os policiais relataram que a alegria da menina ao receber os presentes valeu toda a mobilização da equipe da PM. “Mesmo sem pronunciar uma única palavra, sem nos ouvir, ela demonstrava uma felicidade tão linda e simples. Na hora que chegamos com os brinquedos ela pulava de alegria e empolgação. Algo tão simples fez do dia dela e do nosso, muito especial. Somos policiais e pais de família. Gestos assim enobrecem a nossa rotina de servir e proteger a sociedade”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Seu filho sabe esperar? É necessário ensiná-los a ter paciência

Publicado

por

source

Na vida nem tudo acontece na hora que queremos, algumas coisas demoram muito, outras não acontecem jamais, é importante ensinarmos aos nossos filhos a esperar, a ter paciência, a aguardar para obter o que almeja.

Leia também: O que fazer para ajudar uma criança anti-social?

criança arrow-options
Pixabay

Seu filho sabe esperar?

Constantemente vejo crianças que quando querem atenção da mãe, ficam chamando sem parar, repetem a mesma coisa muitas vezes, não conseguem aguardar a sua vez de falar, de comer, de entrar em um brinquedo, simplesmente não sabem esperar.

Se o seu filho não sabe esperar a culpa é sua? Sim, geralmente é sua sim, da mesma maneira que ensinamos nossos filhos a falar, a andar e a ir ao banheiro, temos que ensinar nossos filhos a saber esperar também.

A vida corrida que temos nos faz querer passar por cima de muitas coisas, e isso acontece também com nossos filhos, eles veem o que fazemos e copiam, suas atitudes de impaciência iniciam-se em casa, a criança quer sempre ser atendida na hora, quando o bebê chora a mãe rapidamente vai ver o que esta acontecendo, se esta com fome, se precisa ser trocado, se esta com sono, o bebê quer que o seu desejo seja prontamente atendido, e geralmente é, um pouquinho mais velho ele não compreende o porquê de que quando ele solicita a mãe ela não pode atendê-lo imediatamente.

Quando a mãe não esta sempre a disposição, causa frustração na criança, e frustração trará a ela amadurecimento para enfrentar situações que não se resolvem na hora, na infância e na vida adulta.

Se o seu filho já passou da fase de bebê, ainda assim é possível ensina-lo a ter paciência, a ser frustrado no seu desejo, não atenda a todas as demandas na hora, explique suas outras ocupações, peça que espere o tempo necessário até que você possa ocupar-se do que ele quer.

Tendo em vista que como pais sempre nos sentimos culpados por não podermos cuidar de nossos filhos o tempo todo, ou pelo menos o quanto achamos que é necessário, acabamos fazendo tudo que eles pedem, não por causa deles, mas por nossa causa, para aliviar a nossa culpa, e deixamos de fazer o que devemos que é realmente educar os filhos para eles, e não para nós.

Não é melhor para a criança ouvir sempre sim, não é melhor ter todas as demandas atendidas, não é melhor para a criança, mas as vezes é melhor para você.

Leia também: Saiba como os problemas do casal pode afetar os filhos

Se você estiver lidando com uma criança impaciente, intolerante, que não sabe ouvir não e que não sabe esperar, cabe a você mostrar a ela outro caminho, inicie dizendo não às vezes, esperando com ela, mostre ao seu filho que você também sabe esperar a sua vez, de o exemplo, e converse muito sobre como lidar com frustrações e negativas, isso não será bom somente para a infância dele, mas para toda a sua vida.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana