conecte-se conosco

  • powered by Advanced iFrame free. Get the Pro version on CodeCanyon.


Ação Social

Mãe de adolescente que teve 60% do corpo queimado em fogão improvisado pede ajuda para arrumar emprego

Publicado

O adolescente, Carlos Eduardo V. da Silva de 15 anos, que teve cerca de 60% do corpo queimado em um acidente doméstico no início do mês de julho, ao tentar acender um fogão improvisado, recebeu alta médica na última terça-feira (14) e se recupera em casa, no Bairro Vila Esmeralda em Tangará da Serra.

O adolescente teria se queimado enquanto tentava ascender a chama do fogareiro. Foto: TVCA

No dia 09 de junho, Carlos Eduardo e o irmão tentavam ascender o fogareiro com álcool, quando houve uma explosão e ele acabou atingido pelas chamas. Sofreu lesões nas pernas, abdômen e no braço direito. Por 40 dias permaneceu internado no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), ala do Pronto-Socorro de Cuiabá. A equipe médica constatou queimaduras de 1º grau, com vermelhidão da pele e de 2º grau em algumas regiões específicas, com formação de bolhas, e o adolescente foi submetido a duas cirurgias de enxerto na perna.

Eduardo passou por duas cirurgias de enxerto de pele na perna.

Apesar de já ter superado a pior parte do tratamento, outra preocupação entristece a família de Eduardo; os gastos com os materiais de cuidados especiais e higiene pessoal  como lenços umedecidos, sabonetes antibactericidas, e ainda, malhas compressivas para queimaduras, que são meias pós cirurgia específicas para tratamento de queimaduras. Os produtos são caros e os pais de Eduardo não conseguem cobrir as despesas. Estão desempregados e a única fonte de renda é o benefício do Bolsa Família de R$200.

Na quitinete de três cômodos, moram cinco pessoas. Durante a recuperação de Eduardo,  muita gente ajudou doando mantimentos e móveis à família. Agora, o que a mãe de Eduardo deseja é conseguir emprego para ela, o filho mais velho, de 18 anos e o marido. “Nós precisamos trabalhar. Eu, meu marido e meu filho temos saúde e força de vontade para trabalhar só precisamos de oportunidade. Qualquer emprego que aparecer será muito importante pra nós. Agradecemos de coração todas as doações, o povo ajudou bastante a nossa família, e agora, nós precisamos com urgência é de trabalhar”, suplica Rosineide Vieira da Silva.


Em vez de doações, família pede emprego para poder arcar com as despesas do tratamento de Eduardo.

Caso alguém possa oferecer oportunidade de trabalho à família, entre em contato pelos Fones: (65)9.9348-9235/(65)9.9806-3015, ou diretamente no endereço: Rua 16, nº 511 – W, Bairro Vila Esmeralda, Tangará da Serra.

Leia mais:  Quarenta e oito oficiais da PM participam de formatura

Comentários Facebook
publicidade

Ação Social

Voluntários retiram lixo de rio e mata em Campo Novo

Publicado

O Lions Clube, Ordem DeMolay, Leo Clube e Corpo de Bombeiros de Campo Novo do Parecis usaram o fim de semana para trabalhar em conjunto e retirar da natureza todo o tipo de lixo. Aproximadamente 60 pessoas se voluntariaram e usaram do seu tempo de folga para essa boa ação, que ocorreu no último sábado (14).

O local escolhido foi o balneário Rio Verde, aproximadamente 15 quilômetros da cidade, um dos principais pontos turísticos de Campo Novo.

Utilizando barcos, a equipe conseguiu retirar do rio e da mata, garrafas plásticas, latas de alumínio, caixas de papelão, sacos plásticos e uma infinidade de objetos que demoram centenas de anos para se decompor. Foram recolhidos aproximadamente 500 quilos de lixo.


Tudo foi colocado em veículos particulares e levados ao destino correto, livrando a natureza da falta de consciência ambiental do ser humano. (Fonte e foto: Portal Campo Novo)

Comentários Facebook
Leia mais:  Mato Grosso fará parte da mobilização pelo emprego e produtividade
Continue lendo

Ação Social

ADOÇAR A VIDA: Escola Ramon Sanches faz campanha para arrecadar leite condensado que será doado ao Hospital do Câncer de MT

Publicado

A Escola Estadual Ramon Saches Marques, lançou uma campanha na manhã desta quinta-feira (05) para arrecadar leite condensado e gelatina, produtos que serão doados ao Hospital do Câncer de Mato Grosso (HCan), em Cuiabá.

Campanha visa arrecadar leite condensado e gelatina para amenizar o sabor amargo provocado pelos medicamentos.

Segundo o HCan, em 2018 o número ultrapassou os 100 mil atendimentos. Já em 2017,  foram realizados mais de 95 mil acompanhamentos e quase 37 mil  preventivos realizados em 87 municípios no interior de Mato Grosso. Além disso, no ano passado foram mais de 15 mil quimioterapias, cerca de 67 mil sessões de radioterapia, 3.843 cirurgias e 3.406 internações. Pensando no bem-estar físico e emocional dos pacientes, a Escola Estadual Ramon Sanches, lançou meta de arrecadar dois mil produtos entre gelatina e leite condensado, para o Hospital do Câncer.

O Hospital do Câncer de Mato Grosso conta com cerca de 458 funcionários diretos, um corpo clínico de 133 médicos e mais de 350 voluntários.

O tratamento do câncer tem por finalidade a cura ou alívio dos sintomas da doença. Os medicamentos podem provocar efeitos colaterais, alterações do paladar e mudanças no sabor dos alimentos, para amenizar o gosto amargo na boca, agravado pelas feridas, os produtos adocicados são adotados como recursos. “Os remédios são muito fortes e o alívio é trazido de forma simples com o uso de leite condensado e gelatina. Por serem produtos de baixo custo pensamos em promover esta ação, para ajudar os pacientes com câncer que sofrem com o tratamento”, destaca a professora Daiane Aparecida Souza.

A campanha de arrecadação segue até 13 de novembro.

A campanha é desenvolvida pelo professor da disciplina eletiva ‘Cidade Cidadão’, Cléber Junior Ferreira, e para estimular os alunos a colaborarem com a iniciativa, ao final da ação solidária, prevista para 13 de novembro, a turma que mais arrecadar produtos, ganhará uma viagem de lazer a um resort da região, além de um Tablet que será sorteado entre todos os participantes. “As premiações são apenas para motivá-los a se envolverem com a campanha, o mais importante da iniciativa é desenvolver neles a consciência cidadã, em que todos temos direitos e deveres junto a sociedade. Estamos muito confiantes, e esperamos arrecadar mais de 2.500 produtos nestes dois meses”, celebra o professor.


A expectativa dos organizadores é que sejam arrecadados mais de 2.500 produtos.

O projeto é desenvolvido na escola, mas é aberto à comunidade. Quem puder colaborar com a iniciativa, há um ponto de coleta na unidade escolar Ramon Sanches Marques, localizada na Rua Alziro Zarur , Bairro Vila Alta. Mais informações pelo Fone: (65) 3326-4229.

Leia mais:  Quarenta e oito oficiais da PM participam de formatura

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana